#F4 : #16ValvulasEntrevista Bruno Carneiro , nome a fixar!

Bruno Carneiro@ foto escolha pessoal
Bruno Carneiro@ foto escolha pessoal

O meu entrevistado de hoje tem 17 anos mas já é uma aposta segura para o futuro.

Chama-se Bruno Carneiro e nasceu no Brasil mas desde muito novo foi para os E.U.A. onde começou no Kart e tem feito uma carreira regular , com importantes conquistas que lhe permitiram ir para a Fórmula 4 na China onde esteve em destaque o que lhe valeu presença na Gala da F.I.A.

Nesta entrevista ficam a conhecer um pouco mais deste jovem com cara de míudo , onde nos revela ainda ambições para um futuro no “Motorsport” , quem sabe até na Fórmula1!

Em suma: mais uma entrevista para guardarem pois vão de certo ouvir falar neste nome no futuro. Aposta 16Válvulas!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

#WTCC : #16ValvulasEntrevista Paulo Maria sobre fusão de #fotografia e #Motorsport

Paulo Maria@ foto escolha pessoal
Paulo Maria@ foto escolha pessoal

Mais uma vez o 16Válvulas apresenta em entrevista outro dos protagonistas do espetaculo do Desporto Motorizado : os fotógrafos.

Nesta ocasião trazemos até vós aquele que é unanimamente considerado um dos fotógrafos de top na elite Mundial. Falamos do português Paulo Maria.

Assim nos próximos minutos vão poder perceber o seu percurso desde o Rali de Portugal dos anos 90 quando acompanhava os troços de Arganil até aos dias de hoje onde se divide entre o WTCC , WRX , TT e até FórmulaE , numa carreira onde comemora quase um quarto de século.

Ocasião ainda de percebermos um pouco das ferramentas que utiliza no seu trabalho e que lhe faz produzir trabalhos fotográficos de qualidade ímpar.

Em suma: mais uma entrevista que nos orgulhamos de apresentar com um dos portugueses mais conhecidos a nível do Desporto Motorizado Mundial e que não devem perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas!

 

 

 

#Blancpain GT Series: Pneu furado com Jimenez tira Audi #3 dos pontos

Na melhor performance de Rodrigo Baptista nas etapas de sprint do Blancpain GT Series, o Audi #3 viu os pontos escaparem em Hungaroring a menos de cinco minutos da bandeirada em virtude de um pneu furado quando Sergio Jimenez disputava a oitava posição na prova que marcou a primeira passagem do maior evento de Gran Turismo do automobilismo mundial pelo travado circuito de Budapeste.imagem_release_735863

Foi um desfecho amargo para uma bela jornada de recuperação da dupla brasileira no fim de semana, que contou com nada menos que 35 carros na travada pista húngara.

“O resultado hoje não traduz nosso desempenho”, resumiu Jimenez após a prova.

“Saindo de 15o, o Rodrigo largou muito bem, passou os caras na pista e brigou de igual para igual. Nosso pit foi fantástico, matamos a pau na troca de pilotos e ganhamos o prêmio de melhor pit da corrida. Vinha em oitavo quando começou a soltar o spliter, então o carro perdeu performance até ele voar e furar o pneu faltando poucas voltas. Foi uma pena, mas estou muito contente porque foi nossa melhor prova de sprint no ano. O Rodrigo cresceu muito hoje, muito mesmo! E com essa evolução logo vamos brigar pelo pódio com as outras duplas, compostas de profissionais com muita experiência”, avaliou.

De fato, o desempenho do novato chamou atenção desde a largada. Alinhando a máquina de 585 HP por dentro na oitava fila, Baptista defendeu bem a trajetória na linha interna da curva 1 e, com astúcia, deixou dois adversários para trás logo no início. Então abriu a segunda volta passando o Audi #2 no fim da reta, antes de pressionar a Lamborghini que vinha à frente, inclusive usando farol alto.

Na terceira volta a prova entrou em “full course yellow” para remoção de um carro estacionado em área de escape. Relargou a 45 minutos da bandeirada, com Baptista já em 11o, no mesmo ritmo dos líderes e controlando com personalidade os ataques do Bentley #8.

Ele entrou nos pits na abertura da volta 15, ocupando a quarta posição. Depois de uma troca muito eficiente da equipe belga WRT, Jimenez retornou à pista imediatamente à frente do Audi #4. Segurou o companheiro de equipe na primeira curva, mas o concorrente vinha com pneus mais aquecidos e o holandês Robin Frinjs conseguiu passar na curva seguinte.

Finalizada a janela de paradas obrigatórias, o Audi #3 era décimo, já na zona de pontuação. Na volta 22 Jimenez avançou mais uma posição e novamente se aproximou do Audi #4 para duelar pelo oitavo posto.

