@FIAf3Europe : #16ValvulasEntrevista o piloto do #Brasil , Sergio Sette Câmara

Sergio Sette Câmara @ foto escolha pessoal
Sergio Sette Câmara @ foto escolha pessoal

Mais uma entrevista de divulgação de jovens talentosos.

Hoje apresentamos em entrevista um jovem brasileiro de 17 anos que vem de Minas Gerais , Sergio Sette Câmara.

Assim nos próximos minutos vão poder ficar a conhecer o percurso deste jovem , iniciado nos Karts e que o levou até à F3 Europeia onde compete , com bons resultados.

Oportunidade ainda de analisarmos a atual F3 com mais detalhes das penalizações por parte da organização deste Campeonato devido ao comportamento de todos os pilotos menos um….

No final ficamos a conhecer o lado pessoal do jovem mineiro , nomeadamente escolhas de piloto preferido e clube de futebol preferido….

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

F1 – GP Europa , Valencia. A Crónica 16valvulas by Nuno Leite Castro

Pirelli P Zero , em forma em Valencia

“Alonso e os Deuses!!”

 

 

GP da Europa, teve lugar no circuito citadino de Valência. De citadino esta pista só tem mesmo os muros, porque curvas de 200 km/h e uma reta onde se atinge 315 Km/h não lembram de todo um circuito feito numa cidade.

Na Qualificação, 

Foi uma qualificação muito equilibrada como tem sido apanágio este ano na F1. De referir apenas Mark Webber que ficou logo na Q3 com um Red Bull, mas foi devido a problemas de travões e do DRS não funcionar. Heikki Kovalainen logrou mais uma vez passar à Q2 com o seu “Fiat Panda”. Na Q3, Maldonado e os Force India quase surpreendiam assim como Grosjean, mas Vettel fez uma volta imaculada, excelente pole para o alemão que igualou os históricos Jim Clark e Alain Prost com 33 poles position na terceira posição do ranking liderado por Schumacher (68) e de A. Senna (65).

 

 

Na corrida,

Vettel faz uma arrancada fantástica e abre para uma vantagem enorme para os demais perseguidores, aliás a vantagem era tão grande que aquando da primeira paragem, o alemão parou e ainda saiu em 1º lugar. Assim foi a primeira parte da corrida, com Hamilton e os Lotus na perseguição.

 

Segunda parte da corrida, é como um jogo de cartas, “baralha e dá outra vez”, o incidente entre Kovalainen e Vergne fez entrar o Safety-Car, aqui foi a confusão total, as boxes abertas e toda a gente a parar, Grosjean parou logo o SC saiu para a pista, seguindo-se Hamilton que mais uma vez esta época teve problemas nas boxes, algo de errado com os dois macacos da frente (!!!), Alonso que também parara aproveitou e passou o britânico, algo que se revelou fundamental para o desfecho da corrida. No recomeço, Alonso surpreende Grosjean e passa para segundo lugar da geral, mas o mais interessante estava para vir.

 

Vettel teve um problema com o Red Bull e começa a andar muito devagar, desistindo metros depois, Alonso via-se assim em 1º lugar depois de um sábado de pesadelo, Grosjean seguia-o de perto com Hamilton e Raikkonen de vigia. E a partir de agora começa o “circo”, Valência, um dos circuitos mais chatos do calendário, mas que este ano, por alguma razão a F1 está de loucos, e Valência não podia ser a excepção, Shumacher e Webber vinham numa recuperação de fora dos pontos, passando Button, Perez, Di Resta, Hulkenberg.

 

E quando se pensava que o Ferrari de Alonso iria lutar contra o desgaste dos pneus como no Canadá, foi Hamilton que começou a sentir esse desgaste e o finlandês da Lotus passou com muita destreza o britânico da McLaren e logo atrás surgia o surpreendente Maldonado e aqui sucede-se um dos momentos da corrida. É sabido que Maldonado e Hamilton não morrem de amores um pelo outro, muito pelo que se passou no ano passado em SPA e Mónaco e há mais uma coisa a não esquecer é que o venezuelano é um piloto pagante e nada tem a perder até porque é um candidato a nada, mas Hamilton é um candidato a tudo e deveria ter percebido que os seus pneus já se tinham ido e mais valia um 4º lugar do que uma desistência, mas está no ADN de Hamilton correr e disputar cada curva e esse ADN também está em Maldonado então ficaram ali os dois na curva, McLaren no muro e fora da corrida e o Williams sem asa da frente terminando em 10º, tudo isto na última volta.

 

Quem lucrou e muito com esta situação foi. esse alemão, que voltou depois de 7 títulos, Michael Schumacher que recorde-se vinha em franca recuperação. Tirou vantagem dessa batalha pelo 3º posto e alcançou o pódio, o seu primeiro desde o seu regresso, com Webber que largara de 21º colado na sua traseira. E aqui avanço já, este é o rejuvenescimento do australiano, grande corrida e neste momento é vice líder do campeonato, quem diria, ainda bem que Webber me provou o contrário, está aí para as curvas e para dar mais uma boa dor de cabeça à Red Bull.

 

De referir o bom andamento dos Force India, Sergio Perez, Rosberg, Ricciardo e ainda dos Caterham que quase faziam uma gracinha. Na mó de baixo continuam Jenson Button, apenas 8º lugar e Felipe Massa 16º embora o brasileiro tenha tido azar pelo toque que sofreu e o relegou para os últimos lugares tendo inclusive levado uma volta de avanço do seu companheiro de equipa, assim como Bruno Senna que na minha opinião foi injustamente penalizado pelo incidente que sofreu com Kobayashi.

 

Foi a melhor corrida que alguma vez se viu no circuito de Valência, mas espero sinceramente que para o ano este seja mudado para outro circuito, mais interessante para a atual F1.

 

Escala:

0 a 1 – muito mau

2 a 4 – mau

5 a 6 – satisfatório

7 a 8 – bom

9       – muito bom

10     – excelente/perfeito

O bom do fim de semana,

Fernando Alonso (10/10), excelente performance por parte do espanhol o primeiro a vencer duas corridas este ano. Aliando a sua condução à ajuda divina (SC), pode-se conseguir coisas extraordinárias. O piloto da Ferrari nunca baixou os braços, andou sempre no limite e quem anda assim merece a sorte, neste caso beneficiou do erro da boxe da McLaren com Hamilton, do Safety Car e da desistência de Vettel. Mas mesmo assim foi uma demonstração, atrevo-me a dizer, parecida com Senna em 1993, quando tinha um carro menos eficaz e lograva ganhar corridas. Arrancar de 11º na geral e ganhar uma corrida em Valência, não é para todos! É novamente líder do campeonato e pela emoção demonstrada no pódio, vê-se que está a ser um ano à campeão. Bravo!

 

Mark Webber (9/10), arrancou de 21º lugar, em Valência, motivo desencorajador mas que o australiano aproveitou bem as situações da corrida e acabou no 4º posto final e é agora o vice líder do campeonato atrás de Alonso

 

Kimi Raikkonen e Lotus (8/10) está quase Kimi, está quase Lotus, o chapéu de Colin Chapman vai voar muito em breve. Pena pela desistência de Grosjean com problemas no alternador e sem ele não há electricidade no bólide, mas 4 pódios em 8 corridas é excelente para uma equipa que até com o nome tinha problemas, Robert Kubica está a ser muito bem substituído!! Excelente!!

 

Michael Schumacher (8/10), o piloto mais perseguido pelo azar esta época, desta vez teve a sorte do seu lado, andou bem e no fim beneficiou da luta na frente para ascender ao 3º posto, já era merecido este pódio para o alemão, que mostrou talento no Mónaco e agora em Valência repetiu a dose. Alcançou o seu melhor resultado este ano e tornou-se no décimo segundo piloto mais velho da história da F1 a alcançar um pódio. Muito bom!

Os mais velhos da F1 – Pódios

1

 FAGIOLI Luigi 53a 00m 22d França 1951

2

 CHIRON Louis 50a 09m 18d Mónaco 1950

3

 BONETTO Felice 49a 11m 29d Países Baixos 1953

4

 TARUFFI Piero 48a 10m 30d Itália 1955

5

 FARINA Giuseppe 48a 07m 06d Bélgica 1955

6

 FANGIO Juan Manuel 46a 02m 15d Itália 1957

7

 KLING Karl 44a 10m 00d Grã-Bretanha 1955

8

 ROSIER Louis 44a 07m 13d Bélgica 1950

9

 VILLORESI Luigi 44a 03m 28d Itália 1953

10

 BRABHAM Jack 44a 03m 16d Grã-Bretanha 1970

11

 ROSE Mauri 44a 00m 04d Indianapolis 1950

12

 SCHUMACHER Michael 43a 05m 21d Europa 2012

 

Force India (7/10), com os seus dois pilotos, Hulkenberg (P5) e Di Resta (P7) a mostrarem uma equipa indiana mais forte, mais consistente e a revelarem o potencial que já haviam mostrado no passado.

 

Hekki Kovalainen, Vitaly Petrov e Caterham (7/10), não só pela fantástica qualificação do finlandês, mas também porque chegaram a andar nos pontos com Petrov e ainda terminaram em P13 e P14, esta equipa está a desenvolver-se muito bem, estou curioso pelas próximas corridas.

 

Nico Rosberg e Mercedes (6/10), andou nos pontos e conseguiu terminar num 6º lugar final, mostrando que a Mercedes não foi a baixo e que o pódio de Schumacher também não foi obra do acaso.

