#WTCC : #16ValvulasEntrevista Paulo Maria sobre fusão de #fotografia e #Motorsport

Paulo Maria@ foto escolha pessoal
Paulo Maria@ foto escolha pessoal

Mais uma vez o 16Válvulas apresenta em entrevista outro dos protagonistas do espetaculo do Desporto Motorizado : os fotógrafos.

Nesta ocasião trazemos até vós aquele que é unanimamente considerado um dos fotógrafos de top na elite Mundial. Falamos do português Paulo Maria.

Assim nos próximos minutos vão poder perceber o seu percurso desde o Rali de Portugal dos anos 90 quando acompanhava os troços de Arganil até aos dias de hoje onde se divide entre o WTCC , WRX , TT e até FórmulaE , numa carreira onde comemora quase um quarto de século.

Ocasião ainda de percebermos um pouco das ferramentas que utiliza no seu trabalho e que lhe faz produzir trabalhos fotográficos de qualidade ímpar.

Em suma: mais uma entrevista que nos orgulhamos de apresentar com um dos portugueses mais conhecidos a nível do Desporto Motorizado Mundial e que não devem perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas!

 

 

 

#ELMS : #16ValvulasEntrevista Miguel Faísca sobre #Estoril mas também sobre a sua carreira

Miguel Faisca @foto escolha pessoal
Miguel Faisca @foto escolha pessoal

Eis o regresso de Miguel Faísca ao 16Válvulas.

Desta vez optámos por perceber o percurso trilhado pelo jovem piloto desde a corrida de 2014 no Estoril até este fim-de-semana onde participou na categoria LMP3 do ELMS.

Ocasião ainda de falarmos sobre o que Miguel pretende para 2017 , não ficando excluída a presença em competição em Portugal…

Em suma: mais uma importante entrevista com um talento seguro do Desporto Motorizado português e que não deve perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

 

#ELMS: Equipas Dunlop decidem títulos ELMS no Estoril

O circuito português do Estoril vai receber, a 23 de outubro, a última corrida do European Le Mans Series (ELMS). Nesta corrida decisiva, as equipas Dunlop preparam-se para um combate de quatro horas, que decidirá os vencedores em ELMS geral e na classe GTE para 2016.

logo-dunlop1
Dunlop

A superfície da pista do Estoril é a mais agressiva do calendário, principalmente se a temperatura estiver elevada. Para 2016, a Dunlop focou-se em melhorias que permitissem minimizar estes problemas e, através dos compostos médio e médio-plus, ampliou a sua gama de opções estratégicas de divisão de compostos para otimização do rendimento dos pneus.

LMP2

Na categoria aberta a diferentes fabricantes, todas as equipas que competem com pneus de fabricantes rivais ficaram fora das opções ao título na última corrida. Dos seis primeiros classificados, todos equipados com Dunlop, apenas três podem aspirar ao título de campeão. A Thiriet by TDS Racing (Oreca) lidera com 92 pontos, tendo até agora vencido três das cinco corridas já disputadas. Seguem-se os vencedores de Silverstone, a equipa de Gibson G-Drive Racing, com menos 14 pontos, e a BR01 de AF Corse, que possui apenas uma reduzida hipótese de ganhar: é necessário que vença e que a TDS Racing não pontue.

LM GTE

A categoria monomarca com pneus Dunlop é liderada por um triplo vencedor: a JMW Motorsport (Ferrari). A única equipa rival no campeonato é a Aston Martin Racing Vantage, que necessitaria de reduzir a desvantagem de 20 pontos, com 26 disponíveis, para a vitória e pole position.

Repartição de pneus

Em 2016, a Dunlop atribuiu as opções médio e médio-plus para LMP2. Na classe LM GTE, disputada só com pneus Dunlop, as equipas mantêm a especificação padrão da temporada, igualmente os compostos médio e médio-plus.

Mike McGregor, Diretor de Testes e Apoio de Pista da Dunlop

“O Estoril é um local muito exigente para os pneus e a nossa repartição de 2016 possibilita às equipas uma grande variedade de opções no que se refere às melhores escolhas de afinação e estratégia. As curvas parabólicas colocam muitos problemas aos pneus, pelo que mudar os pneus esquerdos apenas para algumas paragens pode ser uma boa estratégia para muitas equipas”.

