Espetacular estreia da Dunlop na European Le Mans Series 2014


A Dunlop brilhou nas sessões de qualificação das European Le Mans Series ao ver os seis primeiros carros apurados usarem pneus da marca neste início da temporada de 2014. Harry Tincknell conduziu o Nissan Z11SN da Jota Sport Zytek na pole position com uma importante margem de 1,152 segundos sobre o seguinte carro.

Dunlop
Dunlop

No que respeita à corrida, a Jota Sport liderou a maior parte das quatro horas até ao minuto 50, quando um incidente durante a mudança de Simon Dolan acabou com um forte impacto e a retirada da equipa. Depois de um período de safety car a corrida foi quase reduzida a um sprint para decidir o vencedor entre os seis primeiros na mesma volta.

Thiriet do TDS foi o vencedor, depois do companheiro Tristan Gommendy ter conseguido vantagem frente aos seus adversários e de conquistar a liderança na Race Performance, ao mesmo tempo que o Newblood da Morand Racing tentava alcançar a segunda posição e cruzar a linha a menos de um segundo. A volta mais rápida foi feita por Murphy Prototypes mas a equipa acabou em oitavo lugar depois de sofrer um furo.

Tristan Gommendy, da equipa Thiriet da TDS Racing declara: “Pressionei a fundo – Frey (da Race Performance) tinha pneus novos mas eu conseguia alcançá-lo nas curvas e era mais agressivo. Os nossos pneus estavam na sua segunda mudança mas tinham boa consistência e não estavam demasiado degradados, pelo que pudemos continuar a fazer pressão. Estamos muito contentes com o comportamento dos pneus”. 

O responsável pela Dunlop Motorsport, Mike McGregor, afirmou que “Durante a prova demonstrou-se o rendimento dos pneus, com um ritmo indiscutível. Seis carros Dunlop classificaram-se à frente dos nossos adversários, e durante a corrida três carros equipados por nós estiveram na liderança, quatro ocuparam as primeiras posições depois da linha da meta e seis foram os mais rápidos.”

“A estratégia foi interessante com a nova distância da corrida e as regulações no que respeita ao número máximo de pilotos dependendo da classificação dos mesmos, o que acrescentou complexidade à competição. As nossas equipas tendem a utilizar combinações de compostos médios e rígidos que funcionam bem. Conseguimos fazer mudanças duplas com os pneus rígidos, e tanto duplas como triplas com os médios sem quaisquer problemas, o que funciona durante a competição, tendo em conta o ritmo que as nossas equipas conseguiram”, acrescentou.

Categoria LMP2

O desempenho dos carros equipados com pneus Dunlop foi muito positivo, já que dominaram no primeiro duelo do Campeonato do Mundo de Resistência (WEC), celebrado em Silverstone no passado fim-de-semana. O G-Drive Racing conseguiu a pole na categoria LMP2, com o segundo carro da Dunlop, o KCMG, a persegui-lo de perto. A volta mais rápida da classificação foi 1,5 segundos mais veloz que as dos rivais da Dunlop e o bom ritmo continuou durante o fim-de-semana.

As duas equipas correram com todos os pneus possíveis com condições climatéricas instáveis durante as seis horas de prova e foram os únicos líderes da categoria durante a disputa. No início o G-Drive Racing superava o Morgan-Nissan, mas uma longa pit-stop, para mudar a carroçaria porque as luzes não funcionavam, deixou-o atrás do KCMG Oreca 03-Nissan. A saída do carro de segurança a meio da prova reduziu a diferença entre ambos, o que combinado com uma penalização stop-and-go para o KCMG deu a liderança de bandeja ao G-Drive. Este conseguiu uma vantagem de uma volta no final da prova, que finalmente foi reduzida em 25 minutos devido à forte chuva. Os dois carros rivais na categoria LMP2 não conseguiram disputar nem seguir o ritmo de prova dos carros Dunlop e sofreram problemas, que levaram um deles a estar nove voltas atrás do G-Drive e o outro a abandonar.

“Fui forte com pneus secos no piso molhado. Claro que foi difícil. Em suma, o carro esteve bem e fizemos um bom trabalho para a equipa. O ritmo era bom, mesmo em condições difíceis, foi uma grande condução e pudemos chegar à liderança. É um começo de campeonato perfeito”, declarou Roman Rusinov, da G-Drive Racing.

“As nossas equipas utilizaram todos os pneus possíveis. Usámos ambos os compostos de slicks, fazendo sessões triplas com compostos intermédios. Valeu a pena trabalhar durante o inverno melhorando a remoção da água nos pneus intermédios e no de piso molhado. O nosso ritmo foi inquestionável com tempos em piso molhado que igualam os dos carros a gasolina da categoria LMP1. Também estivemos um segundo por volta mais rápidos que os pilotos que não eram da Dunlop. Como Roman comenta, é um grande começo de temporada” acrescentou Mike McGregor, da Dunlop Motorsport.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s