#Doa especial de #F1 e #moto2 , com Duarte Cancella de Abreu

DCA @ foto escolha pessoal
DCA @ foto escolha pessoal

 

Numa altura em que a F1 e o MotoGp regressam porque não também fazer regressar Duarte Cancella de Abreu e a suas Crónicas aqui no 16Válvulas?

Assim neste Doa a Quem D(u)er especial abordámos as possibilidades para a nova temporada de F1 , numa altura em que já se disputaram os treinos livres e onde Lewis Hamilton se revelou o mais rápido.

Tema muito analisado foi também a Moto2 , modalidade do Mundial de motociclismo onde corre o português Miguel Oliveira e para o qual Duarte guardou algumas estatísticas interessantes.

Em suma: mais um regresso em grande forma de Duarte Cancella de Abreu num registo que não podem perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

 

F1 Gp Japão 2013- vitoria estratégica de Vettel

foto@DR Pirelli
foto@DR Pirelli

O piloto da Red Bull Sebastian Vettel conseguiu o seu quarto triunfo no Japão, o quinto seguido e o nono deste ano, mas isso não foi o suficiente para conquistar já o seu quarto título consecutivo no campeonato dos pilotos porque Fernando Alonso da Ferrari terminou em quarto, após ter partido da oitava posição da grelha de partida. Vettel utilizou uma estratégia de duas paragens para bater o seu companheiro de equipa, Mark Webber, que parou três veze, e o Lotus de Romain Grosjean, que também parou duas vezes.

Quase todos os pilotos começaram com pneus médios P Zero Brancos, escolhidos em conjunto com os pneus duros P Zero Laranja para Suzuka. As exceções foram o Toro Rosso de Daniel Ricciardo e o Caterham de Charles Pic. Grosjean partiu da terceira posição, mas colocou-se logo na frente da corrida: o início de uma intensa luta tática entre ele e os dois Red Bull que se prolongaria por toda a corrida.

Webber foi o primeiro dos três da frente a parar, na volta 11, quando seguia no segundo lugar, trocando para pneus duros, esperando fazer uso dessa estratégia para ultrapassar Grosjean. O piloto da Lotus, que estava à frente, foi às boxes na volta seguinte para mudar para pneus duros, deixando Vettel na liderança da corrida.

A primeira paragem de Vettel foi na volta 14 para montar pneus duros, regressando à pista em terceiro, com Grosjean e Webber na frente. O último piloto a fazer a primeira paragem nas boxes foi Ricciardo, na volta 21, para montar um novo jogo de pneus duros, após ter subido ao quarto lugar na fase inicial da corrida.

A segunda paragem de Webber foi na volta 25, para voltar a montar pneus duros, esperando passar Grosjean e recuperar uma vez mais a liderança da corrida com o timing da sua paragem nas boxes. Essa estratégia funcionou: a segunda paragem de Grosjean foi na volta 29 para trocar por novo jogo de pneus duros, tendo regressado à pista em terceiro, atrás de Vettel e Webber. Vettel fez a sua segunda e última paragem na volta 37, a 16 do final, para montar pneus duros. Regressou à pista na terceira posição, mas como Webber parou uma vez mais e Grosjean fez uma tirada final de 24 voltas, a estratégia do piloto alemão foi a escolha vencedora. A 11 voltas do fim, na sua terceira paragem, Webber montou os mais rápidos pneus médios e pôs-se em perseguição de Vettel e Grosjean, conseguindo subir ao segundo lugar na volta 52. A diferença de tempos entre os três primeiros foi inferior a 10 segundos, apesar de terem adotado táticas muito diferentes.

O Diretor da Pirelli Motorsport, Paul Hembery, disse: “Com a pouca diferença no tempo de volta entre os dois compostos escolhidos, esta seria sempre uma corrida muito disputada. Em resultado, assistimos a abordagens estratégicas variadas, com tanto os pneus médios como os duros a serem utilizados em momentos diferentes para as segunda e terceira tirada. A maioria dos pilotos parou duas vezes tal como esperávamos: o desgaste é muito reduzido em Suzuka devido à fluidez do circuito – o que significa que as exigências de tração são baixas –, mas as elevadas cargas de energia lateral fazem com que o fator limitativo seja a degradação. Isso é, sem dúvida, acentuado se a corrida for muito disputada com os carros a seguir uns atrás dos outros, pois a eficiência aerodinâmica fica comprometida e os carros derrapam mais. Vettel pôde usar aqui uma estratégia de duas paragens para fazer a diferença, mas a luta com Webber e Grosjean foi muito cerrada. Uma vez mais, fomos muito bem recebidos no Japão: um dos circuitos mais difíceis em todo o mundo para pilotos, carros e pneus, com uma atmosfera absolutamente espantosa graças a alguns dos mais fantásticos fãs.”