Na 28a passagem, já sem o melhor desempenho, ele passou a se concentrar mais em uma trajetória conservadora para defender o nono lugar dos dois Bentleys que vinham muito velozes atacando as zebras logo atrás. Até que caiu o assoalho do carro em plena reta dos boxes a quatro minutos do fim.

Acabava ali a melhor performance da única dupla brasileira no campeonato.

“Hoje conseguimos melhorar bem o carro em relação ao sábado, então consegui manter um bom ritmo, ganhar posições. Acho que foi minha melhor corrida até hoje e sinto que estou evoluindo bem a cada prova”, comentou Baptista, destacando a dificuldade de galgar o pelotão numa pista travada como a da Hungria e numa prova disputada com temperatura ambiente na casa dos 34oC.

Na véspera, o Audi #3 já havia dado sinais positivos na qualifying race. A meta da dupla era trabalhar bem na tomada de tempo, para largar nas primeiras filas –diante da proverbial dificuldade em ultrapassar na Hungria.

Conseguiram avançar para o Q3 e entrar na disputa da pole pela primeira vez no ano, mas não tinham mais pneus zero para usar na fase final do treino, de modo que largaram em 18o.

Jimenez ganhou uma posição na largada e, depois da bandeira amarela da segunda volta, foi hábil na relargada para avançar até 15o. Entrou no box para a troca obrigatória em 11o e, finalizada a janela de pits, Rodrigo era o 13o.

“Já no sábado o Rodrigo estava rápido e disputando bem no bloco que lutava para terminar nos pontos. Mas no fim o carro ficou traseiro e foi impossível seguir na briga, finalizando em 15o. Mas foi importante para apontar para onde precisávamos mudar o acerto no domingo, o que deu certo”, observou Jimenez.

O próximo desafio da dupla acontece nos dias 17 e 18 de setembro em Nurburgring, na prova de encerramento da temporada de endurance do Blancpain GT Series.

#Blancpain GT Series: Rodrigo Baptista tem atuação de gala e conquista primeiro pódio

Uma atuação perfeita para uma corrida de Endurance.

imagem_release_686913
Filipe Albuquerque, Jan Magnussen e Rodrigo Baptista (esquerda para direita) 

Assim pode ser definida a participação de Rodrigo Baptista, que, neste sábado, subiu ao pódio pela primeira vez no Blancpain GT Series, na terceira colocação dos 1000 km de Paul Ricard, na França, após seis horas de corrida e intensas disputas. A prova contou com nada menos que 57 carros no grid. Aos 19 anos de idade, o paulista era o segundo mais jovem entre os 171 competidores inscritos.

O trio do Audi #3, que além de Baptista tinha o dinamarquês Jan Magnussen e o português Filipe Albuquerque, galgou terreno depois da 20ª colocação nos treinos com um ritmo forte, consistente, mas sem desgastar os pneus e equipamento, e acabou recompensado no fim. Foi o melhor carro da Audi na classificação final depois de 166 voltas. A vitória ficou com a McLaren #58 e o segundo lugar com a Ferrari #50.

O resultado rendeu ainda os primeiros pontos de Rodrigo no campeonato -19 ao todo, pois a segunda prova mais longa do calendário distribui pontuação mais farta que as provas de 3 horas.

O brasileiro pegou o carro na 13ª posição no fim da primeira hora de corrida, que teve Magnussen ao volante. Baptista pilotou nos dois stints seguintes, chegou a estar entre os dez primeiros, e entregou o carro na metade das seis horas de prova em 11º, para Magnussen –que nesta etapa substituiu Sergio Jimenez na tripulação do carro preparado pela equipe WRT, a atual campeã do principal evento de Gran Turismo do planeta .

A paciência do trio e ritmo constante do Audi R8 LMS de 585 HP permitiram ao veterano piloto dinamarquês chegar ao sétimo lugar, graças a ultrapassagens e punições a outros pilotos.

Já à noite, Filipe Albuquerque pegou o carro nas duas últimas horas. Enquanto outros carros iam diminuindo o ritmo, o português manteve um andamento parecido com os de seus parceiros e chegou ao Top 5 faltando 1h30 de prova.

Com uma ulrapassagem e o incêndio nos boxes durante o pit stop do Bentley #8, então líder da prova, o Audi #3 chegou a terceiro. O espanhol Andy Soucek ainda pressionou na volta à pista com o Bentley, mas Albuquerque garantiu o pódio do trio com 10 segundos de vantagem.

“Foi sensacional! Meu primeiro pódio aqui. Foi uma prova de recuperação, saindo de vigésimo”, resumiu o piloto paulista de 19 anos de idade, que é o mais jovem vencedor da Copa Petrobras de Marcas.

“O quali foi meio complicado, mas a gente sabe que o carro é bom para a corrida. Então conseguimos ser consistentes e ganhar muitas posições. A sorte, que faltou em outras etapas, hoje também esteve um pouco do nosso lado. Fizemos um trabalho muito bom nos pits e na pista. Hoje deu tudo certo e o pódio foi a recompensa”, frisou Baptista.

O próximo desafio de Rodrigo Baptista, que terá de volta o companheiro Sérgio Jimenez após conflito de datas com a Stock Car, será no próximo fim de semana, com a rodada de Nürburgring (Alemanha) pela categoria Sprint do Blancpain GT Series.

Mesmo do outro lado do Atlântico, Jimenez não desgrudou o olho do computador. Finalizada a tomada de tempo para a prova de  Tarumã, o piloto de Piedade (SP) acompanhou as horas finais dos 1000 km de Paul Ricard, última prova preparatória para as 24 Horas de Spa, o principal evento do calendário do Blancpain GT Series.

“Nós fomos fortes em Monza. Fomos muito fortes em Silverstone. Agora concretizou o resultado”, disse Jimenez. “Em Spa vamos para cima, com muita confiança. Parabéns ao Rodrigo e a todos na equipe WRT pelo resultado. Tenho certeza de que este é o primeiro pódio, de uma série que vem pela frente.”

#Blancpain GT Series: Top5 escapa de Jimenez-Baptista-Albuquerque por 5s desperdiçados no pit-stop

A meta de Sergio Jimenez, Rodrigo Baptista e Filipe Albuquerque era levar o Audi R8 LMS #3 ao top10 nas 3 Horas de Silverstone. Protagonista da segunda etapa de endurance de 2016 desde os treinos livres, o trio sustentou o mesmo ritmo dos ponteiros durante a corrida inteira. Isso motivou uma estratégia ousada da equipe WRT, a atual campeã do Blancpain GT Series.imagem_release_657199

Mas a perda de 5s no último pit-stop acabou gerando punição por drive-thru, o que, combinado com uma longa intervenção do safety-car a menos de 30 minutos do fim, derrubou o trio luso-brasileiro para vigésimo lugar no geral e 17º na classe Pro, a principal do maior evento de Gran Turismo do automobilismo mundial.

Pelo regulamento da prova, as paradas nos boxes precisam ter menos de 1min10s ou mais de 1min35s. A WRT aproveitou a ocorrência de um “full course yellow” (ou safety-car virtual, em que todos os carros precisam andar a 80 km/h) e chamou Baptista para completar o tanque de combustível após 1h40min de prova.

“Fizemos em menos de 1:10 e voltei para a pista. Mas aí a troca seguinte, para entrada do Filipe Albuquerque precisaria ser abaixo de 1:10. Mas levou 1:15. Então tomamos punição e perdemos a volta do líder. Foi uma pena, porque eu estava bem atrás do carro #99, que terminou em quarto. E depois da relargada, no fim, o portuga passou o #16 e abriu bastante. Então a gente estava mais rápido que o terceiro colocado, só que uma volta atrás”, contou o piloto paulista de 19 anos de idade.

“São circunstâncias de corrida. Mas foi nossa melhor performance do ano e isso anima para a sequência do campeonato”, observou Jimenez.

Foi ele o primeiro a conduzir o Audi #3. O paulista de Piedade largou em oitavo e sustentou a posição nas primeiras voltas. Após dez minutos de prova, vinha em sétimo. Então passou a gerenciar o consumo do motor de 585 HP do Audi R8 LMS. Era décimo quando os concorrentes começaram a fazer a primeira rodada de paradas no box, na volta 27.

Jimenez conseguiu permanecer na pista até a volta 32, entrando no box em quarto para entregar o carro a Baptista, após pouco mais de uma hora de corrida.

O mais jovem vencedor da Copa Petrobras de Marcas, que fez em Silverstone sua quarta corrida de GT aos 19 anos de idade, sustentou a nona posição até metade da prova. Com 1h40min, ele vinha em 11º, também poupando combustível. Então a direção de prova determinou o “full course yellow” para remover detritos na pista. Baptista passou pelo pit para uma parada de reabastecimento de combustível apenas. Saiu em vigésmo lugar.

Com 1h58min de prova, ele vinha em 19º quando foi chamado para entregar o carro a Albuquerque. O português deixou os pits em 25º e, em questão de dez minutos, avançou para 15º.

Então veio a punição que dinamitou as chances de pódio da tripulação do Audi #3. O português foi obrigado a passar pelo box, caindo para vigésimo lugar e perdendo a volta do líder.

A 40 minutos do fim da prova, o safety-car precisou intervir para remoção de uma Lamborghini parada em local de risco após quebra.

Até a reorganização do pelotão de 52 carros, a bandeira amarela durou eternos 20 minutos. O Audi #3 era o terceiro da fila, em vigésimo lugar.

Albuquerque deu passagem para dois adversários, mas logo percebeu que vinha mais rápido que o carro #16. Passou a Lamborghini de Jeroen Bleekenmolen e abriu.

Mas o total de quatro passagens pelo box –contra duas dos carros que acabaram no pódio– não fez justiça à performance do Audi #3 em Silverstone.

A próxima etapa do campeonato acontece no dia 25 de junho, em Paul Ricard (França), para mais uma jornada de endurance.

#16Valvulas : O Desporto Motorizado não mais vai voltar a ser o mesmo!

logo 16va

 

 

Agora é oficial!

 

O Desporto Motorizado vai passar a ter uma nova ferramenta de divulgação.

 

Assim é com orgulho que anunciamos o regresso de um dos Programas de Radio sobre Desporto Motorizado mais antigos do país.

Aos Domingos o ponto de encontro dos amantes do chamado Motorsport é na Radio Telefonia do Alentejo , no Programa 16Válvulas.

-Programa de uma hora de duração emitimos entre as 9 e as 10 da manhã com repetição na programação da RTA e posterior disponibilização em Podcast.

A apresentação e realização vão estar a cargo de Gonçalo Sousa Cabral e António Ribeiro.

Mais detalhes aqui:

Pagina oficial

@EuropeanLMS : #16ValvulasEntrevista @AlbuquerqueFil sobre as #4hEstoril

Filipe em ação@ foto PR oficial
Filipe em ação@ foto PR oficial

 

Tal como é tradição o 16Válvulas foi entrevistar Filipe Albuquerque.

Desta vez o pretexto foi a final das European Le Mans Series em Portugal , competição onde Filipe luta pelo título.

Assim falámos não só da maneira como a equipa JOTA prepara a prova de dia 18 de Outubro , mas também a abordagem pessoal de Filipe que indica que a posição de líderes da classificação dá confiança , mas serve também de estímulo pois nada está para já conquistado.

Oportunidade ainda para uma abordagem aos testes que fizeram hoje no Estoril.

No final efetuámos algumas conjunturas para perceber quais as prioridades da equipa no que aos pilotos e seus turnos diz respeito , apontando Filipe a preferência para ser Simon Dolan a efetuar a partida e propondo nós que Filipe Albuquerque ficasse para o ultimo turno para receber a bandeirada de chegada como Campeão…

Em suma: mais uma entrevista com Filipe Albuquerque que muito nos agrada e que estou certo, não vão querer perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

@GTAcademy : #16ValvulasEntrevista Fabio Ramalhinho , vencedor da edição portuguesa 2015

 

Fabio Ramalhinho (à dta) @ foto escolha pessoal
Fabio Ramalhinho (à dta) @ foto escolha pessoal

 

Continuando na senda da carreira de Miguel Faísca , há mais um jovem que quer ser campeão do Mundo da GT Academy.

Trata-se de Fabio Ramalhinho , natural de Évora e que acaba de conquistar o Nacional da GT Academy , num duelo emocionante decidido à décima.

É precisamente esse “piloto” que está hoje no 16Válvulas numa entrevista onde fala do percurso até essa final , iniciado com uma consola PlayStation e um simples comando.

Nesta ocasião ficamos ainda a perceber que o próximo passo para este sonho será a presença nas finais mundiais no Circuito de Yas Marina em Abu Dhabi para onde parte em breve.

No final oportunidade ainda de percebermos quem são os ídolos deste jovem eborense.

Em suma: mais uma entrevista interessante com quem segue um sonho e que não devem perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

@BlancpainGt : #16ValvulasEntrevista Alex Moiseev sobre a sua carreira e sobre a @KL_motorsport *

Alex Moiseev @ foto escolha pessoal
Alex Moiseev @ foto escolha pessoal

Oportunidade para mais uma entrevista internacional , aqui no 16Válvulas.

Desta vez apresentamos o piloto russo Alex Moiseev que vem nos contar tudo não só sobre a sua carreira , mas também a ligação à Ferrari.

Oportunidade de ficarmos a conhecer um pouco mais sobre a ligação da empresa de segurança onde trabalha , Kaspersky e a Scuderia Ferrari , numa parceria já com uns anos , mas que promete mais novidades.

Ocasião ainda de falarmos sobre os planos para o futuro , tanto a nível pessoal como as ambições da Kaspersky de levar o piloto por eles apoiado , Antonio Fuoco até à F1.

No final ficam algumas palavras sobre Portugal e os pilotos portugueses.

Em suma: mais uma interessante e importante entrevista que não devem perder por nada!

Cliqum AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas