#WTCC : #16ValvulasEntrevista Paulo Maria sobre fusão de #fotografia e #Motorsport

Paulo Maria@ foto escolha pessoal
Paulo Maria@ foto escolha pessoal

Mais uma vez o 16Válvulas apresenta em entrevista outro dos protagonistas do espetaculo do Desporto Motorizado : os fotógrafos.

Nesta ocasião trazemos até vós aquele que é unanimamente considerado um dos fotógrafos de top na elite Mundial. Falamos do português Paulo Maria.

Assim nos próximos minutos vão poder perceber o seu percurso desde o Rali de Portugal dos anos 90 quando acompanhava os troços de Arganil até aos dias de hoje onde se divide entre o WTCC , WRX , TT e até FórmulaE , numa carreira onde comemora quase um quarto de século.

Ocasião ainda de percebermos um pouco das ferramentas que utiliza no seu trabalho e que lhe faz produzir trabalhos fotográficos de qualidade ímpar.

Em suma: mais uma entrevista que nos orgulhamos de apresentar com um dos portugueses mais conhecidos a nível do Desporto Motorizado Mundial e que não devem perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas!

 

 

 

@FIAFormulaE : Fique a saber tudo com o #16Valvulas e José Miguel Barros

FormulaE @logo at Facebook oficial

No fim de semana em que tem inicio a nova temporada de FormulaE que trazemos o comentador oficial da SportTv ao 16Válvulas.

Mais uma vez José Miguel Barros vem ao 16Válvulas desta vez para nos contar as principais novidades de uma competição cada mais interessante , onde as principais marcas se envolvem cada vez mais e com pilotos da craveira p.e de um Campeão do Mundo de WTCC e o português , ex-DTM , António Feliz da Costa.

Oportunidade ainda para verificarem ainda as possibilidades bem reais de Portugal vir a ter uma etapa deste Campeonato , que se pode dizer , eletrizante!

Em suma: mais uma participação de José Miguel Barros que não devem perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

 

#Fórmula-E: #DS Virgin Racing quer eletrizar a final londrina

A DS Virgin Racing irá tentar terminar em beleza a sua campanha no seio do Campeonato FIA de Fórmula E, no Battersea Park, em Londres, palco das duas últimas mangas da segunda temporada da competição, a disputar a 2 e 3 de Julho próximos.bk1445Spacesuit-Media-Shivraj-Gohil-Formula-E-DS-Virgin-Electric-Avenue-...

Após a conquista da pole position e o 5º lugar final alcançado por Jean-Éric Vergne na anterior jornada, em Berlim, circuito onde a equipa assinou a sua terceira pole consecutiva e quarta da temporada, a DS Virgin Racing ocupa atualmente o 3º lugar da classificação geral do Campeonato FIA de Fórmula E. A jogar em casa, a equipa espera agora apoiar-se no seu público para consolidar essa posição.

Por um lado conta com o britânico Sam Bird, cujo DSV-01 ostentará as cores da Union Jack, numa decoração especialmente criada para esta dupla jornada final, a disputar no Battersea Park, esperando ali repetir o triunfo conseguido há um ano. Tal permitir-lhe-ia ganhar terreno sobre Sébastien Buemi e Lucas di Grassi, adversários que estão, para já, na sua frente.

O circuito de 2.925 metros inclui 17 curvas, entre elas muitas rápidas e algumas chicanes, figurando entre os preferidos de Sam ao longo do calendário de Fórmula E: «Estou ansioso por regressar a Londres, não apenas porque é a minha cidade natal, mas também porque a Fórmula E fez aí uma pista espetacular, num ambiente sublime. Evidentemente, mais do que isso, tenho recordações preciosas do local, após a minha vitória do ano passado, resultado que foi uma excelente forma de concluir a primeira temporada. Vou agora dar tudo por tudo para que a equipa e os nossos fãs tenham a mesma razão para celebrar o final da segunda temporada de Fórmula E.»

Para o francês Jean-Éric Vergne, o ePrix de Londres representa uma nova ocasião para continuar a sua boa forma, que o viu assinar a pole position em Berlim, após um impressionante 2º lugar em Paris: «A título pessoal, as minhas duas últimas corridas foram realmente boas e espero poder continuar com este ritmo em Londres, a fim de concluir em beleza esta temporada,» explica, ele que foi 3º no primeiro round londrino, em 2015. «Sinto-me confiante, após ter subido ao pódio no ano passado. A equipa técnica realizou um excelente trabalho para tornar o carro verdadeiramente competitivo e vamos querer dar ao nosso público algo de que possa recordar,conquistando o seu apoio ao longo de todo o fim-de- semana.»

«Esta temporada foi claramente cheia de imprevistos e de espetáculo,» acrescenta, por seu turno, Alex Tai, Diretor da DS Virgin Racing. «Foi fantástico liderar a equipa durante esta campanha e do ponto de vista de unidade penso que estamos agora bastante bem situados. Ter assinado a ‘pole’ em cada uma das três últimas jornadas demonstra, não somente o nosso ritmo, mas também o talento excecional dos nossos dois pilotos. A Final do ano passado foi quase perfeita, com a vitória do Sam em Londres. Espero que possamos fazer melhor este ano, para dar o tom para a terceira temporada. Com as suas curvas rápidas e apesar do piso ondulado, as velocidades médias do ePrix de Londres devem ficar entre as mais rápidas da temporada, depois de Punta del Este e de Long Beach,» salienta Xavier Mestelan Pinon, Diretor da DS Performance. «As nossas simulações mostraram que a capacidade dos pilotos em regenerar energia durante as travagens será, assim, articularmente colocada à prova durante a corrida. Devemos absolutamente evitar os erros nesta dupla jornada a fim de assegurar as nossas posições nos campeonatos de Pilotos e Equipas. Este último ePrix da temporada será ainda a ocasião ideal para reforçar o primeiro ano de parceria entre a Marca DS e a equipa DS Virgin Racing, e seria fantástico celebrar este aniversário em grande!»

«Estou verdadeiramente ansioso por encorajar a equipa em Londres e apoiar o Sam e o Jean-Éric,» acrescenta Sir Richard Branson, fundador do Virgin Group. «Aconteça o que acontecer em pista, vamos todos poder celebrar uma segunda temporada de Fórmula E bem-sucedida. A disciplina provou a validade do seu conceito e não pára de se reforçar. Na Virgin, estamos encantados por termos jogado um papel principal neste sucesso. Acredito que é este o futuro do desporto automóvel.»

#Fórmula-E: DS Virgin Racing no pódio do Campeonato em Berlim

A DS Virgin Racing ocupa agora o 3º lugar da Classificação de Equipas da Fórmula E, graças à sólida prestação de Jean-Éric Vergne. O francês permitiu, igualmente, à DS Virgin Racing
conquistar a quarta pole-position da temporada, mais do que as obtidas por qualquer outra
equipa.Formula-E-Berlin-2016-5D5_1346

«Temos dois pilotos muito talentosos e parece que agora também temos uma viatura rápida,» sublinhou Alex Tai, Diretor da DS Virgin Racing Team. «Temos agora mais‘pole-positions’ do que qualquer outra equipa e conseguimos roubar a terceira posição do Campeonato à Dragon Racing.»

Os pilotos da DS Virgin Racing, Jean-Éric Vergne e Sam Bird, terminaram a o ePrix de Berlin no 5º e 11º lugares, respetivamente. A jornada começou bem para a equipa, após duas sessões de treinos sem problemas, e depois com o melhor tempo do francês na Superpole, assinando, assim, a terceira pole-position consecutiva da equipa, após as de Long Beach e Paris.

Apesar da sua deceção após a terceira pole-position da temporada conquistada em Paris, Sam Bird realizou, também ele, uma sólida performance na qualificação, falhando por muito pouco a Superpole. No entanto, pouco antes da formação da grelha, o britânico foi promovido à segunda linha, após as desqualificações dos Mahindra de Bruno Senna e Nick Heidfeld (inicialmente os 4º e 5º mais rápidos) por causa de um erro relacionado com as pressões dos pneus.

A espetacular partida para o ePrix de Berlin viu Jean-Éric Vergne deixar fugir a liderança para Sébastien Buemi, após alguns segundos, para a retomar no meio da confusão e a deixar fugir de novo. Durante a primeira parte da corrida, o francês aflorou por duas vezes os cones, ao defender a sua posição. O francês perdeu, assim, os dois defletores do seu aileron dianteiro, mas felizmente conseguiu chegar às boxes sem problemas.

Mesmo acabando por terminar apenas no 5º lugar, Jean-Éric Vergne mostrou-se satisfeito com a sua performance: «Quando largamos de uma ‘pole position’, só queremos vencer», explicou o piloto francês. «Foi esse o caso hoje, mas o Buemi estava extremamente rápido. Quando me voltou a ultrapassar e se afastou sabia que não iria conseguir apanhá-lo. Penso que os outros pilotos conseguiram passar-me porque também eles estavam muito rápidos. Fizemos um trabalho formidável para conseguir a ‘pole-position’ e isso sublinha os  esforços da equipa no carro, mesmo se eu sei que não conseguiria melhor que o 5º lugar. São sempre bons pontos para a DS Virgin Racing, e estamos agora no 3º lugar do campeonato. Isso deixa-me orgulhoso, pois a equipa merece-o.»

Em paralelo, Bird desafiou Daniel Abt pelo 3º lugar do pódio. O britânico teve menos sorte após um toque com o alemão ter danificado o aileron dianteiro, no início da prova. Num excesso de prudência, o Diretor de Prova obrigou-o a passar prematuramente pelas boxes, para proceder à substituição do nariz do carro.

Desiludidos com esta decisão, os engenheiros de Bird tentaram sem sucesso contestar a decisão. Caindo do 4º lugar para o 14º, as esperanças de Sam sobre o título desapareceram: «Estou verdadeiramente desiludido com esta decisão,» confessou Sam Bird. «Nunca esperei receber uma bandeira negra e laranja por um dano tão insignificante! Como disse pela rádio, não penso que o aileron dianteiro abanasse assim tanto. Isto reduziu drasticamente as minhas hipóteses de lutar pelo título.»

Nas boxes, a troca efetuou-se num instante, apesar dos dez lugares perdidos. Apesar dos seus esforços, não conseguiu regressar aos dez primeiros, lugar que lhe escapou por uma única posição. Um resultado dececionante para o piloto, que teria podido ser um sério concorrente ao título, com um resultado mais favorável hoje: «Sinto-me verdadeiramente orgulhoso pela equipa. Há muito tempo que queríamos passar a Dragon Racing na classificação geral e mesmo se a jornada foi dececionante pelo meu lado, foi uma vitória para a DS Virgin Racing. Vou agora focar-me completamente na jornada de Londres, onde parece evidente que se jogará uma final épica.»

«Estou extremamente orgulhoso com os meus pilotos,» afirmou Alex Tai, Diretor da Equipa. «O Sam teve pouca sorte com esta decisão, mas teria, sem dúvida alguma, realizado uma soberba performance sem isso. Mesmo assim, ilustrou todo o seu talento ao ganhar três posições no pelotão. O Jean-Eric foi excelente na Superpole,  demonstrando que estamos na boa direção. Temos dois pilotos talentosos e parece que agora temos uma viatura rápida. Temos mais ‘pole-positions’ do que qualquer outra equipa e roubamos o 3º lugar à Dragon Racing. A batalha de Londres será enorme, mas a equipa, o Sam e o  Jean-Éric estão melhores em cada corrida. Estou ansioso por ver aquilo que conseguiremos fazer, desde que estejamos bem colocados.»

«Ficou claro que fizemos numerosas melhorias importantes no carro,» – Xavier Mastelan Pinon, Diretor da DS Performance. «Estou orgulhoso por ver que os nossos dois pilotos conseguiram conquistar ‘pole-positions’ com o DSV-01. Tivemos que enfrentar alguns desafios, mas a nossa equipa nunca baixou os braços. Para já, quero felicitá-los pelo seu trabalho esforçado, que tem dado resultados, como bem vimos hoje.»

O ePrix de Londres terá lugar a 2 e 3 de Julho próximos, no Battersea Park. Serão duas as corridas que constam do programa do fim-de- semana que encerrará a temporada.

#Fórmula-E: Piquet Jr acelera em Berlim

Depois de receber a Fórmula E em um aeroporto no ano passado, Berlim é a primeira cidade do calendário da categoria a ter um ePrix em um segundo cenário. A corrida de amanhã acontece nas ruas da cidade, numa pista inédita de 2,03 km de extensão.

Formula E World Championship
Nelson Piquet Jr

Será também a prova de maior número de voltas da história da categoria, com 48 giros no total.

“A pista me parece interessante e com tantas voltas o gerenciamento de energia deve ser um fator importante aqui. Na primeira temporada conseguimos nos destacar consumindo menos que os concorrentes e isso pode nos ajudar de alguma forma aqui na Alemanha”, observou Nelson Piquet Jr, o atual campeão da categoria.

Foi em Berlim no ano passado que o competidor do carro #1 do Nextev TCR assumiu a liderança no campeonato, graças aos pontos pela volta mais rápida no ePrix realizado no aeroporto.

“Nossa condição nesta temporada é muito diferente: em vez de brigar por vitórias, nossa meta é tentar marcar pontos apenas. Mas sem dúvida fico contente por competir novamente na cidade, de onde saímos com grandes lembranças na temporada anterior”, frisou o brasiliense de 30 anos de idade.

#Fórmula-E: Golpe de teatro para a #DS #Virgin Racing em #LongBeach

Autor da pole position, Sam Bird alcançou o 6º lugar no ePrix de Long Beach, depois de um toque num muro arruinar as hipóteses de vitória do piloto da DS Virgin Racing.bk2158Current-E-Formula-E-Long-Beach-2016-DS-Virgin-Racing-Shivraj-Gohil...

Largando da primeira posição da grelha de partida, Sam Bird conseguiria manter, durante algum tempo, o comando da prova, à frente de Lucas di Grassi, mas o seu perseguidor viria a encontrar uma aberta na 12ª volta, embora o piloto britânico tenha continuado, de forma determinada, na sua esteira até meio da prova.

Após uma troca de carro que decorreu sem problemas, Sam Bird foi em busca do seu adversário, para discutir com ele a vitória. Contudo, o duelo terminou de forma abrupta, na 23ª volta, quando Bird cometeu um pequeno erro, bloqueando as suas rodas e seguindo em frente contra a barreira de pneus da curva 5. Embora o DSV-01 tenha ficado pouco danificado, o britânico perdeu cinco posições e todas as hipóteses de alcançar a vitória.

«Foi um erro difícil de engolir, sabendo que poderíamos ter marcado 21 pontos e acabámos por fazer apenas 11,» declarou Bird. «Estava bem colocado e sentia confiança para me impor ao Lucas antes do incidente. Demonstrámos, no entanto, a nossa velocidade na qualificação e é isso que quero reter.»

Após ter dominado o seu grupo de qualificação e assinado o 2º melhor tempo da Superpole, com 57,261”, Sam Bird deveria inicialmente arrancar ao lado de António Félix da Costa, do Team Aguri, na primeira linha do célebre circuito de 2131 metros.

Porém, a exclusão do piloto português devido a uma pressão de pneus demasiado baixa, relegou Da Costa para o fundo da grelha, permitindo a Sam Bird herdar a primeira posição na grelha de partida. Em paralelo, o seu colega de equipa, Jean-Éric Vergne, realizou uma volta de qualificação que lhe ofereceu a 11ª posição.

Apesar do erro, Sam Bird manteve a sua combatividade atrás de Bruno Senna, colocando o brasileiro sob pressão, mas o seu rival manteve-se impávido e conseguiu defender-se dos ataques até à bandeira de xadrez.

«Estou obviamente desiludido, pois cometi um erro de pilotagem e por isso peço desculpa a toda a equipa,» – confessou o britânico. «É difícil saber qual teria sido o resultado final se tivesse feito tudo bem, mas esta equipa está repleta de qualidades, como todos puderam ver nas qualificações. Quando largamos da ‘pole position’, visamos no mínimo um lugar no pódio, algo que teria conseguido sem aquele erro. Estou, no entanto, satisfeito por ter voltado a oferecer mais pontos à equipa.»

Partindo mais atrás na grelha, Jean-Éric Vergne defendeu a sua posição frente a António Félix da Costa, que foi, progressivamente, encontrando o seu caminho no meio do pelotão. O piloto francês terminaria no 11º lugar. «Estou ansioso por estar em Paris. Falta-nos ainda disputar meia temporada e vou trabalhar muito para progredir e compreender melhor o carro,» disse. «Hoje foi mais uma corrida difícil e creio que é tempo de inverter a tendência antes de chegar à Europa.»

Quanto ao Diretor da DS Virgin Racing, Alex Tai manteve-se objetivo: «São coisas que acontecem. Os pilotos da DS Virgin Racing trabalham muito e foi uma pena pelo Sam.
Devemos, no entanto, centrar-nos nas excelentes qualificações dos nossos dois representantes que voltaram a provar a nossa competitividade. O Sam continua em 3º
na Classificação Geral e a equipa está na 4ª posição do seu campeonato.»

Apesar da deceção do pódio perdido, Xavier Mestelan-Pinon, Diretor da DS Performance, precisou que «o Jean-Éric danificou a sua suspensão ao passar sobre os corretores. Penso que se sentiu um pouco em desvantagem. Trabalhámos bastante para melhorar o DSV-01 e iremos continuar a fazê-lo, nomeadamente com o ePrix de Paris no horizonte.»

#Fórmula-E: #DS #Virgin Racing pretende dupla pontuação em #LongBeach

A DS Virgin Racing prepara-se para entrar na segunda metade da temporada de Fórmula E. Alex Tai, Diretor da Equipa, pretende manter o bom ritmo e espera uma performance sólida na Califórnia por parte dos seus pilotos Sam Bird e Jean-Éric Vergne.DS Virgin Formula E-5989.jpeg

Numa altura em que a Fórmula E prepara a sua próxima jornada de Los Angeles, a DS Virgin Racing irá evoluir quase em ambiente caseiro, perante os seus associados Virgin Galactic e Virgin America, sem esquecer a Hewlett Packard Entreprise, principal parceiro da equipa.

Mesmo contando já com vários pódios e uma vitória no seu ativo, a DS Virgin Racing quer agora imiscuir-se no trio da frente. Num traçado de 2.131 metros e com sete curvas, os concorrentes irão enfrentar uma versão modificada do emblemático circuito urbano de Long Beach, já utilizado no passado pela F1 e pelas séries CART, Champ Car e IndyCar.

Em 2015, Jean-Éric Vergne assinou aí o seu melhor resultado na categoria, cruzando a linha de chegada na sombra do vencedor, Nelson Piquet Jr. Após uma prova difícil no México, o francês está mais motivado do que nunca para demonstrar o seu talento numa pista onde brilhou no passado: «Sei que posso brilhar em Long Beach. Fiz aí uma bela corrida no ano passado e, apesar das alterações feitas no traçado, há muitas semelhanças. Qualifiquei-me bem no México e espero repeti-lo em Long Beach, para tentar apontar a um pódio.»

Ocupando o 4º lugar no Campeonato de Equipas, a DS Virgin Racing quer subir na hierarquia e imiscuir-se na trio da frente antes do final da época. Alex Tai, Diretor da DS Virgin Racing, já fez os cálculos e coloca, por isso, muitas esperanças no que aí vem: «Somos capazes de fazer melhor do aquilo que vimos no México. Em Los Angeles temos que aumentar os objetivos e manter a concentração. Lidero a equipa para assegurar que cada elemento produz nas boxes os resultados dignos das nossas competências. Estamos a entrar na segunda metade da temporada, seguem-se as provas europeias e é essencial que a DS Virgin Racing obtenha um bom resultado, para que se mantenha na luta pelo campeonato.»

Atualmente 3º classificado entre os Pilotos e vencedor em Buenos Aires, Sam Bird estima que há sempre progressos a fazer, mas o britânico mostra-se confiante antes da corrida do próximo fim-de-semana: «A chave é não cometer erros. Não creio que a nossa  performance no México tenha sido representativa do valor da nossa equipa. O ePrix de  Long Beach será melhor, todos estamos mais determinados do que nunca e tenho uma enorme vontade de conduzir o DSV-01 com garra. Sei que a equipa nos reserva algumas surpresas neste domínio e espero que os fãs nos apoiem de novo.»

