@F1 : @ItalianGp segundo a @Pirelli


GP ITALIA F1/2016 - MONZA (ITALIA) 04/09/2016 © FOTO STUDIO COLOMBO PER PIRELLI MEDIA (© COPYRIGHT FREE)
GP ITALIA F1/2016 – MONZA (ITALIA) 04/09/2016 © FOTO STUDIO COLOMBO PER PIRELLI MEDIA (© COPYRIGHT FREE)

PILOTO DA MERCEDES, NICO ROSBERG, VENCE EM MONZA COM ESTRATÉGIA DE UMA PARAGEM E PNEUS MACIOS-MÉDIOS

TODOS OS TRÊS COMPOSTOS FORAM UTILIZADOS NA CORRIDA NUM MISTO DE ESTRATÉGIAS DE UMA E DUAS PARAGENS

CAMPANHA PIRELLI DE TESTES DE PNEUS PARA 2017 REGRESSA ESTA SEMANA COM A FERRARI E A MERCEDES EM PISTA

 O piloto da Mercedes, Nico Rosberg, venceu o Grande Prémio de Itália ao partir em segundo lugar na grelha recorrendo à estratégia de uma paragem – que tem sido igualmente a estratégia vencedora em anos recentes – e começando com pneus P Zero macios amarelo, trocando posteriormente para P Zero médio a meio da corrida. O seu colega de equipa, Lewis Hamilton, terminou em segundo lugar com uma estratégia idêntica.

De facto, Rosberg e Hamilton foram os únicos pilotos que se qualificaram no Top 10 a começar a corrida com pneus macios, o que lhes deu a possibilidade de realizar um primeiro turno mais longo do que aqueles que optaram por supermacios. Este fator foi a chave “estratégica” na luta pelo pódio.

Como era esperado, foi observada uma grande variedade de estratégias de uma e duas paragens ao longo da corrida, com os dois Ferraris a seguir estilos de corrida idênticos: dois turnos iniciais com supermacios seguido de um turno com macios.

Daniel Ricciardo em Red Bull, optou pela estratégia alternativa de duas paragens, recorrendo aos pneus supermacios no fim da corrida de forma a atacar o piloto da Williams, Valtteri Bottas, com pneus macios. Outra estratégia alternativa foi a de Romain Grosjean: o único piloto a terminar a corrida com uma estratégia macios-supermacios.

Esteban Ocon em Manor, foi o único piloto a começar a corrida com pneus médios. Isto significa que, pela segunda corrida consecutiva, todos os três compostos nomeados marcaram presença na grelha de partida, assim como na meta, tendo apresentado uma excelente performance desde o inicio até à bandeira axadrezada.

Paul Hembery, Pirelli Motosport Director: “As estratégias tiveram um papel fulcral nesta corrida decorrida em casa, com uma partida excitante focada maioritariamente nas táticas de pneus. Embora o Lewis Hamilton tenha perdido a vantagem da pole position ao início, a estratégia de pneus significou o seu segundo lugar ainda antes da metade da corrida e a sua capacidade de o manter. A partir daí foi uma batalha estratégica pelo pódio entre os dois Ferraris. Antes do próximo Grande Prémio em Singapura, esta semana iremos trabalhar arduamente em Barcelona com a Ferrari e em Paul Ricard com a Mercedes a fim de dar continuidade aos testes de pneus para 2017.”

Os melhores tempos do dia por composto:

Médio Macio Supermacio

Primeiro HAM 1m26.303s RAI 1m26.016s ALO 1m25.340s

Segundo ROS 1m26.599s VET 1m26.310s RIC 1m25.919s

Terceiro ERI 1m28.552s VER 1m26.405s BUT 1m26.354s

OS TURNOS MAIS LONGOS DA CORRIDA POR COMPOSTO:

Médio Ocon 32 voltas

Macio Grosjean 28 voltas

Supermacio Grosjean 24 voltas

A NOSSA PREVISÃO: Antevimos que as duas paragens seriam, teoricamente, a solução mais rápida (adotada pela Ferrari), mas a Mercedes conseguiu tornar a estratégia de uma paragem – a segunda solução mais rápida em papel – em vencedora. Rosberg seguiu o formato de uma paragem como era esperado, começando com macio e trocando para médio na 24ª volta.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s