Tempos mais rápidos do dia por composto:

Médio  Duro Intermédio Chuva
Primeiro  WEB – 1m34,587s  ROS – 1m34,650s N/A N/A
Segundo  RIC – 1m35,020s  VET – 1m35,317s N/A N/A
Terceiro  BUT – 1m35,549s  RAI – 1m35,516s N/A N/A

Tiradas mais longas da corrida:

Médio 18 voltas  C. Pic
Duro  27 voltas  P. Di Resta
Intermédio  N/A  N/A
Chuva  N/A  N/A

Avaliação da correção de previsões:

A nossa previsão de estratégia para as 53  voltas do GP do Japão era uma de duas paragens. Sugerimos que a estratégia mais rápida era começar com pneus médios, montar novo jogo de médios na volta 20 e depois mudar para duros na volta 37. A estratégia alternativa era: começar com médios, mudar para duros na volta 20 e tornar a montar duros na volta 37. Em conclusão, as equipas na sua maioria optaram por uma variação da segunda estratégia sugerida, mas um pouco mais cedo do que esperávamos no respeitante à primeira paragem – em grande parte como resultado de os carros terem feito a corrida muito próximos uns dos outros. Vettel seguiu a estratégia médio-duro-duro, parando nas voltas 14 e 37.

F1 – José Miguel Barros , jornalista da SportTv faz balanço de 2012 no 16Válvulas

Pirelli P zero
Pirelli – a chave da temporada

Final de temporada de F1 , ocasião para voltarmos a conversar com José Miguel Barros.

Mais uma vez conversámos com o jornalista da SportTv , desta vez para um balanço pessoal da temporada que terminou no Gp Brasil.

Assim , nos próximos minutos ouvimos opinião , entre outras , de quem foi o melhor piloto; a melhor Equipa;a surpresa do Ano e outras análises.

No final falámos de 2013 , na vertente do jornalista , da SportTv e claro da F1.

Em suma: uma importante e interessante entrevista que não deve perder!

Cliquem aqui para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

F1 – José Miguel Barros faz com o 16valvulas o balanço de meio de época

Sergio Perez um dos nomes em foco
Sergio Perez um dos nomes em foco

Quando chegámos a meio da atual temporada de F1 de fazermos um balanço.

Mais uma vez contámos , nessa tarefa , com a colaboração do comentador da SportTv para a F1 , José Miguel Barros.

Mas antes do inicio dessa tarefa procurámos ouvir a opinião de JMB sobre o bom momento que atravessa António Felix da Costa e as possibilidades de chegar à Formula 1 como todos desejamos.

Quanto à disciplina mãe do Desporto Motorizado , procurámos em 20 minutos o que de bom tem acontecido este ano a nível de pilotos e Marcas.

Para o final lançámos 3 nomes para Campeões do Mundo F1 2012 – oiça quais as escolhas!

 

Em suma: eis um resumo da F1 até à pausa de Verão . As vossas opiniões seja a concordar ou não , são bem vindas!

 

Cliquem aqui para ouvirem o Balanço a 2 mãos e subscreverem o Podcast 16valvulas

F1 – GP Europa , Valencia. A Crónica 16valvulas by Nuno Leite Castro

Pirelli P Zero , em forma em Valencia

“Alonso e os Deuses!!”

 

 

GP da Europa, teve lugar no circuito citadino de Valência. De citadino esta pista só tem mesmo os muros, porque curvas de 200 km/h e uma reta onde se atinge 315 Km/h não lembram de todo um circuito feito numa cidade.

Na Qualificação, 

Foi uma qualificação muito equilibrada como tem sido apanágio este ano na F1. De referir apenas Mark Webber que ficou logo na Q3 com um Red Bull, mas foi devido a problemas de travões e do DRS não funcionar. Heikki Kovalainen logrou mais uma vez passar à Q2 com o seu “Fiat Panda”. Na Q3, Maldonado e os Force India quase surpreendiam assim como Grosjean, mas Vettel fez uma volta imaculada, excelente pole para o alemão que igualou os históricos Jim Clark e Alain Prost com 33 poles position na terceira posição do ranking liderado por Schumacher (68) e de A. Senna (65).

 

 

Na corrida,

Vettel faz uma arrancada fantástica e abre para uma vantagem enorme para os demais perseguidores, aliás a vantagem era tão grande que aquando da primeira paragem, o alemão parou e ainda saiu em 1º lugar. Assim foi a primeira parte da corrida, com Hamilton e os Lotus na perseguição.

 

Segunda parte da corrida, é como um jogo de cartas, “baralha e dá outra vez”, o incidente entre Kovalainen e Vergne fez entrar o Safety-Car, aqui foi a confusão total, as boxes abertas e toda a gente a parar, Grosjean parou logo o SC saiu para a pista, seguindo-se Hamilton que mais uma vez esta época teve problemas nas boxes, algo de errado com os dois macacos da frente (!!!), Alonso que também parara aproveitou e passou o britânico, algo que se revelou fundamental para o desfecho da corrida. No recomeço, Alonso surpreende Grosjean e passa para segundo lugar da geral, mas o mais interessante estava para vir.

 

Vettel teve um problema com o Red Bull e começa a andar muito devagar, desistindo metros depois, Alonso via-se assim em 1º lugar depois de um sábado de pesadelo, Grosjean seguia-o de perto com Hamilton e Raikkonen de vigia. E a partir de agora começa o “circo”, Valência, um dos circuitos mais chatos do calendário, mas que este ano, por alguma razão a F1 está de loucos, e Valência não podia ser a excepção, Shumacher e Webber vinham numa recuperação de fora dos pontos, passando Button, Perez, Di Resta, Hulkenberg.

 

E quando se pensava que o Ferrari de Alonso iria lutar contra o desgaste dos pneus como no Canadá, foi Hamilton que começou a sentir esse desgaste e o finlandês da Lotus passou com muita destreza o britânico da McLaren e logo atrás surgia o surpreendente Maldonado e aqui sucede-se um dos momentos da corrida. É sabido que Maldonado e Hamilton não morrem de amores um pelo outro, muito pelo que se passou no ano passado em SPA e Mónaco e há mais uma coisa a não esquecer é que o venezuelano é um piloto pagante e nada tem a perder até porque é um candidato a nada, mas Hamilton é um candidato a tudo e deveria ter percebido que os seus pneus já se tinham ido e mais valia um 4º lugar do que uma desistência, mas está no ADN de Hamilton correr e disputar cada curva e esse ADN também está em Maldonado então ficaram ali os dois na curva, McLaren no muro e fora da corrida e o Williams sem asa da frente terminando em 10º, tudo isto na última volta.

 

Quem lucrou e muito com esta situação foi. esse alemão, que voltou depois de 7 títulos, Michael Schumacher que recorde-se vinha em franca recuperação. Tirou vantagem dessa batalha pelo 3º posto e alcançou o pódio, o seu primeiro desde o seu regresso, com Webber que largara de 21º colado na sua traseira. E aqui avanço já, este é o rejuvenescimento do australiano, grande corrida e neste momento é vice líder do campeonato, quem diria, ainda bem que Webber me provou o contrário, está aí para as curvas e para dar mais uma boa dor de cabeça à Red Bull.

 

De referir o bom andamento dos Force India, Sergio Perez, Rosberg, Ricciardo e ainda dos Caterham que quase faziam uma gracinha. Na mó de baixo continuam Jenson Button, apenas 8º lugar e Felipe Massa 16º embora o brasileiro tenha tido azar pelo toque que sofreu e o relegou para os últimos lugares tendo inclusive levado uma volta de avanço do seu companheiro de equipa, assim como Bruno Senna que na minha opinião foi injustamente penalizado pelo incidente que sofreu com Kobayashi.

 

Foi a melhor corrida que alguma vez se viu no circuito de Valência, mas espero sinceramente que para o ano este seja mudado para outro circuito, mais interessante para a atual F1.

 

Escala:

0 a 1 – muito mau

2 a 4 – mau

5 a 6 – satisfatório

7 a 8 – bom

9       – muito bom

10     – excelente/perfeito

O bom do fim de semana,

Fernando Alonso (10/10), excelente performance por parte do espanhol o primeiro a vencer duas corridas este ano. Aliando a sua condução à ajuda divina (SC), pode-se conseguir coisas extraordinárias. O piloto da Ferrari nunca baixou os braços, andou sempre no limite e quem anda assim merece a sorte, neste caso beneficiou do erro da boxe da McLaren com Hamilton, do Safety Car e da desistência de Vettel. Mas mesmo assim foi uma demonstração, atrevo-me a dizer, parecida com Senna em 1993, quando tinha um carro menos eficaz e lograva ganhar corridas. Arrancar de 11º na geral e ganhar uma corrida em Valência, não é para todos! É novamente líder do campeonato e pela emoção demonstrada no pódio, vê-se que está a ser um ano à campeão. Bravo!

 

Mark Webber (9/10), arrancou de 21º lugar, em Valência, motivo desencorajador mas que o australiano aproveitou bem as situações da corrida e acabou no 4º posto final e é agora o vice líder do campeonato atrás de Alonso

 

Kimi Raikkonen e Lotus (8/10) está quase Kimi, está quase Lotus, o chapéu de Colin Chapman vai voar muito em breve. Pena pela desistência de Grosjean com problemas no alternador e sem ele não há electricidade no bólide, mas 4 pódios em 8 corridas é excelente para uma equipa que até com o nome tinha problemas, Robert Kubica está a ser muito bem substituído!! Excelente!!

 

Michael Schumacher (8/10), o piloto mais perseguido pelo azar esta época, desta vez teve a sorte do seu lado, andou bem e no fim beneficiou da luta na frente para ascender ao 3º posto, já era merecido este pódio para o alemão, que mostrou talento no Mónaco e agora em Valência repetiu a dose. Alcançou o seu melhor resultado este ano e tornou-se no décimo segundo piloto mais velho da história da F1 a alcançar um pódio. Muito bom!

Os mais velhos da F1 – Pódios

1

 FAGIOLI Luigi 53a 00m 22d França 1951

2

 CHIRON Louis 50a 09m 18d Mónaco 1950

3

 BONETTO Felice 49a 11m 29d Países Baixos 1953

4

 TARUFFI Piero 48a 10m 30d Itália 1955

5

 FARINA Giuseppe 48a 07m 06d Bélgica 1955

6

 FANGIO Juan Manuel 46a 02m 15d Itália 1957

7

 KLING Karl 44a 10m 00d Grã-Bretanha 1955

8

 ROSIER Louis 44a 07m 13d Bélgica 1950

9

 VILLORESI Luigi 44a 03m 28d Itália 1953

10

 BRABHAM Jack 44a 03m 16d Grã-Bretanha 1970

11

 ROSE Mauri 44a 00m 04d Indianapolis 1950

12

 SCHUMACHER Michael 43a 05m 21d Europa 2012

 

Force India (7/10), com os seus dois pilotos, Hulkenberg (P5) e Di Resta (P7) a mostrarem uma equipa indiana mais forte, mais consistente e a revelarem o potencial que já haviam mostrado no passado.

 

Hekki Kovalainen, Vitaly Petrov e Caterham (7/10), não só pela fantástica qualificação do finlandês, mas também porque chegaram a andar nos pontos com Petrov e ainda terminaram em P13 e P14, esta equipa está a desenvolver-se muito bem, estou curioso pelas próximas corridas.

 

Nico Rosberg e Mercedes (6/10), andou nos pontos e conseguiu terminar num 6º lugar final, mostrando que a Mercedes não foi a baixo e que o pódio de Schumacher também não foi obra do acaso.

 

Daniel Ricciardo (6/10), num Toro Rosso difícil de conduzir, este australiano andou pelo 4º lugar, poderia ter alcançado os pontos!!

 

Charles Pic (5/10), terminou à frente de um Ferrari, isso é motivo de satisfação!

 

O mau do fim de semana,

Lewis Hamilton e McLaren (4/10), aquilo que poderia ter sido um resultado satisfatório, acabou em desastre, deviam ter copiado Alonso no Canadá, porque está mais que visto que a chave para o sucesso este ano de loucos é a consistência e Alonso está a fazê-lo muito bem, ao contrário do que Hamilton fez nesta corrida, deveria ter deixado Maldonado seguir viajem, afinal os pontos são importantíssimos e a juntar a isso, a boxe da McLaren não está a cumprir, já são muitos pormenores por limar nas paragens de Hamilton. E eu a pensar que Hamilton tinha mudado. Mas o curioso é que ainda hoje na ultrapassagem de Grosjean ao britânico este último mostrou  uma boa dose de contenção e maturidade, mas parece que com Maldonado a história muda. Hamilton, deixa o passado, vive o presente e pensa no futuro.

 

Jenson Button (4/10), continua numa sucessão de más qualificações, de más corridas, nem parece o mesmo piloto, que se passa com Button?? Não é pela primazia da McLaren sobre Hamilton até porque Martin Whitmarsh revelou numa entrevista que ainda é cedo para isso. Button está a precisar de se agarrar ao que melhor sabe fazer, ser consistente, mas na parte de cima da tabela e não na parte de baixo.

 

Pastor Maldonado (3/10), é certo que visto bem o sucedido, poderíamos dizer que Hamilton não deixou muito espaço, mas a verdade é que o venezuelano está fora dos limites da pista logo é ele que tem de abrir/abrandar/travar fazer seja o que for para evitar o choque. E parece-me que este piloto anda ali e faz o quer com o carro, pois ele pensa, se pago para correr faço o que quero. O problema, Maldonado, é que as outras equipas estão a ver o que andas a fazer e essa tua forma de não querer saber do material não é de profissional, por isso lugar na F1 sem ser a pagar muito dificilmente o conseguirás. Não dava ali esperavas por outra oportunidade ou até acabavas em 4º o que para os últimos resultados que fizeste já era mais que bom!! Muito mau, pilotos destes não fazem falta à F1. (penalização de 10 lugares no próximo GP de Silverstone)

 

 

Kamui Kobayashi (1/10), ali não cabia um F1, estragaste a tua corrida e a de Bruno Senna.

 

Os azarados do fim de semana,

Decidi colocar esta nova forma de analisar a corrida, porque há pilotos que não estiveram mal, mas como não terminaram ou não conseguiram melhor por problemas alheios, tinha de lhes atribuir um lugar e é este, o azar!

 

Vettel, porque dominava a seu bel-prazer o GP e desistiu por problemas no seu monolugar.

Grosjean, porque ia em 2º lugar com alguma esperança de algo mais e o alternador “pifou”.

Bruno Senna, porque levou com um Sauber em cima e ainda foi penalizado por isso, contudo acabou em 11º, mas podia ter sido muito melhor, pois precisou de uma paragem extra e de um “drive-through”!

 

Momento do fim de semana,

 
A desistência do alemão da Red Bull, Sebastian Vettel, a corrida era dele, a vitória era dele, performance espetacular do bicampeão do mundo em título, parecia-me que ia para um “Grand Chelem”, mas a sorte que tantas vezes teve do seu lado desta vez decidiu proteger outros e abandonou-o. Sem este percalço, Vettel poderia ter ganho a corrida com um cero à vontade e a história desta crónica seria outra.

 

Uma palavra para a FIA,

Mas que grande “mixórdia”, Safety Car nesta pista é muito mau não é?! Mas quando tem de ser, tem de ser. Onde já se viu na F1 atual, verem-se os comissários de pista a empurrarem um carro, com o pelotão a voar mesmo ali ao lado… ahh já sei… foi porque tinha acabado de sair um SC e entrar outro seria um descalabro, pois o fim da corrida aproximava-se, não FIA, SEGURANÇA acima de todos os interesses.

 

Penalização a Bruno Senna, mas vocês viram as mesmas imagens que eu vi?? Ali não cabia nem um triciclo, quanto mais um monolugar. Foi um exagero do japonês que estragou o que poderia ter sido um bom resultado para o brasileiro e para a Williams.

 

 

Malas feitas para Silverstone, uma das mecas do desporto motorizado. No ano passado Alonso conseguiu lá a sua única vitória do ano, será que repete este ano?! Ansioso por esta F1 maluca!!

 

Até lá fique connosco, Nuno Leite Castro a voar baixinho com o 16 Válvulas!

F1- Gp Espanha , Barcelona , a Crónica 16valvulas by Nuno Leite Castro

Pirelli P Zero Yellow

GP de Espanha em Barcelona na Catalunha, palco para a 5ª prova a contar para o mundial de F1 de 2012. Esta pista é a preferida de todas as equipas para testar, visto que tem um misto de curvas lentas e rápidas, para esquerda e direita e acima de tudo tem uma das maiores retas do calendário. É Também o GP da casa para Fernando Alonso e Pedro De La Rosa, mas calculo que o espanhol da Ferrari tenha mais adeptos, até porque a expectativa de ver este renovado Ferrari era muita, dadas as alterações feitas nos testes de Mugello.

Na Qualificação,

 houve surpresa e não foi só uma, foram várias!! A começar pelo pião de Bruno Senna na Q3, com um excelente carro, o brasileiro “vacilou” e cometeu um erro, vamos já mais à frente perceber porque isto foi uma surpresa.  A outra surpresa (ou talvez não) foi Felipe Massa em 17º!!! Afinal os testes de Mugello só funcionaram num carro (???). A terceira surpresa foi mesmo o mau desempenho de Jenson Button, lutou o fim de semana inteiro com o carro muito instável em curva e na qualificação quedou-se pelo 11º posto, falhando assim a Q3, coisa rara um McLaren falhar a última e decisiva parte da qualificação!! A quarta surpresa, Alonso em 3º, afinal o Ferrari evoluiu, mas só foi um, a equipa tem dois!!!!! E aqui está a maior surpresa de todas, Pastor Maldonado conquista pela primeira vez um lugar na primeira linha da grelha de partida e com a penalização de Hamilton que tinha obtido a pole, mas irregularmente, o venezuelano parte de primeiro!!! excelente performance da Williams e é por causa disto que a posição de Bruno Senna é uma surpresa pela negativa. Os Lotus continuam em alta e os Sauber também, estes 4 carros têm lugar nos 10 primeiros. De referir ainda a má prestação da Red Bull, algo vai mal (Vettel 8º e Webber 12º).

Escrevi isto na minha Crónica de antevisão da época: “na F1 as coisas mudam muito rápido, por exemplo, é raro a McLaren apresentar um carro competitivo nas primeiras corridas (salvo raras exceções óbvias), por isso pode até ser que surja aí um Mercedes na frente ou até mesmo um Williams!! Mas as minhas previsões são estas!”

(http://nunoleitecastro.blogs.sapo.pt/2012/02/)

Pois Nico Rosberg e Pastor Maldonado, em Mercedes e Williams respectivamente deram-me razão!!

Na corrida,

Mas que fantástica corrida nós tivemos!! Fez-se história na F1, pela primeira vez um venezuelano alcança a vitória, Pastor Maldonado ao volante de um Williams-Renault fez entoar o hino da Venezuela no circo da F1. E Para além de se fazer história, igualou-se a história neste GP, porque desde o campeonato de 1983 (1. Nelson Piquet – Brabham BMW / 2. J. Watson – McLaren / 3. Alain Prost – Renault / 4. Patrick Tambay – Ferrari / 5. Keke Rosberg – Williams) que não ganhavam nas 5 primeiras corridas, 5 pilotos diferentes de 5 construtores diferentes, em 2012 isso voltou a acontecer (1. Jenson Button – McLaren / 2. Fernando Alonso – Ferrari / 3. Nico Rosberg – Mercedes / 4. Sebatian Vettel – Red Bull / 5. Pastor Maldonado – Williams) , absolutamente fantástico!!! Será que vamos ter um Lotus a ganhar no mónaco e fazer outra vez história na F1!? Isso seria maravilhoso!!

Na corrida propriamente dita, Alonso faz um excelente arranque como é seu apanágio, e atira-se para a liderança, seguido de Maldonado e dos Lotus e Mercedes. No final da primeira paragem, a Williams decide parar mais cedo e com o Alonso a discutir com Charles Pic porque é que este não abriu a porta com bandeiras azuis, perde o primeiro lugar para o venezuelano para nunca mais o recuperar. Maldonado fez uma corrida absolutamente fantástica, nunca acusando a pressão de obter a primeira vitória já que Alonso está habituado a isso, excelente a todos os níveis esta exibição de Maldonado. Lá para trás foi outra corrida, com incidentes, ultrapassagens, com lutas variadas. De referir a excelente recuperação de Hamilton que depois de penalizado na qualificação, conseguiu terminar num honroso 8º lugar à frente do seu companheiro de equipa. Agora o que não percebi, foi a estratégia da Lotus, eles eram sem margem para dúvidas os candidatos à vitória, eram a minha aposta, mas sem nenhuma margem para dúvidas! Digo isto porque os Lotus nos pneus mais duros eram de longe os mais rápidos em pista e a comprovar isso foi o último “stint” de Raikkonen, mais 3 voltas e ele conseguiria, o problema foi terem posto os pneus mais macios 3 ou 4 voltas mais cedo e isso custou-lhes a vitória!

