#Moto3 , #QatarGp , crónica by Aires Pereira


Miguel Oliveira a iniciar a extraordinaria recuperação
Miguel Oliveira a iniciar a extraordinaria recuperação

Grande vitória do francês veterano Alexis Masbou. Uma vitória de persistência e saber. A grande batalha entre a Honda e KTM contínua em 2015. Repete-se a grande velocidade de ponta de Vazquez na Honda e Miguel teve muito azar nesta ronda de abertura. Permanentemente a fazer os melhores tempos nos treinos foi tocado por Bagnaia logo na primeira curva, seguido de queda. Uma pena.

Mais uma vez as Honda conseguiram esconder o jogo até à ronda inicial. O principal opositor das máquinas japonesas foi mesmo Miguel Oliveira que fez consistentemente os melhores tempos dos treinos livres. Ao lado do português tínhamos Kent e Antonelli, ambos em Honda. Mas tudo iria mudar na qualificação, quando os alguns dos pilotos utilizaram o cone de aspiração para obter tempos, nomeadamente Masbou e Viñales, 1º e 2º melhores tempos, acompanhados de Antonelli a fechar a primeira fila. Com esta questão do cone de aspiração Miguel acabou por sair da qualificação com o 8º tempo. Nada de mais, mas como veremos mais à frente, um tempo melhor podia ter evitado o acidente no início da corrida.
A corrida, que como sempre é a primeira das três foi mais uma vez um espectáculo para os olhos. Como já vem sendo hábito desde há 2 anos os pretendentes à vitória final ascendiam a sensivelmente 10 após o excelente arranque do experiente Masbou. A primeira curva trouxe o drama para os portugueses quando Miguel a tentar recuperar do 8º tempo na grelha se coloca no exterior da curva para passar concorrentes e Bagnaia, logo atrás lhe dá um toque na roda de trás causando a queda de Miguel. Com esta queda Miguel ficaria de imediato arredado da luta pela vitória, tendo no entanto conseguido levantar-se, voltar à pista e viria a acabar em 16º lugar, sem conseguir pontuar. Enquanto isto acontecia os líderes da corrida sucediam-se à razão de um por volta. Passaram pela liderança da prova Masbou, Bastianini, Kent, Vazquez, Quartararo, Antonelli, Viñales e Bagnaia. Foi emocionante ver os sucessivos ensaios para a recta da meta, com a tentativa de colocação ideal para atacar a enorme recta da meta até que Kent se fartou e resolveu partir o pelotão levando com ele somente quatro pilotos para discutir a vitória. A luta pela vitória endureceu com o aproximar do fim da prova e na última volta Kent perdeu a liderança para Bastianini que levou a sua moto até perto da linha de meta sendo ultrapassado por Masbou mesmo no final, tendo o francês feito uso do famoso cone de aspiração. Foi uma excelente corrida e mais uma vez Moto3 não desapontou.

1º Alexis Masbou – Honda (25 pts), 2º Enea Bastianini – Honda (20 pts), 3º Dany Kent – Honda (16 pts)… Miguel Oliveira – KTM (0 pts)

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s