“Quanto ao campeonato, a TDS deverá vencer, desde que chegue ao fim. Se conseguir, será o segundo título ELMS/Dunlop, após a vitória em 2012. A equipa Jota ainda não conta com nenhum título, apesar de terem vencido em Le Mans. Se a TDS tiver dificuldades e a G-Drive Racing, dirigida por Jota, acaba por ganhar o campeonato, será uma vitória muito importante para a Dunlop, já que colaboramos com eles desde a sua primeira participação em LMP1, em 2005”.

As 4 horas do Estoril para o European Le Mans Series começam às 12.30h de domingo, 23 de outubro.

A lista de concorrentes, incluindo as equipas Dunlop, pode ser consultada aqui.

European Le Mans Series – Pneus Dunlop 2016

LMP2 – Especificação definida (macio, médio, médio-plus, intermédio, piso molhado)

  • Competição de pneus aberta a diferentes fabricantes;
  • Duas das três especificações de piso seco indicadas para cada prova;
  • Pneus permitidos para a corrida de 4 horas: 5 conjuntos mais dois pneus soltos.

A gama de LMP2 é a mesma gama nova utilizada no WEC. As condições meteorológicas da Europa, geralmente mais fria, juntamente com a melhoria das janelas de trabalho, tendem a favorecer o uso das opções macia e média em ELMS.

LMGTE – Todas as classes Dunlop (médio, médio-plus, intermédio, piso molhado)

  • Pneus controlados/marca única para os três fabricantes representados;
  • Pneus permitidos por prova de 4 horas: ilimitado;
  • Pneu intermédio introduzido para 2016;
  • Gama confidencial de pneus para 2016: uso controlado com melhor desempenho.

A gama de ELMS LMGTE Pro é completamente nova este ano e foi concebida especificamente para ELMS, com destaque para melhorias no desempenho e na consistência. A introdução do pneu intermédio da Dunlop vai permitir diminuir os custos das equipas e aumentar as opções estratégicas durante as corridas com condições meteorológicas mistas.

#Porsche vence #24Horas #LeMans

A 84ª prova das 24 Horas de Le Mans será recordada para sempre pelo seu dramático final a 19 de Junho de 2016. A Porsche levou para casa a sua 18ª vitória quando o Toyota, que liderava, desistiu na última volta.

O ritmo na frente da corrida no duelo com o construtor japonês e as constantes trocas de liderança na prova, obrigou tudo e todos a irem para lá do limite. Oliver Blume, Presidente do Concelho executivo da Porsche AG, testemunhou o acontecimento a partir das boxes da equipa: “O que aconteceu em Le Mans é praticamente incompreenssível. Desde a primeira à ultima volta, esta corrida foi uma competição de nível extremo em termos de desporto e tecnologia – e entusiasmante, também. A prova pediu o máximo dos nossos veículos, dos nossos pilotos e da nossa equipa. Ora estávamos na liderança ou a tentar reduzir a distância para a Toyota. Lutámos até ao fim e nunca desistimos. O espírito foi recompensado no final. Temos um enorme respeito pela Toyota.”
 A equipa vencedora, Romain Dumas (FR), Neel Jani (CH) e Marc Lieb (DE) no carro nº2 completou 384 voltas (5.233,54 quilómetros).
 O carro nº2 liderou a corrida durante 51 voltas. O carro nº1 , de Timo Bernhard (DE), Brendon Hartley e Mark Webber (AU) liderou durante 52 voltas no primeiro terço da corrida.
 Devido a muitas fases com velocidade reduzida causadas por periodos com safety car e zonas lentas, a distância percorrida na prova foi de quase menos 150 quilómetros comparativamente a 2015.
Por 327 das 384 voltas, o carro nº2 conseguiu obter o ritmo máximo de corrida. Em 57 voltas, nem o safety car estava na pista ou pelo menos nenhuma das denominadas zonas lentas estava assinalada – isto significa que eram permitidas velocidades de apenas 80 km/h, por razões de segurança, em determinados pontos dos 13,629 km do circuito.
 No total a prova viu quatro periodos de safety car (16 voltas) e 24 zonas assinaladas como lentas.
 O carro nº2 gastou um total de 38 minutos e cinco segundos nas boxes para reabastecimento e troca de pneus. Devido à troca da bomba de água e reparações dos danos dessa consequência, o carro nº1 esteve nas boxes um total de duas horas, 59 minutos e 14 segundos.
 A média de velocidade do Porsche 919 Hybrid vencedor foi de 216.4 km/h.
 A velocidade máxima de um Porsche 919 Hybrid em corrida foi 333.9 km/h, alcançada por Brendon Hartley na volta nº50.
 O Porsche 919 Hybrid recuperou e utilizou 2,22 kWh (8 megajoules) por volta. Se fosse uma central elétrica, uma casa de família conseguia fornecimento de energia elétrica durante 3 meses.
 O carro nº2 foi reabastecido 30 vezes, o carro nº1 , 20 vezes.
 O carro nº2 utilizou 11 jogos de pneus na corrida. O primeiro jogo de pneus foi de chuva, todos os restantes foram slick.
 A maior distância efetuada com um jogo de pneus foram 53 voltas, com Marc Lieb ao volante.
 A paragem mais rápida nas boxes da equipa da Porsche, incluindo uma troca de pneus e de piloto, foi de 1:22.5 minutos.
 A paragem mais rápida nas boxes para reabastecimento foi efetuada em 65.2 segundos.
 A caixa de velocidades do Porsche vencedor foi utilizada por 22.984 vezes (passagens de caixa e reduções) durante as 24 horas.
 Neel Jani, do carro vencedor, passou o maior periodo de tempo ao volante, com nove horas e 24 minutos. Romain Dumas efetuou o maior periodo de tempo contínuo dentro do carro.
 Os pilotos tinham 0,85 litros de bebida no carro por cada turno. A garrafa foi sempre trocada a cada reabastecimento nas boxes.
 Para a melhor visibilidade possível, os protótipos possuíam quatro camadas de protecção nos pára-brisas, que eram removidas sempre que necessário.
 A temperatura ambiente mais elevada durante a corrida foi de 22,4 graus Celsius às 17h30. A mais baixa foi de 12,3 graus Celsius às 06h15.
 Foram transmitidos para as boxes 32.11 gigabytes de dados a partir do carro nº2 durante as 24 horas.
 Após 3 rondas do FIA World Endurance Championship, com pontos duplos em Le Mans, a Porsche lidera agora o Campeonato com 1 27 pontos, seguida da Audi (95) e da Toyota (79). No campeonato do mundo de pilotos, Dumas/Jani/Lieb obtiveram 94 pontos e lideram com uma diferença de 39 pontos. Bernhard/Hartley/Webber estão na 19ª posição com 3.5 pontos.

 

#WEC e #ELMS: Testes de pré-temporada em Paul Ricard prometem um grande ano para as equipas de resistência #Dunlop

Os quatro dias de provas no circuito Paul Ricard no sul de França foram concluídos com as equipas preparadas para as corridas inaugurais do Campeonato do Mundo de Resistência (WEC) e para as European Le Mans Series ( ELMS), a acontecer dentro de três semanas em Silverstone.

logo-dunlop
Dunlop

Na sexta-feira e sábado, os 15 automóveis Dunlop do WEC somaram quilómetros nas três categorias. O número 13 da Rebellion Racing foi o carro de equipa privada mais rápido de LMP1, seguido pelo seu carro irmão e pelo ByKolles Racing. Também pela primeira vez com a Dunlop em 2016 esteve a dupla Aston Martin Racing nas categorias LMGTE Pro e AM. As cinco equipas dedicaram-se a aprender sobre a combinação de chassis/pneu durante as 17 horas de tempo em pista.

Em LMP2, Signatech Alpine foi o mais rápido nos testes com um tempo de 1:46.974, cerca de 0,5 segundos mais rápido que o melhor de LMP2 em 2015, apesar das temperaturas mais quentes este ano. A categoria LMP2 encontra-se particularmente mais forte e todas as equipas experimentaram os três compostos lisos (macio, médio e médio+). A gama de LMP2 foi totalmente renovada para 2016.

16 equipas utilizaram pneus Dunlop  na terça e quarta-feira para os testes das ELMS, em sete diferentes chassis, completando mais de 17.000 quilómetros durante as 18 horas em pista. As equipas com Dunlop de LMP2 cubriram quatro das cinco sessões a nível de ritmo mas a ênfase foi a distância, com equipas a preferir acumular dados sobre o rendimento em distância de corrida. A categoria LMGTE onde todos os carros utilizaram pneus Dunlop prepara-se para um ano muito renhido, com uma maioria de participantes separados por apenas 0.5 segundos.

Mike McGregor, Diretor de Provas, Apoio em Pista, Design Desportivo e Desenvolvimento:

“É uma parte do ano muito emocionante, com as equipas a adaptar-se a um novo produto a diferentes ritmos. Signatech Alpine foi muito elogiado com a nova gama e esforçou-se por superar o tempo do ano passado em LMP2, apesar das condições climáticas. Temos uma gama completamente nova de produtos para LMP2 com a alteração de produto mais significativa em vários anos. O trabalho com a LMP1 e equipas Aston Martin Racing tem vindo a ser muito frutífero e de muita aprendizagem. Temos equipas, condutores e engenheiros incríveis e aguardamos ansiosamente as primeiras corridas em Silverstone.”

#16Valvulas : O Desporto Motorizado não mais vai voltar a ser o mesmo!

logo 16va

 

 

Agora é oficial!

 

O Desporto Motorizado vai passar a ter uma nova ferramenta de divulgação.

 

Assim é com orgulho que anunciamos o regresso de um dos Programas de Radio sobre Desporto Motorizado mais antigos do país.

Aos Domingos o ponto de encontro dos amantes do chamado Motorsport é na Radio Telefonia do Alentejo , no Programa 16Válvulas.

-Programa de uma hora de duração emitimos entre as 9 e as 10 da manhã com repetição na programação da RTA e posterior disponibilização em Podcast.

A apresentação e realização vão estar a cargo de Gonçalo Sousa Cabral e António Ribeiro.

Mais detalhes aqui:

Pagina oficial

@WSR_Live : #16ValvulasEntrevista Miguel Roriz sobre #2015 @EurosportTV_Por

Miguel Roriz @foto de escolha pessoal
Miguel Roriz @foto de escolha pessoal

Terminada a época 2015 das WSR 3.5 é altura para um balanço das mesmas aqui no 16Válvulas.

Para isso contamos hoje com o comentador oficial no canal de cabo Eurosport , Miguel Roriz.

Assim nos próximos minutos vão poder perceber mais sobre um campeonato que teve Oliver Rowland como campeão , bem como algumas escolhas particulares do jornalista.

No final espreitámos já 2016 e as novidades que se vão conhecendo , bem como as alterações na Eurosport…

Em suma: mais uma entrevista que não devem perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Valvulas

@EuropeanLMS : #16ValvulasEntrevista @AlbuquerqueFil sobre as #4hEstoril

Filipe em ação@ foto PR oficial
Filipe em ação@ foto PR oficial

 

Tal como é tradição o 16Válvulas foi entrevistar Filipe Albuquerque.

Desta vez o pretexto foi a final das European Le Mans Series em Portugal , competição onde Filipe luta pelo título.

Assim falámos não só da maneira como a equipa JOTA prepara a prova de dia 18 de Outubro , mas também a abordagem pessoal de Filipe que indica que a posição de líderes da classificação dá confiança , mas serve também de estímulo pois nada está para já conquistado.

Oportunidade ainda para uma abordagem aos testes que fizeram hoje no Estoril.

No final efetuámos algumas conjunturas para perceber quais as prioridades da equipa no que aos pilotos e seus turnos diz respeito , apontando Filipe a preferência para ser Simon Dolan a efetuar a partida e propondo nós que Filipe Albuquerque ficasse para o ultimo turno para receber a bandeirada de chegada como Campeão…

Em suma: mais uma entrevista com Filipe Albuquerque que muito nos agrada e que estou certo, não vão querer perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

@EuropeanLMS : #16ValvulasEntrevista Carlos Lisboa do #ACDME com as razões para presença nas 4h do Estoril

Cartaz oficial 2015
Cartaz oficial 2015

A poucos dias da realização da ultima etapa das European Le Mans Series , fomos aqui no 16Válvulas à procura do responsável máximo da organização portuguesa das 4 horas do Estoril , Carlos Lisboa para nos falar da prova do Estoril.

Assim nos próximos minutos vão poder ficar a conhecer todos os motivos de interesse para a edição de 2015 das 4 horas , com destaque maior para o programa da prova que aposta uma vez mais na presença de famílias pois existem atractivos para todas as idades.

Oportunidade por isso para ficarmos a saber que vão existir muitos espaço para alimentação , bem como vários ecrãs gigantes para um acompanhamento de toda a acção em pista.

Ocasião de percebermos que está tudo preparado para um final em festa , pois vai ser autorizada a invasão ordeira da pista com 2 entradas na reta da meta , esperando-se que sirva para celebrarmos a conquista das ELMS por parte de Filipe Albuquerque e a sua equipa….

No final ficamos com a certeza que já está assegurada a edição de 2016 da prova do Estoril e termina em beleza , com o repto: “Todos ao Estoril!”

Em suma: a unica entrevista onde podem saber todos os detalhes de uma prova que mais uma vez vai ser um sucesso e que não devem perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas