jump to navigation

#MotoGp : #16ValvulasEntrevista Rui Belmonte sobre a nova temporada e outros temas 1 de Abril de 2015

Posted by GonçaloSousaCabral in 16 Válvulas no terreno, Baja 500 Portalegre, Campeonato do Mundo de Motocross, Campeonato Nacional de Velocidade, Entrevistas 16Válvulas, Moto GP, Moto2, Moto3, Podcast do 16Válvulas, SBK, Supersport.
Tags: , , , ,
add a comment
Rui Belmonte @foto escolha pessoal , arquivo 16valvulas

Rui Belmonte @foto escolha pessoal , arquivo 16valvulas

Poucos dias depois de ter iniciada a temporada de 2015 do Campeonato do Mundo MotoGp , convidámos o comentador Rui Belmonte para uma apreciação.

Assim nos próximos minutos vão poder ouvir Rui falar das 3 categorias do Mundial , com destaque principal para a corrida de Miguel Oliveira nas Moto3.

Oportunidade ainda para falarmos do Nacional de Motociclismo , quase a começar , bem como o Campeonato do Mundo Motocross MX.

Ocasião ainda para percebermos como correu a prova de abertura do Nacional de TT , motos em Gois.

No final tempo ainda para falarmos da prova do Abu Dhabi Desert Challenge onde estão os portugueses Paulo Gonçalves e Ruben Faria.

Em suma: mais uma importante intervenção de Rui Belmonte , que estou certo não vão querer perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o podcast do 16Valvulas

 

#Moto3 , #QatarGp , crónica by Aires Pereira 30 de Março de 2015

Posted by GonçaloSousaCabral in Moto GP, Moto2, Moto3.
Tags:
add a comment
Miguel Oliveira a iniciar a extraordinaria recuperação

Miguel Oliveira a iniciar a extraordinaria recuperação

Grande vitória do francês veterano Alexis Masbou. Uma vitória de persistência e saber. A grande batalha entre a Honda e KTM contínua em 2015. Repete-se a grande velocidade de ponta de Vazquez na Honda e Miguel teve muito azar nesta ronda de abertura. Permanentemente a fazer os melhores tempos nos treinos foi tocado por Bagnaia logo na primeira curva, seguido de queda. Uma pena.

Mais uma vez as Honda conseguiram esconder o jogo até à ronda inicial. O principal opositor das máquinas japonesas foi mesmo Miguel Oliveira que fez consistentemente os melhores tempos dos treinos livres. Ao lado do português tínhamos Kent e Antonelli, ambos em Honda. Mas tudo iria mudar na qualificação, quando os alguns dos pilotos utilizaram o cone de aspiração para obter tempos, nomeadamente Masbou e Viñales, 1º e 2º melhores tempos, acompanhados de Antonelli a fechar a primeira fila. Com esta questão do cone de aspiração Miguel acabou por sair da qualificação com o 8º tempo. Nada de mais, mas como veremos mais à frente, um tempo melhor podia ter evitado o acidente no início da corrida.
A corrida, que como sempre é a primeira das três foi mais uma vez um espectáculo para os olhos. Como já vem sendo hábito desde há 2 anos os pretendentes à vitória final ascendiam a sensivelmente 10 após o excelente arranque do experiente Masbou. A primeira curva trouxe o drama para os portugueses quando Miguel a tentar recuperar do 8º tempo na grelha se coloca no exterior da curva para passar concorrentes e Bagnaia, logo atrás lhe dá um toque na roda de trás causando a queda de Miguel. Com esta queda Miguel ficaria de imediato arredado da luta pela vitória, tendo no entanto conseguido levantar-se, voltar à pista e viria a acabar em 16º lugar, sem conseguir pontuar. Enquanto isto acontecia os líderes da corrida sucediam-se à razão de um por volta. Passaram pela liderança da prova Masbou, Bastianini, Kent, Vazquez, Quartararo, Antonelli, Viñales e Bagnaia. Foi emocionante ver os sucessivos ensaios para a recta da meta, com a tentativa de colocação ideal para atacar a enorme recta da meta até que Kent se fartou e resolveu partir o pelotão levando com ele somente quatro pilotos para discutir a vitória. A luta pela vitória endureceu com o aproximar do fim da prova e na última volta Kent perdeu a liderança para Bastianini que levou a sua moto até perto da linha de meta sendo ultrapassado por Masbou mesmo no final, tendo o francês feito uso do famoso cone de aspiração. Foi uma excelente corrida e mais uma vez Moto3 não desapontou.

1º Alexis Masbou – Honda (25 pts), 2º Enea Bastianini – Honda (20 pts), 3º Dany Kent – Honda (16 pts)… Miguel Oliveira – KTM (0 pts)

#Moto2 , #QatarGp : crónica by Aires Pereira 30 de Março de 2015

Posted by GonçaloSousaCabral in Moto GP, Moto2, Moto3.
Tags:
add a comment
Moto2

Moto2

Vindo das SuperBike Sam Lowes arrasou completamente a concorrência em Moto2. Com a saída de grandes nomes para MotoGP esperava-se que a luta se centrasse outra vez nos mesmos protagonistas, Rabat e Kallio, mas Lowes, Rins, Marquez e Zarco deram sinais que querem mudar o panorama de Moto2 para melhor. A vitória acabou por sorrir a Jonas Folger depois de na 4ª volta a corrida ter mudado da noite para o dia.

A luta declarada de Sam Lowes com Jonas Zarco pela liderança dos tempos foi decisiva para que se percebesse que Rabat iria ter muito mais trabalho do que inicialmente se esperaria para esta época. De facto o ex-SBK Lowes dominou por completo os treinos livres e qualificação permitindo somente que Zarco se desforrasse no Warm-Up, e isto tudo com Rabat a assistir no cadeirão do terceiros posto. Assim sendo a primeira linha da grelha de partida ficou com Lowes na pole position, Zarco a seguir e Rabat a fechar.
O início da prova traria de novo Lowes para a ribalta a liderar o pelotão com Zarco logo atrás enquanto Rabat se atrasava e ficava um pouco mais para trás. Pouco depois Zarco assume a liderança e nota-se um certo nervoso de Lowes para recuperar a liderança. E esse nervoso foi-lhe fatal porque o levou longe de mais numa curva acabando na gravilha. Lowes acabaria nas boxes sem possibilidade de retornar á corrida. Um fim inglório para quem tinha dominado o treinos. Mas o drama não acabaria aqui. Rabat ao iniciar a 4ª volta defende-se do ataque de Cortese entrando na curva pelo interior, mas o alemão não esteve pelos ajustes e manteve a ultrapassagem acabando por colocar a sua moto junto aos protectores e não deixando espaço para Rabat que acaba por embater na roda traseiro do alemão e cai de imediato. Um pouco mais à frente Luis Salom conhece também a gravilha catapultado por Corsi que falha a travagem. Isto tudo na 4ª volta…e de repente A corrida perde dois dos principais candidatos à vitória, Rabat e Lowes. Fica então Zarco com um avanço de mais de 4 seg. sobre o segundo classificado que passou a ser Folger. Xavier Simeon contentava-se com o terceiro posto e lá para trás era guerra aberta entre Luthi, Morbidelli, Cortese e Kallio. Perto do fim a segunda parte do drama. À entrada da recta da meta no fim da antepenúltima volta Zarco repara num problema na caixa de velocidades que quase o leva a embater no muro de protecção das boxes. Pareceu que a moto teria ficado com a caixa de velocidades presa entre a 2ª e a 3ª velocidades o que rapidamente o faz perder a primeira e segunda posições para Folger e Simeon e no decorrer das duas últimas voltas acaba mesmo por descer até ao 8º posto. Neste entretanto Rins acaba por recuperar até ao 4º posto iniciando uma luta sem quartel com Luthi que conseguiu defender a sua posição e obteve o último lugar do pódio.
Uma excelente corrida a contrastar com a época de 2014 que esperamos venha a ter continuação, até porque já se percebeu que Moto2 ganhou um punhado de candidatos ao título

1º Jonas Folger – Kalex (25 pts), 2º Xavier Simeon – Kalex (20 pts), 3º Thomas Luthi – Kalex (16 pts)

#MotoGp : #QatarGp – crónica by Aires Pereira 30 de Março de 2015

Posted by GonçaloSousaCabral in Moto GP, Moto2, Moto3.
Tags:
add a comment
MotoGp

MotoGp

MotoGP – Qatar (Dubai)

Há um ano atrás perguntava-me a mim mesmo que mais poderia oferecer Rossi aquando da épica batalha com Marquez. Pois bem, hoje Rossi ofereceu-nos um espectáculo digno de ficar para a história por diversas razões, mas principalmente porque voltou a ganhar, está na liderança do campeonato, tem 36 anos e iniciou o seu 20º campeonato. E fê-lo de uma maneira soberba, linda, espectacular como só ele sabe.

A Honda chegou ao Qatar com todas as armas colocadas em cima da mesa. Para além do bicampeão do mundo a tecnologia continua a fazer valer a máquina como a melhor do pelotão. E principalmente Dani Pedrosa parecia em excelente forma e muito motivado com tempos excelentes. A Ducati que já se sabia tinha uma nova máquina com alguns avanços aerodinâmicos como os novos ailerons dianteiros estava também bastante motivada e afigurava-se como o principal oponente da Honda. A Yamaha ficava assim votada a ser a terceira marca se bem que Marquez tenha escolhido Lorenzo como adversário directo. Os tempos nas sessões de treino acentuavam esta ideia de que seria Honda vs Ducati sendo que ambas repartiam os melhores tempos, ficando a primeira linha preenchida com o melhor tempo de Dovizioso, seguido de Pedrosa e Marquez a fechar. As Yamaha marcariam lugar na 6ª e 8ª posições. Tudo fazia prever que seria efectivamente uma batalha anunciada.
Mas como início da corrida tudo se transforma e o que parecia acabou por não se concretizar especialmente por culpa de Marquez que tentou passar Smith por dentro, não foi capaz e teve que alargar a trajectória na primeira curva levando a uma saída de pista prematura e a cair para a cauda do pelotão. E estava instalada a surpresa. Na frente Dovizioso seguia com Lorenzo colado a este e com Iannone à espreita. Pedrosa e Rossi, que não fizeram grandes partidas quedavam-se pelas 9ª e 10ª posições. A Ducati tinha assim as portas abertas para conseguir um resultado histórico. Mas Lorenzo veio estragar a festa dos italianos e tomava as rédeas da corrida. Rossi e Pedrosa encetam então uma recuperação que os levará até à 5ª e 6ª posições, sendo que a partir daí Rossi seguiu sozinho uma vez que Pedrosa parecia não conseguir ir além do 5º posto. Na altura já com mais de 1 segundo de diferença para os homens da frente Rossi diminuía a diferença a cada curva. Lá para trás Marquez fazia o mesmo mas à bruta danificando o cabo dos travões de Alvaro Bautista. Depois de Rossi conseguir colar ao grupo da frente foi só uma questão de tempo até começar a pensar em assumir a liderança. Por esta altura só Rossi e Dovizioso pensavam em ganhar uma vez que Lorenzo e Iannone tinham ficado para trás e pelos vistos Lorenzo teria um problema de pneus porque foi ultrapassado por Iannone. Marquez ainda conseguiu ultrapassar Pedrosa mas já não teve forças para mais. O final épico da corrida seria protagonizado por Rossi e Dovizioso que brindaram os nossos olhos com uma luta absolutamente fantástica, plena de táctica, técnica e força bruta e que no final acabou por ser ganha por Rossi. MotoGP voltou a brindar-nos com uma corrida digna do espectador mais exigente. O facto de haver agora grandes valores a correr na categoria rainha ajuda decerto a que isto aconteça. Espera-se um campeonato muitíssimo excitante.

1º Valentino Rossi – Yamaha (25 pts), 2º Andrea Dovizioso – Ducati (20 pts), 3º Andrea Iannone – Ducati (16 pts)

#CNTT : #16ValvulasEntrevista Eduardo Mota sobre os seus planos 30 de Março de 2015

Posted by GonçaloSousaCabral in 16 Válvulas no terreno, Baja 500 Portalegre, Buggy/UTV, Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno, Campeonato do Mundo de Todo-o-Terreno, CPTT, Entrevistas 16Válvulas, Podcast do 16Válvulas.
Tags: ,
add a comment
Eduardo Mota @ foto escolha pessoal

Eduardo Mota @ foto escolha pessoal

Piloto com carreira recente no TT nacional , Eduardo Mota vem dar a conhecer-se neste inicio de temporada.

Assim nos próximos minutos vão poder perceber que as origens de Eduardo, no que ao Desporto Motorizado  diz respeito , estão no Karting que praticou até 2013 quando entrou no TT.

Oportunidade ainda para perceber as ambições para esta temporada , que fica desde já marcada pela vitória na prova de abertura , no “Rota do Douro” , na sua categoria (T2).

No final fica a certeza de que vai estar na luta pela conquista da sua categoria neste ano , depois de ter sido Vice-Campeão em 2014.

Em suma: mais uma importante entrevista , com um valor seguro do TT nacional e que estou certo não vão querer perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

#ELMS Equipas do #European #LeMansSeries testam pneus de #2015 28 de Março de 2015

Posted by Miguel Mousinho in European Le Mans Series, Press Release.
add a comment

As equipas da Dunlop inscritas no European Le Mans Series (ELMS) concluíram os testes da pré-época oficial no circuito Paul Ricard no Sul de França. Foi o primeiro teste para todos os concorrentes com os novos pneus de marca única da Dunlop para as classes GT, sendo que os protótipos de automóveis LMP2 usaram esta oportunidade para recolher informações acerca das melhores configurações para a gama de pneus melhorada.

Dunlop

Dunlop

No total, as equipas percorreram mais de 20.000 km durante as 19 horas que passaram no circuito, fazendo várias testes, na sua maioria simulações de corrida. Os pneus GT e LMP2 foram usados em múltiplos percursos e a precipitação que ocorreu na última sessão permitiu às equipas e condutores experimentar o novo pneu para pisos húmidos GT Sport Maxx e os novos pneus de construção intermédia LMP2, que foram muito bem recebidos.

Os protótipos de Murphy lideraram a sessão matinal de segunda-feira, com um tempo imbatível nos testes, um segundo mais rápido do que a melhor volta das equipas que não estavam equipadas com Dunlop na LMP2. Na sessão da tarde a equipa AT Racing estabeleceu a volta mais rápida em GT.

A partir de agora a atenção vai centrar-se no teste oficial do Campeonato Mundial de Resistência da FIA, a realizar no circuito Paul Ricard com as equipas em pista hoje e amanhã, sábado.

Jean-Felix Bazelin, Director de Operações de Automobilismo:
“Estamos entusiasmados com as perspetivas da nova época e por podermos desempenhar o nosso papel no European Le Mans Series (ELMS). O ELMS é para nós a arena perfeita para demonstrar os nossos pontos fortes bem como o nosso empenho e compromisso nas corridas de resistência. É o melhor local para desenvolver novos produtos e conceitos com vista a alcançar o mais elevado nível de corridas, o que por sua vez se traduz num impacto real na conceção dos pneus para a condução diária em estrada”.

“Passamos muitas horas a trabalhar com as equipas – algumas das quais são novas na sua relação com a Dunlop na época de 2015 – e, em conjunto, temos vindo a aprender como os nossos pneus funcionam com cada um dos seus automóveis de maneira a termos um maior conhecimento disponível quando entrarmos no circuito de Silverstone para realizarmos a primeira corrida daqui a menos de três semanas.”

#Karting : #16ValvulasEntrevista com Frederico Peters sobre a nova temporada 28 de Março de 2015

Posted by GonçaloSousaCabral in 16 Válvulas no terreno, Entrevistas 16Válvulas, FPAK, Karting, Podcast do 16Válvulas.
Tags: , ,
add a comment
Frederico Peters @foto escolha pessoal

Frederico Peters @foto escolha pessoal

A poucas horas de começar a sua nova temporada de Karting , eis a oportunidade  de entrevistarmos  o piloto de Évora , Frederico Peters.

Assim nos próximos minutos vão poder ficar a conhecer as ambições para este jovem que vai participar no Nacional , no Troféu ROTAX e ainda algumas provas em Espanha.

Ocasião ainda para antecipar a prova inaugural da temporada em Viana do Castelo , com o destaque a ser o facto de ter sido o mais rapido na sua categoria nos treinos já efectuados.

No final oportunidade de divulgação dos patrocinadores que tornam possível a presença de Frederico no Mundo do Karting.

Em suma: mais uma interessante entrevista que não devem perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

#CNTT : #16ValvulasEntrevista Filipe Campos que diz “Vou para ganhar a Rota do Douro!” 27 de Março de 2015

Posted by GonçaloSousaCabral in 16 Válvulas no terreno, Buggy/UTV, Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno, CPTT, FPAK, Podcast do 16Válvulas.
Tags: , ,
add a comment
Dupla a ser reeditada@ foto arquivo

Dupla a ser reeditada@ foto arquivo

É o regresso de Filipe Campos ao 16Válvulas , nesta altura em que a época TT de 2015 vai começar.

Assim nos próximos minutos vão poder perceber como surgiu o convite para Filipe estar presente nesta prova no Douro ao volante do Evoque Cattiva , com Jaime Batista como seu navegador .

Oportunidade ainda para uma apreciação de Filipe sobre o Campeonato , nesta nova temporada , em que o destaque vai para a ausência de alguns nomes à partida.

No final fica a porta aberta para mais algum eventual regresso , se o convite certo surgir.

Em suma: mais uma entrevista que não vão querer perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

#WTCC #TiagoMonteiro testa no #Honda #Civic #Algarve 26 de Março de 2015

Posted by Miguel Mousinho in Press Release, WTCC.
add a comment

Tiago Monteiro vai estar na próxima segunda-feira dia 30 de Março no Autódromo Internacional do Algarve ao volante do Honda Civic dando continuação do programa de testes de preparação da época 2015 do WTCC.

Tiago Monteiro

Depois do pódio conseguido na primeira corrida na Argentina e antes mesmo de partir para Marrocos onde vai decorrer a segunda prova da temporada a estrutura da Honda vem a Portugal: “É importante continuarmos a evoluir o carro. Continuamos a perceber onde estão as nossas lacunas e os nossos pontos fortes, por isso há que continuar a trabalhar na direcção certa. O programa de testes prevê três dias em Portugal, sendo que eu apenas estarei em pista na segunda-feira, terça será a vez do Tarquini e na quarta o Michelisz”, disse.

#Dunlop premeia pilotos de #Moto2 e #Moto3 com maior vantagem 26 de Março de 2015

Posted by Miguel Mousinho in 16 Válvulas no terreno.
add a comment

Os Campeonatos do Mundo da FIM de Moto2TM e Moto3TM são reconhecidas a nível mundial como a montra dos melhores jovens talentos do motociclismo mas há outro motivo que os torna tão populares entre os fãs: as inúmeras ações e vantagens conquistadas.

Dunlop

Dunlop

A Dunlop, fornecedor de pneus oficial de ambos os campeonatos, lançou uma nova competição com base nas ultrapassagens, disputas, recuperações e determinação dos melhores pilotos volta após volta na pista.

A classificação #ForeverForward vai ser publicada em http://www.motogp.com após cada corrida e destacará os pilotos que alcançaram os melhores resultados desde a sua posição inicial até à sua posição final. No final do ano, os pilotos (um de cada categoria) que obtiveram o maior progresso durante a temporada, vão receber o prestigiosos troféu Dunlop #ForeverForward.

“Nas épocas anteriores, Moto2TM e Moto3TM foram palco de um espetáculo emocionante para fãs e espectadores que assistiam às provas pela televisão. Perguntámos aos fãs que motivos os levavam a seguir estes campeonatos e disseram-nos que era principalmente pelas ultrapassagens e vantagens conseguidas luta após luta na pista. Num mundo onde muitos campeonatos são criticados por não suscitarem emoções junto dos espectadores, acreditamos que este prémio e o buzz gerado nas redes sociais, vai atrair novos públicos que ficarão rendidos à emoção vivida nestes campeonatos”, disse James Bailey, Diretor de Comunicações Dunlop Motorsport.

A hashtag #ForeverForward vai ser utilizada no Twitter da Dunlop Portugal @Dunlop_Pt e international @DunlopMoto de forma a gerar debates sobre qual é a melhor ultrapassagem e vantagem conquistada da corrida. Todas as segundas-feiras, durante a tarde, ficarão disponíveis em http://www.motogp.com os vídeos que destacarão as melhores ultrapassagens.

Durante 2015, todos os pilotos na categoria média e suave do Campeonato do Mundo da FIM vão continuar a competir com pneus Dunlop. No final da temporada de 2014, a marca e Dorna e renovaram o contrato a longo prazo. Com esta nova temporada será o sexto ano em que a Dunlop fornece os pneus para Moto2™ e o quarto ano para Moto3™.

Moto2™ continua a ser uma categoria ultra-competitiva. Vários pilotos da categoria monomarca Dunlop têm sido capazes de se manter no topo, incluindo o atual campeão da categoria Marc Márquez ou o campeão de Moto2™ em 2013, Pol Espargaró e Scott Redding, que para além de terem passado a fazer parte da competição de MotoGP ™ em 2014, terminaram em posições muito prestigiantes (6º e 12º, respetivamente). Maverick Viñales é o único com experiência em Moto2™ que passa para MotoGP™ em 2015.

Moto3™ foi o único dos três campeonatos MotoGP™ que não foi decidido até ao último minuto em 2014 e terminou com a coroação de Alex Marquez. Jack Miller fez tudo o que estava ao seu alcance até à última corrida em Espanha, mas não foi suficiente vencer. O desempenho de Miller durante a temporada ajudou-o a ganhar um lugar no MotoGP ™, tal como aconteceu com Alex Marquez.

Os motores 250cc de quatro tempos de  estão abertos a diferentes fabricantes ao contrário de Moto2™, onde o motor da Honda tem exclusividade. A Dunlop tem três compostos slick disponíveis e vai selecionar dois dianteiros e dois traseiros para cada corrida.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 3.121 outros seguidores