#Formula1 2014 , GP Espanha Barcelona , by Pirelli


Vitoria de Lewis Hamilton@foto by Pirelli
Vitoria de Lewis Hamilton@foto by Pirelli

APENAS DUAS MUDANÇAS DE PNEUS NUM DOS MAIS DESAFIANTES CIRCUITOS DO ANO

DEPOIS DE UMA ACESA LUTA, AS ESTRATÉGIAS DE PNEUS DITARAM O PÓDIO

NA TERÇA FEIRA, QUATRO EQUIPES TESTAM OS PNEUS PIRELLI, DURANTE DOIS DIAS

Barcelona , 20 de abril de 2014 – Barcelona é reconhecida por ser uma das pistas mais dificeis do ano para os pneus, mas 8 dos 10 primeiros classificados que completaram as 66 voltas do grande prémio, realizaram-no apenas com duas mudanças de pneus. No ano passado o vencedor da corrida parou quatro vezes, sublinhando que os pneus Pirelli de fórmula um no presente ano, possuem novas melhorias e acima de tudo, uma maior durabilidade. Os níveis de desgaste são menores, como também a degradação, sem comprometer o desempenho.

A eficaz estratégia de mudança dos pneus, foi fundamental para Lewis Hamilton (Mercedes) no grande prémio de Espanha, ao conseguir a sua quarta vitória consecutiva, e assim, assumir o comando do campeonato do mundo de pilotos. O piloto Inglês, utilizou os compostos Médio-Médio-Duro, desde a “pole”, para bater o seu companheiro de equipe, Nico Rosberg, por apenas seis décimos de segundo, com uma estratégia diferente de Médio-Duro-Médio. Ambas as estratégias proporcionaram uma emotiva e competitiva luta entre os dois na parte final da corrida, Rosberg, tirou proveito dos seus pneus mais recentes, sendo mais rápido.

O segundo teste de pneus de dois dias, começa na terça feira no circuito de Barcelona, com a Sauber e a Toro Rosso a testarem os pneus Pirelli 2015, no dia seguinte será a McLaren e a Force India.

Paul Hembery (Responsável da Pirelli Motorsport), disse: “ Apesar dos pilotos optarem por diferentes estratégias de pneus, assistimos a batalhas emocionantes ao longo da corrida pelos dez primeiros classificados. Este facto, realça a importância das estratégias na presente época, não apenas no número de paragens nas boxes, mas a ordem dos compostos utilizados, faz a diferença . Após alguma chuva durante a noite, as temperaturas de ambiente e pista arrefeceram um pouco e reduziu a diferença entre os compostos duro e médio. Apesar do circuito de Barcelona ser um dos mais exigentes do ano, o desgaste dos pneus e a sua degradação tiveram sempre controladas, comprovado pelo facto da maioria dos pilotos realizar apenas duas paragens para substituição dos pneus. Isto, é o reflexo do trabalho exaustivo de toda a nossa equipe em Milão e Izmit, desde o ano passado, um grande obrigado para todos eles. Agora, o nosso foco é concentrarmo-nos no segundo teste da presente época, no qual vamos testar e desenvolver os pneus para 2015”.

Os melhores tempos e respetivo composto:

DURO MÉDIO INTERMÉDIO CHUVA
1.º HAM – 1m29.483s VET – 1m28.918s N/A N/A
2.º RIC – 1m30.012s HAM – 1m29.236s N/A N/A
3.º MAG – 1m30.318s HAM – 1m29.898s N/A N/A

Os maiores turnos(n.º de voltas), com os mesmos pneus:

Duro 31 Voltas R Grosjean
Medio 31 Voltas D Ricciardo


Previsões:

Afirmámos que uma estratégia com duas paragens para mudança de pneus era possivel para as 66 voltas da corrida, e o prognóstico era: Iniciar com o composto médio, mudar novamente para o médio à volta 22, e por fim, na volta 45 mudar para o composto duro. Lewis Hamilton seguiu o padrão esperado, no entanto parou mais cedo que o previsto, fê-lo pela primeira vez na volta 18 e na volta 43.

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s