#FórmulaE: #SamBird nos pontos com a #DS #Virgin Racing (Atualizado)

Sam Bird voltou a marcar preciosos pontos para a equipa DS Virgin Racing, na sequência de um ePrix intenso e pleno de ação, disputado na Cidade do México, num traçado de 2,09 km, perímetro do Autódromo Hermanos Rodríguez.

Formula-E-Mexico-City-2016_SBird_4165
Sam Bird

Após verem-se confrontados com uma pista bastante suja de pó durante as sessões de treinos livres, Sam Bird e Jean-Éric Vergne provaram a sua boa forma ao ascenderem ao topo dos seus respetivos grupos de qualificação.

A volta lançada em plena potência de Sam Bird foi, contudo, perturbada por Nelson Piquet Jr., que saiu de pista na primeira chicane. O britânico fez nova tentativa mas perdeu quatro décimas de segundo ao cometer um erro na derradeira chicane.

Já Jean-Éric Vergne realizou a melhor performance da equipa, ao colocar-se na 6ª posição da grelha de partida, enquanto Sam Bird foi 11º. Com um estado de espírito positivo, os dois pilotos da DS Virgin Racing estavam decididos a recuperar lugares durante a corrida.

Quando a partida foi dada sob o encorajamento da multidão, Jean-Éric Vergne encontrou-se lado a lado com Loïc Duval (Dragon Racing), que o atacou na travagem para a primeira chicane. Os dois carros quase se tocaram e Jean-Éric Vergne perdeu 11 lugares ao fazer um tête. Apesar de ter ficado com o carro danificado, prosseguiu com a sua corrida até à paragem nas boxes.

Apesar da sua determinação em aproximar-se dos homens da frente, Vergne deparou-se com um problema elétrico no seu monolugar, quando passou pelas boxes. Saindo para a pista no último lugar, a uma volta do líder, não mais conseguiu recuperar: «O Duval bloqueou-me e fiquei sem sítio para onde ir. Por isso, comecei a minha corrida muito longe dos outros! Consegui recuperar alguns lugares, o carro estava excelente hoje e sei que estava a andar o mais depressa que podia. A minha corrida mudou totalmente quando passei pelas boxes. Quando voltei à pista, estava a uma volta dos primeiros. São coisas que acontecem, mas nunca tive a intenção de que isso sucedesse! Ainda estou a aprender no cômputo de uma temporada muito difícil e quero fazer melhor, no quadro de uma relação duradoura com a DS Virgin Racing. Em todo o caso, a atmosfera incrível que reinava hoje em volta da equipa foi encorajadora e reconfortante. Os fãs são fantásticos!»

Por seu turno e largando da 11ª posição, Sam Bird foi recuperando lugares até terminar no 7º posto*, algo que lhe permitiu marcar pontos novamente: «Foi uma corrida difícil e os pontos marcados hoje valem ouro! Este pode não ter sido o resultado sonhado pela equipa, mas nós somos rijos! Como disse o Jean-Éric, estou convencido de que iremos progredir muito mais.»

*Nota: Sam Bird entretanto subiu um lugar na geral com a desclassificação do vencedor da prova.

#16Valvulas : O Desporto Motorizado não mais vai voltar a ser o mesmo!

logo 16va

 

 

Agora é oficial!

 

O Desporto Motorizado vai passar a ter uma nova ferramenta de divulgação.

 

Assim é com orgulho que anunciamos o regresso de um dos Programas de Radio sobre Desporto Motorizado mais antigos do país.

Aos Domingos o ponto de encontro dos amantes do chamado Motorsport é na Radio Telefonia do Alentejo , no Programa 16Válvulas.

-Programa de uma hora de duração emitimos entre as 9 e as 10 da manhã com repetição na programação da RTA e posterior disponibilização em Podcast.

A apresentação e realização vão estar a cargo de Gonçalo Sousa Cabral e António Ribeiro.

Mais detalhes aqui:

Pagina oficial