#WTCC: Tiago Monteiro protagoniza aparatoso acidente quando liderava em Nordscheleife

Tiago Monteiro sentiu na pele o verdadeiro ‘Green Hell’ hoje logo na primeira corrida do WTCC. O piloto português estava na liderança da prova no Nordscheleife, faltava menos de metade da ultima volta, prepara-se para se sagrar vencedor, quando o pneu do seu Honda Civic rebentou e o fez embater fortemente no muro, voltando à pista e sendo ainda abalroado pelo Citroen de Yvan Muller.

unnamed
Tiago Monteiro
O piloto português saiu combalido do carro mas pelos seus próprios pés. Foi levado para o hospital para ser avaliado fisicamente, estando nesta altura já no circuito e sem mazelas graves a assinalar.
Tiago saiu da ‘pole’ estava a fazer uma belíssima corrida quando o inesperado se deu: “Era uma zona em curva muito rápida, acima dos 230 km/h e tudo aconteceu de forma muito rápida. O pneu rebentou e perdi o controle do carro. Na altura senti fortes dores no pescoço, cabeça, costas, tornozelo e perdi a visão. Mas depois, de todos os exames efectuados, trata-se apenas de dores musculares resultantes dos embates”, explicou o piloto português.
O fim-de-semana revelou-se verdadeiramente infernal para Tiago que teve logo no início de se confrontar com a desclassificação nas duas últimas jornadas por decisão dos comissários que alegam irregularidades com o fundo plano do Honda Civic: “Não estava à espera de ver os meus resultados e da equipa serem anulados, mas a Honda tem a certeza que  tudo estava em conformidade e por isso já apelou da decisão. Resta-nos esperar e acreditar que os resultados serão repostos”, disse.
Tiago, por indicação médica, fará nos próximos dias, repouso de forma a recuperar e estar ao melhor nível já na próxima prova.

#TCR Benelux: Tiago Monteiro soma e segue em Spa

Depois da vitória de ontem na corrida de qualificação do TCR Benelux em Spa-Francorchamps, Tiago Monteiro voltou a subir ao lugar mais alto do pódio na corrida 2 realizada esta manhã enquanto na corrida 3 cruzou a linha de meta no segundo lugar. Três excelentes resultados na prova de estreia do campeonato.

unnamed
Tiago Monteiro
O convite endereçado pela Honda Bélgica para que Tiago Monteiro disputasse esta jornada acabaria por se verificar de extrema importância para o Team Boutsen Ginion e Stéphane Lémeret  que assumem, para já, a liderança da tabela classificativa, uma vez que Lémeret ainda terá de disputar ao final do dia mais duas corridas. O piloto português estava por isso satisfeito com o trabalho desenvolvido: “Na primeira corrida de hoje arranquei de quarto na grelha e fui paulatinamente ganhando posições até chegar a primeiro. Na segunda, realizada logo de seguida, arranquei de primeiro e assim me mantive até que começou a chover cada vez com mais intensidade. A pista estava muito perigosa, já que estávamos todos com pneus ‘slick’ e a determinada altura saí demasiado largo e fui ultrapassado. Quando encetava a luta pelo primeiro lugar, entrou o ‘safety-car’ depois de um acidente e a corrida acabaria por terminar desta forma, sem que tivesse tido oportunidade de voltar a chegar a primeiro”, explicou.
Missão cumprida para Tiago Monteiro que pôde constatar que este campeonato: “É muito interessante, competitivo e disputado. As vitórias foram duras, com pilotos muitos bons e rápidos que nunca me deram descanso. Um obrigado especial á equipa e à Honda Bélgica por me ter proporcionado mais esta experiência”, concluiu o piloto português que centra agora atenções na corrida do próximo fim-de-semana do WTCC.
Todos os resultados do fim-de-semana podem ser vistos em: http://www.tcrbenelux.eu/default.aspx

#WRC: Kris Meeke e Paul Nagle vencem Rali de Portugal

Líderes desde a segunda especial de classificação, Kris Meeke e Paul Nagle dominaram na perfeição o Rali do Portugal para alcançar a sua segunda vitória no Campeonato do Mundo de Ralis. Esta vitória, a 95ª da Citroen no WRC, premeia os esforços da equipa Abu Dhabi Total WRT no seu primeiro rali de terra da presente temporada. Partindo para o derradeiro dia em Rally2, as duplas Stéphane Lefebvre/Gabin Moreau e Khalid Al Qassimi/Chris Patterson alcançaram também o pódio final da prova.

FIA WORLD RALLY CHAMPIONSHIP 2016 - WRC PORTUGAL

O dia da Abu Dhabi WRT Total começou bem antes do nascer do sol, com uma assistência às 05h15 ao carro de Stéphane Lefebvre! A chuva que caiu durante a noite deixou molhados os troços em terra, pelo que todos os pilotos escolheram, sem hesitar, compostos macios dos Michelin LTX Force para os últimos quatro troços do rali.

Com 45,3 segundos de avanço sobre os seus adversários, Kris Meeke e Paul Nagle puderam dar-se ao luxo de gerir a liderança da Classificação Geral. Enquanto Andreas Mikkelsen e Sébastien Ogier lutavam pelo 2º lugar, a equipa da Citroen Racing controlava a corrida e, após a primeira passagem pelos troços de Vieira do Minho e Fafe, ainda ficava com uma margem de 35,5 segundos.

A equipa com o nº 7 nas portas não alterou a sua estratégia para as duas últimas especiais. No final do troço de Fafe, Meeke e Nagle puderam, finalmente, relaxar depois de alcançarem a sua segunda vitória no WRC, com 29,7 segundos de avanço sobre Andreas Mikkelsen!

Partindo para o último dia em Rally2, Stéphane Lefebvre e Khalid Al Qassimi sabiam que iriam ter um dia sem preocupações. O jovem francês terminou este teste com uma nota boa, alcançando o 5º melhor tempo na Power Stage.

Depois deste sucesso, a Abu Dhabi WRT Total irá preparar o próximo evento do seu  calendário. Será o Rali da Polónia (30 junho a 3 julho), inscrevendo dois carros para Stéphane Lefebvre/Gabin Moreau e Craig Breen/Scott Martin.

Kris Meeke (#7): «Em primeiro lugar, quero agradecer a toda a equipa e à PH Sport por todo o trabalho deste fim de semana. Conquistámos esta vitória face a uma  concorrência de primeiro plano e esta performance é particularmente importante para mim como piloto. Não sabia muito o que esperar antes da partida, mesmo depois de ter feito muitos testes nas últimas semanas, faltavam-me, claramente, quilómetros em competição. Mas fui capaz de andar rápido de início até final, controlando o meu avanço a partir da segunda metade da etapa de sábado. Hoje ainda fui cuidadoso, pois o troço de Fafe tinha muitas pedras escondidas, particularmente na segunda passagem. É um sentimento muito especial ganhar aqui. O ambiente é incrível, com uma audiência entre as mais apaixonadas e ruidosas do mundo. Diz-se que a primeira vitória é aquela vitória, mas sinto que esta é igualmente importante. Poucos pilotos ganharam uma corrida, mas duas é ainda mais raro! Iremos, agora, construir as próximas provas sobre este resultado, para atingirmos, especialmente em 2017, o melhor nível!»

Stéphane Lefebvre (#8): «Já tinha aberto a estrada no Rali da Austrália do ano passado, mas hoje adquiri uma nova experiência, porque os troços eram muito diferentes. Durante a primeira especial demorou alguns quilómetros até que compreendesse o funcionamento do carro nestas condições. Até fiz uma boa especial, fazendo mais ou menos igual jogo com o Neuville, fazendo depois um bom tempo em Fafe. Na segunda ronda, os meus tempos mostraram-se novamente interessantes. Há muito de positivo a tirar deste rali, prova onde me mostrei mais eficiente ao volante de um WRC. Espero poder continuar esta mesma dinâmica na Polónia!»

Khalid Al-Qassim (#14): «Depois da deceção com o abandono de ontem, tivemos um bom dia até ao final do rali. Este é um grande dia para o Abu Dhabi Total World Rally Team, traduzido nesta bela vitória. Parabéns ao Kris e ao Paul, pilotos que realizaram uma corrida perfeita, atingindo um resultado merecido. Desde sexta-feira que sabíamos que este resultado estava ao nosso alcance, mas mantivemo-nos humildes até o último momento. Este é um verdadeiro impulso de confiança no momento em que a Citroën Racing está em pleno desenvolvimento do seu carro para 2017.»

CLASSIFICAÇÃO GERAL FINAL (OFICIAL)

1. Meeke / Nagle (DS 3 WRC) 3:59:01.0

2. Mikkelsen / Jaeger (VW Polo-R WRC) +29.7

3. Ogier / Ingrassia (VW Polo-R WRC) +34.5

4. Sordo / Marti (Hyundai i20 WRC) +1:37.1

5. Camilli / Veillas (Ford Fiesta RS WRC) +4:01.6

#Fórmula-E: DS Virgin Racing no pódio do Campeonato em Berlim

A DS Virgin Racing ocupa agora o 3º lugar da Classificação de Equipas da Fórmula E, graças à sólida prestação de Jean-Éric Vergne. O francês permitiu, igualmente, à DS Virgin Racing
conquistar a quarta pole-position da temporada, mais do que as obtidas por qualquer outra
equipa.Formula-E-Berlin-2016-5D5_1346

«Temos dois pilotos muito talentosos e parece que agora também temos uma viatura rápida,» sublinhou Alex Tai, Diretor da DS Virgin Racing Team. «Temos agora mais‘pole-positions’ do que qualquer outra equipa e conseguimos roubar a terceira posição do Campeonato à Dragon Racing.»

Os pilotos da DS Virgin Racing, Jean-Éric Vergne e Sam Bird, terminaram a o ePrix de Berlin no 5º e 11º lugares, respetivamente. A jornada começou bem para a equipa, após duas sessões de treinos sem problemas, e depois com o melhor tempo do francês na Superpole, assinando, assim, a terceira pole-position consecutiva da equipa, após as de Long Beach e Paris.

Apesar da sua deceção após a terceira pole-position da temporada conquistada em Paris, Sam Bird realizou, também ele, uma sólida performance na qualificação, falhando por muito pouco a Superpole. No entanto, pouco antes da formação da grelha, o britânico foi promovido à segunda linha, após as desqualificações dos Mahindra de Bruno Senna e Nick Heidfeld (inicialmente os 4º e 5º mais rápidos) por causa de um erro relacionado com as pressões dos pneus.

A espetacular partida para o ePrix de Berlin viu Jean-Éric Vergne deixar fugir a liderança para Sébastien Buemi, após alguns segundos, para a retomar no meio da confusão e a deixar fugir de novo. Durante a primeira parte da corrida, o francês aflorou por duas vezes os cones, ao defender a sua posição. O francês perdeu, assim, os dois defletores do seu aileron dianteiro, mas felizmente conseguiu chegar às boxes sem problemas.

Mesmo acabando por terminar apenas no 5º lugar, Jean-Éric Vergne mostrou-se satisfeito com a sua performance: «Quando largamos de uma ‘pole position’, só queremos vencer», explicou o piloto francês. «Foi esse o caso hoje, mas o Buemi estava extremamente rápido. Quando me voltou a ultrapassar e se afastou sabia que não iria conseguir apanhá-lo. Penso que os outros pilotos conseguiram passar-me porque também eles estavam muito rápidos. Fizemos um trabalho formidável para conseguir a ‘pole-position’ e isso sublinha os  esforços da equipa no carro, mesmo se eu sei que não conseguiria melhor que o 5º lugar. São sempre bons pontos para a DS Virgin Racing, e estamos agora no 3º lugar do campeonato. Isso deixa-me orgulhoso, pois a equipa merece-o.»

Em paralelo, Bird desafiou Daniel Abt pelo 3º lugar do pódio. O britânico teve menos sorte após um toque com o alemão ter danificado o aileron dianteiro, no início da prova. Num excesso de prudência, o Diretor de Prova obrigou-o a passar prematuramente pelas boxes, para proceder à substituição do nariz do carro.

Desiludidos com esta decisão, os engenheiros de Bird tentaram sem sucesso contestar a decisão. Caindo do 4º lugar para o 14º, as esperanças de Sam sobre o título desapareceram: «Estou verdadeiramente desiludido com esta decisão,» confessou Sam Bird. «Nunca esperei receber uma bandeira negra e laranja por um dano tão insignificante! Como disse pela rádio, não penso que o aileron dianteiro abanasse assim tanto. Isto reduziu drasticamente as minhas hipóteses de lutar pelo título.»

Nas boxes, a troca efetuou-se num instante, apesar dos dez lugares perdidos. Apesar dos seus esforços, não conseguiu regressar aos dez primeiros, lugar que lhe escapou por uma única posição. Um resultado dececionante para o piloto, que teria podido ser um sério concorrente ao título, com um resultado mais favorável hoje: «Sinto-me verdadeiramente orgulhoso pela equipa. Há muito tempo que queríamos passar a Dragon Racing na classificação geral e mesmo se a jornada foi dececionante pelo meu lado, foi uma vitória para a DS Virgin Racing. Vou agora focar-me completamente na jornada de Londres, onde parece evidente que se jogará uma final épica.»

«Estou extremamente orgulhoso com os meus pilotos,» afirmou Alex Tai, Diretor da Equipa. «O Sam teve pouca sorte com esta decisão, mas teria, sem dúvida alguma, realizado uma soberba performance sem isso. Mesmo assim, ilustrou todo o seu talento ao ganhar três posições no pelotão. O Jean-Eric foi excelente na Superpole,  demonstrando que estamos na boa direção. Temos dois pilotos talentosos e parece que agora temos uma viatura rápida. Temos mais ‘pole-positions’ do que qualquer outra equipa e roubamos o 3º lugar à Dragon Racing. A batalha de Londres será enorme, mas a equipa, o Sam e o  Jean-Éric estão melhores em cada corrida. Estou ansioso por ver aquilo que conseguiremos fazer, desde que estejamos bem colocados.»

«Ficou claro que fizemos numerosas melhorias importantes no carro,» – Xavier Mastelan Pinon, Diretor da DS Performance. «Estou orgulhoso por ver que os nossos dois pilotos conseguiram conquistar ‘pole-positions’ com o DSV-01. Tivemos que enfrentar alguns desafios, mas a nossa equipa nunca baixou os braços. Para já, quero felicitá-los pelo seu trabalho esforçado, que tem dado resultados, como bem vimos hoje.»

O ePrix de Londres terá lugar a 2 e 3 de Julho próximos, no Battersea Park. Serão duas as corridas que constam do programa do fim-de- semana que encerrará a temporada.

#Fórmula 3 European: Punição tira chance de Pedro Piquet pontuar

Depois do enorme susto com o acidente no sábado, Pedro Piquet vinha com esperanças de brigar pelos pontos na terceira prova da rodada da FIA F3 Euro no Red Bull Ring. De fato, a corrida deste domingo começou promissora, mas uma passagem pelos boxes tirou as chances de o bicampeão da Fórmula 3 Brasil pontuar.

imagem_release_662091
Pedro Piquet

Na largada, Pedro fugiu das confusões à sua frente e saltou de 14º para 10º. Depois de atacar, Piquet acabou caindo para 12º na segunda volta e o safety car na pista por causa de uma colisão. Todos os carros ficaram próximos e o piloto patrocinado pela Petrobras planejava partir para o ataque em busca do top 10.

Mas, numa corrida cheia de punições, os comissários obrigaram o brasiliense de 17 anos a fazer uma passagem pelos boxes por ele ter excedido os limites da pista.

Na volta dos boxes, o competidor da Van Amersfoort Racing ficou em 15º, muito longe dos primeiros colocados, e numa corrida de pouco mais de meia hora, não foi possível recuperar o tempo perdido. Depois da bandeirada, punições a outros dois concorrentes fizeram o brasileiro subir para o 13º lugar.

A próxima rodada da FIA F3 Euro será disputada entre os dias 24 e 26 de junho no circuito de rua de Norisring, na cidade alemã de Nuremberg.

#TCR Benelux: Tiago Monteiro vence primeira corrida em Spa

Tiago Monteiro chegou, viu e venceu. O piloto português subiu ao lugar mais alto do pódio na primeira corrida do TCR Benelux que este fim-de-semana arrancou no circuito belga de Spa-Francorchamps.unnamed
A fazer equipa com Stéphane Lémeret no Honda Civic TCR do Team Boutsen Ginion, a dupla com o carro #18 saiu da ‘pole position’ graças à votação dos fãs que os colocou neste lugar. E apesar de não ter sido uma corrida fácil a vitória acabaria por acontecer: “Foi o meu companheiro de equipa que arrancou. Perdeu um lugar e entregou-me o carro a cerca de quatro segundos do líder. No meu turno encetei uma boa recuperação até chegar perto do meu adversário para depois passá-lo e ganhar vantagem até cruzar a linha de meta”, explicou Tiago Monteiro que foi convidado pela Honda Bélgica para disputar esta primeira prova do recém criado TCR Benelux.
“Fiquei muito satisfeito por ver cumprido os meus objectivos de ajudar a equipa neste início de campeonato. Não poderia ter corrido melhor. Amanhã teremos a segunda corrida e esperamos conseguir nova vitória. Seria muito importante para mim deixar a equipa na frente do Campeonato”, rematou Tiago Monteiro.
Todas as informações sobre o Campeonato em: http://www.tcrbenelux.eu/default.aspx

#Fórmula-E: Piquet Jr acelera em Berlim

Depois de receber a Fórmula E em um aeroporto no ano passado, Berlim é a primeira cidade do calendário da categoria a ter um ePrix em um segundo cenário. A corrida de amanhã acontece nas ruas da cidade, numa pista inédita de 2,03 km de extensão.

Formula E World Championship
Nelson Piquet Jr

Será também a prova de maior número de voltas da história da categoria, com 48 giros no total.

“A pista me parece interessante e com tantas voltas o gerenciamento de energia deve ser um fator importante aqui. Na primeira temporada conseguimos nos destacar consumindo menos que os concorrentes e isso pode nos ajudar de alguma forma aqui na Alemanha”, observou Nelson Piquet Jr, o atual campeão da categoria.

Foi em Berlim no ano passado que o competidor do carro #1 do Nextev TCR assumiu a liderança no campeonato, graças aos pontos pela volta mais rápida no ePrix realizado no aeroporto.

“Nossa condição nesta temporada é muito diferente: em vez de brigar por vitórias, nossa meta é tentar marcar pontos apenas. Mas sem dúvida fico contente por competir novamente na cidade, de onde saímos com grandes lembranças na temporada anterior”, frisou o brasiliense de 30 anos de idade.

@FIAf3 : #PedroPiquet explica acidente no #RedBullRing

Pedro Piquet @PR oficial
5 Pedro Piquet (BRA, Van Amersfoort Racing, Dallara F312 – Mercedes-Benz), FIA Formula 3 European Championship, round 4, Red Bull Ring (AUT), 20. – 22. May 2016

Pedro Piquet explica acidente: “Não deu nem tempo de desviar”

Ileso após batida no Red Bull Ring, brasileiro exalta bom desempenho na primeira corrida do dia até punição e colisão no fim

Uma punição e um acidente de grandes proporções atrapalharam os planos de Pedro Piquet de marcar pontos nas duas primeiras provas da rodada tripla da FIA F3 Euro no Red Bull Ring, em Spielberg (Áustria).

Na primeira corrida, o brasiliense de 17 anos saía de sua melhor posição num grid no ano, oitavo lugar. Mas uma passagem pelos boxes como punição por queima de largada o tirou da zona de pontuação quando ele ocupava a quinta posição.

Na 17ª volta, a sete minutos do fim da prova, quando o piloto da Van Amersfoort brigava com o chinês Zhi Cong Li fora do Top 10, os dois atingiram o carro de Ryan Tveter, que estava parado no meio da pista após o americano rodar na Curva Niki Lauda e levantar poeira.

Pedro bateu com força no carro de Tveter, mas só com as rodas, e o carro perdeu velocidade na caixa de brita até bater sem violência nos pneus. O piloto Petrobras saiu ileso, enquanto o americano foi ao hospital, mas acabou liberado, e Li, cujo carro voou alguns metros, teve fraturas em quatro vértebras e no calcanhar.

“Não deu nem tempo de desviar e os fiscais fazerem a sinalização. O Tveter rodou e logo depois o Li bateu nele. E mesmo se a gente tivesse visto, o carro dele estava no meio da pista e não sei se ia dar para parar o carro”, explicou Pedro.

Com o carro de volta aos boxes, os mecânicos da Van Amersfoort trabalharam intensamente e em menos de três horas o carro estava reconstruído. Não foi possível alinhar no grid e Pedro largou dos boxes. Com o carro ainda sem estar 100%, Pedro teve de ir aos boxes e perdeu cinco voltas. No fim, ele terminou em 18º:

“A primeira corrida estava rolando bem, uma pena a punição por causa da queima de largada. O campeonato é muito bom e disputado, demora mesmo para a gente aprender, tem muitas pessoas novas no time também”, disse o piloto, que fez questão de agradecer aos mecânicos da Van Amersfoort Racing o empenho em recuperar o carro #5 entre as duas corridas.

Neste domingo, Pedro disputa a terceira prova da rodada austríaca do campeonato. Ele vai largar na 14ª posição na corrida que começa às 6h20 (horário de Brasília), com transmissão ao vivo do site oficial da FIA F3 Euro.

#CEV : #16ValvulasEntrevista BrunaLopes#30 sobre #Crowdfunding e 2016

Bruna Lopes @foto Facebook oficial

Eis o regresso do motociclismo ao 16Válvulas.

Desta vez fazêmo-lo com uma entrevista com a piloto portuguesa Bruna Lopes que apostam em 2016 numa carreira exclusivamente em Espanha.

Assim nos próximos minutos vão poder perceber razões para uma aposta no Campeonato de Espanha de Velocidade em detrimento de Portugal.

Oportunidade ainda de perceber as dificuldades que a jovem piloto tem para conseguir reunir o orçamento completo para esta temporada , tendo recorrido ao apoio do chamado “Crowdfundig” para o fazer.

No final falámos do futuro nas corridas de Motos.

Em suma: mais uma importante entrevista que não devem perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e partilharem o Podcast do 16Válvulas

 

@F1 : #MaxVerstappen vence #SpanishGP , by #Pirelli

BARCELLONA (SPAGNA) - 15/05/16 © FOTO STUDIO COLOMBO PER PIRELLI MEDIA (© COPYRIGHT FREE)
BARCELLONA (SPAGNA) – 15/05/16
© FOTO STUDIO COLOMBO PER PIRELLI MEDIA (© COPYRIGHT FREE)

ESTRATÉGIA DE DUAS PARAGENS AJUDA MAX VERSTAPPEN A TORNAR-SE O MAIS JOVEM VENCEDOR NA HISTÓRIA DA F1

FERRARI E RED BULL DISPUTAM A VITÓRIA COM DIFERENTES ESTRATÉGIAS NUMA BATALHA ATÉ AO FIM

A MAIOR PARTE DOS PILOTOS OPTOU POR DUAS PARAGENS, COM VETTEL NA TERCEIRA POSIÇÃO A SER O MELHOR CLASSIFICADO COM TRÊS PARAGENS

A estratégia foi primordial no Grande Prémio de Espanha, com o resultado final indefenido até à ultima curva do final da corrida, em que os protagonistas da prova adotaram diferentes estratégias nas opções das trocas de pneus. No final, Max Verstappen tornou-se no mais jovem vencedor de um grande prémio, na sua estreia na Red Bull, terminando a prova com um jogo de pneus que realizou 32 voltas, uma volta a mais do que Kimi Raikkonen em Ferrari que terminou no segundo posto. Ambos, Ferrari e Red Bull, dividiram as estratégias com cada equipa a parar duas vezes com um carro e três vezes com o outro. Todos os três compostos (duro/médio/macio), foram utilizados ao longo das 66 voltas do grande prémio, com uma longa disputa entre a Ferrari e a Red Bull, onde a gestão dos pneus foi a “chave” essencial para o sucesso. Quatro pilotos ainda estavam na disputa pela vitória a caminho da ultima volta, quando Daniel Ricciardo foi afetado por um furo lento, eventualmente provocado por detritos.

Agora, as equipes de Fórmula Um permanecem em Barcelona para o primeiro teste da época, que será entre terça e quarta-feira. Os pneus que vão ser utilizados serão os mesmos compostos de 2016 e usados desde o principio do ano, escolhidos por cada equipe e para o fim especifico. Algumas equipes vão utilizar os pilotos mais jovens.

Paul Hembery, diretor da Pirelli Motorsport: “ Foi uma batalha estratégica complexa até ao fim, com a disputa do poder entre a Red Bull e a Ferrari, tal como as táticas utilizadas volta a volta. O resultado foi uma corrida fascinante e imprevisível desde o inicio até à bandeira de xadrez, tornando-a um dos melhores eventos do ano. Ao longo das ultimas 10 voltas, os pilotos tiveram que gerir os pneus de forma a manter o mesmo desempenho até ao fim, acrescentando ainda mais emoção a toda a ação. Foi o tipo de corrida que esperávamos com a nossa atual gama de compostos e sob os novos regulamentos de pneus. Hoje, assistimos a que se fizesse história na Formula Um, com o vencedor mais jovem de sempre no desporto, e nós sentimo-nos orgulhosos por contribuir para isso. ”

Tempos mais rápidos do dia por composto:

Duro Médio Macio
Primeiro PAL 1m29.779s VET 1m27.974s KVY 1m26.948s
Segundo
MAG 1m30.348s
RIC 1m28.209s
VET 1m28.137s
Terceiro
RAI 1m28.538s
MAG 1m28.716s

Os maiores turnos da corrida por composto:

Duro Palmer 32 (voltas)
Médio Gutierrez 35
Macio Grosjean 19

Previsão Pirelli: A nossa previsão era uma estratégia com duas paragens, iniciando com o composto macio, novamente para macio na volta 20 e trocar para médio na volta 40. Verstappen adotou uma estratégia com duas paragens, utilizando Macio-médio-médio, trocou nas voltas 12 e 34.