 

Daniel Ricciardo (6/10), num Toro Rosso difícil de conduzir, este australiano andou pelo 4º lugar, poderia ter alcançado os pontos!!

 

Charles Pic (5/10), terminou à frente de um Ferrari, isso é motivo de satisfação!

 

O mau do fim de semana,

Lewis Hamilton e McLaren (4/10), aquilo que poderia ter sido um resultado satisfatório, acabou em desastre, deviam ter copiado Alonso no Canadá, porque está mais que visto que a chave para o sucesso este ano de loucos é a consistência e Alonso está a fazê-lo muito bem, ao contrário do que Hamilton fez nesta corrida, deveria ter deixado Maldonado seguir viajem, afinal os pontos são importantíssimos e a juntar a isso, a boxe da McLaren não está a cumprir, já são muitos pormenores por limar nas paragens de Hamilton. E eu a pensar que Hamilton tinha mudado. Mas o curioso é que ainda hoje na ultrapassagem de Grosjean ao britânico este último mostrou  uma boa dose de contenção e maturidade, mas parece que com Maldonado a história muda. Hamilton, deixa o passado, vive o presente e pensa no futuro.

 

Jenson Button (4/10), continua numa sucessão de más qualificações, de más corridas, nem parece o mesmo piloto, que se passa com Button?? Não é pela primazia da McLaren sobre Hamilton até porque Martin Whitmarsh revelou numa entrevista que ainda é cedo para isso. Button está a precisar de se agarrar ao que melhor sabe fazer, ser consistente, mas na parte de cima da tabela e não na parte de baixo.

 

Pastor Maldonado (3/10), é certo que visto bem o sucedido, poderíamos dizer que Hamilton não deixou muito espaço, mas a verdade é que o venezuelano está fora dos limites da pista logo é ele que tem de abrir/abrandar/travar fazer seja o que for para evitar o choque. E parece-me que este piloto anda ali e faz o quer com o carro, pois ele pensa, se pago para correr faço o que quero. O problema, Maldonado, é que as outras equipas estão a ver o que andas a fazer e essa tua forma de não querer saber do material não é de profissional, por isso lugar na F1 sem ser a pagar muito dificilmente o conseguirás. Não dava ali esperavas por outra oportunidade ou até acabavas em 4º o que para os últimos resultados que fizeste já era mais que bom!! Muito mau, pilotos destes não fazem falta à F1. (penalização de 10 lugares no próximo GP de Silverstone)

 

 

Kamui Kobayashi (1/10), ali não cabia um F1, estragaste a tua corrida e a de Bruno Senna.

 

Os azarados do fim de semana,

Decidi colocar esta nova forma de analisar a corrida, porque há pilotos que não estiveram mal, mas como não terminaram ou não conseguiram melhor por problemas alheios, tinha de lhes atribuir um lugar e é este, o azar!

 

Vettel, porque dominava a seu bel-prazer o GP e desistiu por problemas no seu monolugar.

Grosjean, porque ia em 2º lugar com alguma esperança de algo mais e o alternador “pifou”.

Bruno Senna, porque levou com um Sauber em cima e ainda foi penalizado por isso, contudo acabou em 11º, mas podia ter sido muito melhor, pois precisou de uma paragem extra e de um “drive-through”!

 

Momento do fim de semana,

 
A desistência do alemão da Red Bull, Sebastian Vettel, a corrida era dele, a vitória era dele, performance espetacular do bicampeão do mundo em título, parecia-me que ia para um “Grand Chelem”, mas a sorte que tantas vezes teve do seu lado desta vez decidiu proteger outros e abandonou-o. Sem este percalço, Vettel poderia ter ganho a corrida com um cero à vontade e a história desta crónica seria outra.

 

Uma palavra para a FIA,

Mas que grande “mixórdia”, Safety Car nesta pista é muito mau não é?! Mas quando tem de ser, tem de ser. Onde já se viu na F1 atual, verem-se os comissários de pista a empurrarem um carro, com o pelotão a voar mesmo ali ao lado… ahh já sei… foi porque tinha acabado de sair um SC e entrar outro seria um descalabro, pois o fim da corrida aproximava-se, não FIA, SEGURANÇA acima de todos os interesses.

 

Penalização a Bruno Senna, mas vocês viram as mesmas imagens que eu vi?? Ali não cabia nem um triciclo, quanto mais um monolugar. Foi um exagero do japonês que estragou o que poderia ter sido um bom resultado para o brasileiro e para a Williams.

 

 

Malas feitas para Silverstone, uma das mecas do desporto motorizado. No ano passado Alonso conseguiu lá a sua única vitória do ano, será que repete este ano?! Ansioso por esta F1 maluca!!

 

Até lá fique connosco, Nuno Leite Castro a voar baixinho com o 16 Válvulas!