Luta durou até ao fim na Baja TT Oleiros – Proença-a-Nova – Mação


Seria difícil pedir que a Baja TT Oleiros – Proença-a-Nova – Mação tivesse mais motivos de interesse e que prendesse o público atento até aos derradeiros metros. Nos automóveis, depois do prólogo de ontem esperava-se uma intensa batalha entre Ricardo Porém e Miguel Barbosa. E ao longo da manhã a expectativa foi confirmada em absoluto. Os dois primeiros entraram ao ataque e rapidamente se afastaram de toda a concorrência e discutiam a liderança ao segundo. Após a passagem pelos primeiros 159,27kms Porém tinha ganho sete segundos a Barbosa, colocando a diferença entre os dois nuns magros 15 segundos.

Ricardo Porém
Ricardo Porém

Rómulo Branco era um tranquilo terceiro, mas já a mais de três minutos da frente e beneficiava dos problemas de quem vinha atrás de si.João Ramos, em ano de regresso ao Nacional de TT, ficava pelo caminho sem direção assistida no Toyota Rav4, José Mendes tinha problemas de turbo, João Cardoso abandonou com problemas de transmissão e Nuno Tordo, um dos candidatos entre os T2, desistiu com problemas de embraiagem assim, ao final da manhã Alexandre Franco era o melhor dos T2 e Mário Raposo dominava nos T8.

Durante a tarde sucederam-se os golpes de teatro. Primeiro foi Ricardo Porém a dar um toque logo ao quilómetro 15 e a perder muito tempo para Miguel Barbosa, que ao quilómetro 54 estava com uma vantagem de 2m26s sobre o seu adversário e parecia estar já a controlar o andamento, pois nesta altura era Rómulo Branco o mais rápido no segundo SS. Só que antes do 90º quilómetro o hexa-campeão nacional era obrigado a abandonar devido a uma fuga de combustível.

No entanto, a luta pela vitória não acabava aqui, porque devido ao furo, em CP2 Ricardo Porém tinha apenas 15 segundos de avanço sobre Rómulo Branco, o que deixava tudo em aberto para os últimos 42 quilómetros de prova. Só que não houve mais surpresas. O piloto do BMW aumentou a vantagem e ganhou pela segunda vez consecutiva na temporada e isolou-se na frente do campeonato. “Estou muito feliz com esta vitória, que garante a minha permanência na cabeça do Campeonato. Trata-se de um traçado fantástico, muito técnico, menos sinuoso que o ano passado, onde lutámos até final com o Rómulo, que nos deu bastante que fazer até à linha de chegada.

O carro portou-se bem e só apanhámos um susto quando já na segunda passagem demos um toque que nos empenou a porta. Depois defendemo-nos do Miguel, até ele ter parado e começámos a nossa luta com o Rómulo, a

 

 

quem dou os parabéns pela estupenda prova que fez” disse no final o vencedor absoluto da Baja TT Oleiros – Proença-a-Nova – Mação. Rómulo Branco confirmou o segundo lugar com a Toyota Hylux e Enrique Bonafonte acabou por fechar o pódio, mas já a mais de 34 minutos da frente. Alexandre Franco manteve a vantagem na categoria T2 e Mário Raposo fez o mesmo nos T8.

Nas motos, apesar de sair na frente, Mário Patrão controlou sempre a corrida. Logo na passagem pelo primeiro CP o piloto de Góis já estava a ganhar 50 segundos a António Maio e a distância duplicou até ao final do primeiro Sector Selectivo. Interessante era a luta pelo terceiro lugar, com Sebastian Buhler nesta fase a levar a melhor sobre Luís Teixeira por escassos 12 segundos. Da parte tarde a toada manteve-se na frente, com Patrão a continuar a alargar a vantagem para Maio, que no final se cifrou em 4m33s. Já no que diz respeito à luta pelo pódio Sebastian Buhler começou a andar para trás, terminando apenas no sétimo posto. Assim, Luís Teixeira foi terceiro e venceu a categoria TT3, mas Fábio Mota andou bem melhor à tarde e ficou a menos de meio minuto.

Os heróis do Dakar, Ruben Faria e Hélder Rodrigues, terminaram por esta ordem em quinto e sexto. Apesar do atraso na geral Buhler ganhou nos TT1 e Salvador Vargas venceu na Promoção, numa prova muito bem marcada pela organização, que levou os pilotos mesmo a referir que quase não havia necessidade de road-book. “Foi uma corrida muito interessante e competitiva com o desfecho que esperávamos, frente a uma concorrência de respeito. Estavam aqui todos os bons pilotos de motos que vão ao Dakar”, explicou no final Mário Patrão.

Nos Quads, o habitual dominador, Roberto Borrego, teve problemas no primeiro Sector, o que permitiu a Ricardo Carvalho estar na frente ao final da manhã, embora apenas com 10 segundos de vantagem. Da parte da tarde Roberto Borrego não deu hipóteses à concorrência e dominou em absoluto, terminando a Baja Oleiros – Proença-a-Nova – Mação com 1m24s de vantagem sobre Ricardo Carvalho, ao passo que Bruno Ferreira bateu Luís Engeitado por 24 segundos na luta pelo último degrau do pódio. No entanto, após o final da prova, Roberto Borrego foi penalizado em dois minutos e assim a vitória ficou para Ricardo Carvalho.

Francisco Afonso, que ontem após o prólogo era segundo, terminou apenas em oitavo, posição que ainda assim lhe deu a vitória na classe Promoção, enquanto Tiago Dias foi 11º e o melhor na Stock. “Foi com alguma surpresa que recebi a notícia da vitória, pois apesar de ter tentado apanhar o Beto na segunda parte da prova (Beto Borrego foi penalizado com dois minutos por entrada irregular num controlo) um furo fez com que perdesse muito tempo e cortei a meta em segundo. É um prémio para todo o nosso esforço das últimas semanas, pois tenho estado em recuperação e a fazer fisioterapia para recuperar e toda a equipa ajudou e está de parabéns por esta vitória”, explicou no final o vencedor surpresa. Nos UTV/Buggys a emoção durou até ao último metro.

Após mais de 240 quilómetros ao cronómetro, os dois primeiros ficaram separados por apenas cinco segundos, com a vantagem a cair para o lado de Roberto Gallart, com Jorge Monteiro a vender cara a derrota. Os dois beneficiaram dos problemas da parte da tarde de Vítor Santos e da dupla João Lopes/Bruno Santos.

 

 

O pódio foi encerrado por Bruno Martins, que ganhou nos Buggy. “Acho que fui para muitos o  vencedor surpresa, mas estivemos sempre entre os primeiros e na hora certa passámos para a frente. Prova muito bem marcada e bonita para os UTV”, afirmou Roberto Gallart.

Classificações  Finais:

Autos: 1º Ricardo Porém/Jorge Monteiro (BMW Serie 1 Proto),4h50m23s; 2º Rómulo Branco/João Serôdio (Toyota Hylux), a 1m19s; 3º Enrique Bonafonte/António Saraiva (Dacia Duster), a 34m45s.

Motos: 1º Mário Patrão (Suzuki RMZ), 3h20m50s; 2º António Maio (Yamaha YZ 450F), a 4m33s; 3º Luís Teixeira (Yamaha YZ), a 10m55s.

Quads: 1º Ricardo Carvalho (Yamaha YFZ450), 3h27m04s; 2º Roberto Borrego (Yamaha YFZ450R), a 36s; 3º Bruno Ferreira (Yamaha YFZ450R), a 5m46s.

UTV/Buggy: 1º Roberto Gallart (Polaris RZR 1000), 3h43m34s; 2º Jorge Monteiro (Polaris RZR 1000 XP), a 5,0s; 3º Bruno Martins (Rage Comet R), a 1m39s.

Todas as classificações em: http://ecb.cronobandeira.com/index.php?lang=0&evento=1&local=110&rfr=1

Mais fotos disponíveis em breve em: www.escuderiacastelobranco.pt

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s