#Moto3 : #AssenGP , by Aires Pereira


Miguel em direcção da meta
Miguel em direcção da meta

 

Depois de comer marisco não queremos outra coisa. É o princípio que se pode aplicar a Miguel que logo após vencer a sua primeira prova no mundial de velocidade em Mugello, resolveu repetir a dose em Assen onde é notório o seu à-vontade com o circuito. Miguel está finalmente na frente da corrida para o ceptro de Moto3 com o seu terceiro lugar a escassos 6 pontos do segundo. Miguel tem o que é preciso, basta acreditar!

 

É conhecida a preferência de Miguel Oliveira por este circuito onde na época passada conseguiu o pódio com a Mahindra. Miguel está num excelente momento de forma e veio à Holanda aproveitar essa moral para levar de vencida o GP celebra 85 anos de existência e que em 2016 passará, pela primeira vez a realizar-se ao domingo, largando o sábado que a caracterizava. Curiosamente os três melhores tempos das três primeiras sessões pertenceram a Kent, Fenati e Navarro, exactamente por esta ordem. Miguel não conseguia responder à altura quedando-se pelos lugares mais abaixo. Contudo estes resultados alteraram-se na qualificação com Bastianini a conseguir superiorizar-se e a obter a pole position. Navarro colocava a sua Honda no segundo posto e Hanika fechava a primeira fila. Kent abria a segunda fila com o 4º tempo e Miguel fechava com o 6º tempo.

Normalmente o piloto luso faz bons arranques e desta feita Miguel conseguiu mesmo fazer a primeira curva à frente do pelotão liderando a corrida uma excelente ascensão do 6º lugar na grelha para a liderança. Como é típico em Moto3 o pelotão que segue o líder e que consequentemente disputa o lugar mais alto do pódio é enorme e Assen não foi excepção. Miguel manteve-se sempre nos primeiros lugares com a companhia de Quartararo, Kent, Vazquez, Navarro, Binder, Fenati e Bastianini para só referir os primeiros. As posições dos pilotos varavam com cada curva que faziam e os motores de 250cc faziam maravilhas numa pista em que o cone de ar é praticamente inexistente. Assim a história da corrida é praticamente a história das ultrapassagens e das recuperações. Uns mais fortes nas rápidas curvas deste sinuoso percurso, outros mais lestos nas travagens levavam o credo na boca a cada curva. Miguel nitidamente mais agressivo nas ultrapassagens, defendendo muito bem as linhas de ultrapassagem e mais crente no seu potencial logrou chegar à última curva na liderança não dando hipótese à concorrência. Quartararo ultrapassaria Kent mesmo no fim ficando no 2º lugar e Kent defendia a sua ampla liderança no mundial com o 3º lugar. Uma palavra para Niklas Ajo (filho do patrão da equipa de Miguel) que mesmo no fim salvou uma brutal queda atravessando a linha de meta de joelhos agarrado à moto, muito ao estilo de Randy Mamola!

 

1º Danny Kent – Honda (165 pts), 2º Enea Bastianini – Honda (108 pts), 3º Miguel Oliveira – KTM (102 pts)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s