O bom do fim de semana,

Pastor Maldonado, claro, fez história na F1, fez história no seu país, ganhou pela primeira vez e provou o seu valor muitas vezes questionado! Parabéns! Que excelente performance, parecia que já estava habituado a andar na liderança de um GP de F1.

A Williams, excelente, desde 2004 com Juan Pablo Montoya no Brasil em Interlagos que não vencia um GP. A parceria com a Renault já está a dar resultados, porque comparando com a época passado, é como passar de água para vinho!!!!! Uma boa prenda de aniversário para Sir Frank Williams nos seus 70 anos!

Lotus, não deveria pô-los aqui porque se enganaram na estratégia e isso custou-lhes a vitória, mas terminaram em 3º e 4º lugares e isso é de louvar porque no ano passado estavam a competir com os Toro Rosso e agora lutam por pódios e vitórias!! Espero ver mais desta equipa este ano!

Kamui Kobayashi, excelente 5º lugar e acima de tudo excelentes ultrapassagens a Button e Rosberg, este japonês tem de dar o salto para uma equipa de topo, ok, a  Sauber está bem mas ainda não está em posição de ganhar corridas.

Heikki Kovalainen, terminou em 16º, um resultado normal, mas no início da corrida estava ali na frente de Red Bull, Williams, McLaren, excelente para quem continua a andar de “Fiat Panda”.

Lewis Hamilton, tinha o “pace” para ganhar a corrida, mostrou na qualificação e mostrou na corrida, o que eu não entendo é o facto de ter arriscado na pole ao fazer aquilo que lhe valeu a penalização… porque se partisse de 2º lugar com certeza teria lutado pela vitória. Mesmo assim excelente corrida de Hamilton provando que está mudado!

Fernando Alonso e Ferrari, excelente momento de forma, os testes deram resultado, mas ainda falta contornar o calcanhar de “aquiles” da marca italiana, os pneus duros, a Ferrari não consegue andar em duros, mas que melhorou bastante, lá isso melhorou, bem haja às gentes do cavalinho negro, é sempre bom ver um marca mítica na frente, assim como a Williams! Só uma achega ao que fizeram a Massa, terá sido só um mau desempenho ou azar do brasileiro ou foi mesmo porque não tinha carro para tanto como o espanhol tinha. O brasileiro não pode ter mudado tanto depois do acidente….

E acrescento mais uma coisa ao bom do fim de semana, a competitividade na frente da F1, nos 5 primeiros lugares deste GP temos um Williams, um Ferrari, dois Lotus e um Sauber, impensável no GP de Espanha de 2011. A F1 está aí e para durar, um bem haja a quem se esforça por vencer nesta modalidade, não me lembro de estar tão radiante com um campeonato de F1 como este, talvez desde 2007!!

O mau do fim de semana,

McLaren, não conseguiu entregar um carro competitivo a Button nem com o novo design da asa da frente e desgraçou-se na estratégia com Button. A porcaria que fez na qualificação com Hamilton, há-que rever estratégias porque se Hamilton saísse de 2º ou até de 3º na grelha a história seria outra para o britânico.

Jenson Button, não conseguiu acertar o carro durante o fim de semana inteiro, a equipa depois na corrida não ajudou muito, para esquecer esta corrida de Button, tem de esfriar a cabeça, porque parece que a mudança de atitude de Hamilton afetou Button, por incrível que pareça!

Mark Webber, ficou fora dos pontos, temo que o tempo de vida de Webber na F1 tenha chegado ao fim, espero que ele me prove o contrário porque o considero um piloto consistente e rápido.

Red Bull, não acertou com a nova asa da frente e isso viu-se no GP quando Vettel trocou de “nariz”, para o antigo, voou literalmente na pista!!

Schumacher, ponho aqui porque foi um acidente ridículo entre os dois (Senna), embora eu culpe o alemão porque vem atrás é quem tem que se preocupar, a verdade é que de acordo com o estipulado nas regras, Senna pode mudar uma vez de direção e pode voltar à posição inicial desde que deixe espaço para outro monolugar a seu lado e foi isso que aconteceu, mas Schumacher vinha com o DRS ativo e travou tarde demais enquanto Senna travou cedo demais porque estava na linha de dentro, os comissários de pista e bem penalizaram o piloto da Mercedes em 5 lugares para o GP do Mónaco, porque destruiu a corrida do brasileiro.

Charles Pic, Felipe Massa e Vettel, porque as bandeiras azuis e amarelas são para respeitar, ESTÁ NAS REGRAS DE SEGURANÇA!!! Rookies……

Palavra para a FIA,

Muito bem neste fim de semana onde teve de lidar com esquemas da McLaren com situações de segurança em pista e mais o caso de Schumacher / Senna. Foi tudo muito bem liderado e ponderado, um excelente para a FIA que continua a fazer da segurança o ponto forte deste desporto e castigar quem não respeita as bandeiras sejam elas quais forem, devem ser punidos, como foi o caso. Muito bom e bom será a próxima crónica onde vos vou dar a conhecer o que a FIA mudou para melhorar a segurança no principado do Mónaco!

Curioso e ansioso por saber quem vai vencer no Mónaco, aquela que eu considero a prova mais chata do calendário, mas que este ano me parece que vai ser super interessante.

Acompanhem a F1 em NLC – Crónicas F1 Nuno Leite Castro :

http://nunoleitecastro.blogs.sapo.pt/

Até lá fique connosco, Nuno Leite Castro a voar baixinho com o 16 Válvulas.

NLC©2012

Formula 1 , GP Bahrein 2012 , a Crónica 16valvulas by Nuno Leite Castro

Sebastian Vettel@copyright Pirelli.com/F1

GP do Bahrain, envolto de grande polémica político-social e como  todos sabemos a F1 atrai imensa imprensa internacional e que melhor meio para espalhar o que se passa naquele país que um evento da envergadura do circo da F1. Não deu resultados, pelo menos aqui em Portugal, isto porque não vi nada a não ser competição pura na pista. No ano passado não estavam reunidas condições para se celebrar este GP e a meu ver este ano também não, mas se o GP não se realizasse era dar importância aos extremistas daquele país, sou leigo no que ao que acontece naquele país, por isso não me vou alongar muito mais. É o GP das arabias e a prova disso era o excesso de areia no circuito.

Na qualificação,

a Red Bull com Vettel voltou aos melhores tempos, conquistou a pole position. Ladeado por Lewis Hamilton que bem tentou a pole, mas sem sucesso. Mark Webber alcança a 3ª posição pondo os dois Red Bull nas duas primeiras linhas e a juntar a estes três, Jenson Button. De referir a maior surpresa da qualificação, sim porque, um Red Bull na pole, ainda que seja a primeira do ano ao fim de quatro tentativas não é surpresa, essa pertence a Daniel Ricciardo, ao volante de um Toro Rosso num excelente 6º posto. A desilusão na qualificação foi mesmo o alemão Michael Schumacher e claro novamente os dois Ferrari.

Na corrida,

 

Vettel larga bem, seguido pelo britânico Lewis Hamilton e Mark Webber. Button larga mal e perde muitas posições. Alonso como sempre faz um fantástico arranque e cola-se aos primeiros, mas mais surpreendente ainda foi mesmo o arranque de Kimi Raikkonen, este senhor fez uma corrida de excelente nível para quem esteve dois anos afastado do “circo”. Grosjean também esteve bem. No fim da primeira paragem, que foi bem cedo, a frente da corrida começou a ficar mais ou menos decidida. Não foi um GP empolgante, mas foi de facto de grande equilíbrio, recordo que do 1º lugar ao 12º havia uma distância de apenas 20 segs(!!!!), muito pouco para se meterem doze carros. Saltando para a última parte da corrida, temos um Lotus voador, ou melhor, dois Lotus voadores com o finlandês à cabeça, Raikkonen tentou, pressionou, mas de facto o Red Bull ainda tem muito a dizer, o incrível é eu estar aqui a falar de que quem deu luta a um Red Bull foram dois Lotus (!!!) inimaginável à bem pouco tempo atrás.

Vettel logrou assim a sua primeira vitória de 2012, uma em apenas quatro corridas, comparando ao ano passado é muito escasso! Os dois Lotus de Raikkonen e Grosjean fecham o pódio nessa mesma ordem. Apenas assinalar o excelente comportamento do Force India de Paul Di Resta que termina em 6º lugar e o azar de Button que teve um problema no McLaren na última volta quando seguia em 5º.

O bom do fim de semana,

A Lotus, claro está!!! Mas que corrida fantástica teve esta equipa, mas que delícia ver estes carros negros a andarem bem, cheguei a pensar que o chapéu de Colin Chapman fosse voar na recta da meta outra vez!!

Raikkonen porque está a provar que tem talento e no seu regresso está bem melhor do que, por exemplo, o regresso de Michael Schumacher à 2 anos. Acho que Kimi Raikkonen foi um pouco comedido no ataque a Vettel, porque depois da última paragem não atacou mais, presumo que a Lotus preferisse ter os dois pilotos no pódio do que apenas um. Excelente para quem arrancou de 11º lugar, tiro o meu chapéu ao finlandês.

Romain Grosjean, e não é que este francês, se conseguir completar as duas primeiras voltas, é bom!! Excelente ritmo e mais, excelente entendimento com o companheiro de equipa, facilitando a ultrapassagem porque nitidamente Raikkonen era bem mais rápido!

Sebastian Vettel, claro, porque não se esqueceu ainda de como se ganham corridas e porque se viu o nível de um piloto que com pista livre é de facto um dos melhores do mundo e de actual pelotão da F1, pena seja que quando se vê no “engarrafamento” não seja assim tão bom, a ver vamos se continua nesta boa onda, pole, vitória e volta mais rápida, simplesmente imbatível o alemão da Red Bull!!

Paul Di Resta e o seu Force India, mas que corrida boa, passou inclusive pelo primeiro lugar aquando das paragens, soube controlar o desgaste dos pneus, este piloto está a dar cartas e não sou poucas, ainda vamos ouvir falar muito dele!

Mark Webber e o seu quarto 4º lugar em quatro corridas, até custa a dizer. E ponho-o aqui pela seguinte razão, consistência na F1 é meio caminho andado para se ser campeão, claro que é necessa´rio dar mais um pequeno passo, o que não é fácil na actual F1, mqas parece-me que este “velhinho” australiano está aí para dar que falar.

Termino com a excelente recuperação de Michael Schumacher, que de 22º posto na grelha acaba nos pontos, sabe-se que não é fácil andar lá para trás, mas este “velhinho” sabe o que faz e fê-lo bem! Parabéns!

O mau do fim de semana,

Já sei que vou receber mais críticas por parte dos “ferraristas”, mas ver estes dois carros vermelhos assim tão maus, até dá pena, muita pena. E a certeza tirada deste fim de semana, é que a Lotus passou a Ferrari em termos de pelotão, disso não há dúvidas. É verdade que Massa marcou os primeiros pontos da época, mas isso não é razão para o pôr no bom do fim de semana, afinal ele tem um Ferrari! Ambos pontuaram, Alonso 7º e Massa 9º, mas não chega para o que a equipa de Maranello prometeu no início do ano com o seu carro revolucionário.

A Sauber, porque depois de um excelente início de campeonato, desceu para o nível da Ferrari, para verem o quão mal andam os do cavalinho negro.

Nico Rosberg, não é que tenha estado mal, mas para quem deu um recital de F1 na China, aqui foi um apagão. A Mercedes em geral não esteve bem.

Lewis Hamilton, pensávamos estar a ver um novo Hamilton, mas não, cedeu na pressão na luta com o Rosberg, concordo que aquele tempo perdido nas boxes o prejudicou, mas não de forma a acabar em 7º para quem largou de 2º!! Hamilton decide-te, se queres ser consistente ou agressivo, é que não consegues ser as duas coisas ao mesmo tempo, ainda não tens estofo para isso, aliás na F1, só dois o conseguem, Alonso e Schumacher.

A Williams que tanto está a prometer, mas neste GP não terminou nenhum dos seus carros. A rever.

Uma palavra para a FIA,

Fazer um GP com tanta instabilidade num país é demasiado estúpido. A F1 não pode  servir interesses políticos, o dinheiro não cobre tudo, poderia se ter dado uma catástrofe no desporto, ainda bem que nada de salientar aconteceu, mas ter equipas como a Force India que não participaram num dos treinos livres por medo de viajar à noite, é mau demais para a actual F1!! Há que rever essa situação com mais cuidado.

Até lá fique connosco, Nuno Leite Castro a voar baixinho com o 16 Válvulas!!!

NLC©2012

F1 Gp China a Crónica 16valvulas by Nuno Leite Castro

Nico Rosberg

Continente asiático, Xangai, GP da China 3ª prova a contar para o campeonato do mundo de F1. Este é um circuito relativamente recente e a sua curiosidade é o facto de o desenho da pista ser retirado de um caractere chines. Depois de um GP da Malasia cheio de surpresas e com um vencedor inesperado (Alonso), esperava-se que a F1 voltasse à “normalidade”, mas não foi isso que aconteceu…

As três sessões de treinos livres foram dominadas por completo pela, McLaren e Mercedes GP. Chegados à “Qualificação”, temos uma primeira surpresa, Vettel o bi-campeão do mundo fica de fora da Q3(!!!!). A segunda grande surpresa foi o facto de Nico Rosberg ter conquistado a sua primeira pole e a primeira desde o regresso do constructor alemão ao circo da F1! E para completar as surpresas, com a penalização de Lewis Hamilton, Schumacher subiu ao 2º lugar dando assim a primeira linha da grelha de partida à Mercedes, quem diria!!!! De referir a excelente forma em qualificação dos Sauber e Lotus.

 

NA CORRIDA,


Rosberg larga muito bem, seguido do seu companheiro de equipa Michael Schumacher. Button faz uma boa largada e passa um dos Sauber e ascende ao 3º lugar. A corrida até à primeira paragem correu sem grandes movimentações na frente, apenas Webber que entrou mais cedo que toda gente para tentar ganhar posições. É então a vez de Schumacher parar, tudo normal até que o mecânico da roda traseira direita não faz o seu seviço como deve ser e obriga o alemão a desistir mesmo à saida das boxes e a Mercedes multada por “unsafe release”.

 

Depois de toda a agitação da primeira paragem Button estava muito rápido e a apanhar Rosberg, previa-se uma luta a dois até ao fim, mas na segunda paragem, por coincidência o mecênico da roda traseira de Button também teve problemas mas conseguiu resolvê-los, no entanto, o britânico da McLaren perdeu ali a hipótese da vitória e quiçá do pódio. Nico Rosberg estava assim em posição de não fazer outra paragem e controlar os adversários e desde Monza em 1955 com Juan Manuel Fangio, que a marca da estrelinha alemã não ganhava um GP. Button com uma excelente recuperação chega ao 2º lugar seguido por Lewis Hamilton que mais uma vez termina em 3º em outros tantos GP’s.

 

O bom do fim de semana,


Nico Rosberg, claro está, pela sua primeira pole, pela sua primeira vitória na F1 ao fim de 111 gp’s (coincidência…) E por ter posto a Mercedes de volta ao lugar mais alto no final de um GP.

 

A Mercedes porque apresenta um carro muito competitivo e resta saber se não conseguiria alcançar a dobradinha!

Jenson Button e o seu McLaren, não fosse o pequeno precalço nas boxes e aqui o texto poderia ser outro!!

Lewis Hamilton parece estar bem ao trocar a agressividade pela consistência, estaremos perante um novo Hamilton?! A ver vamos..

 

Roman Grosjean porque consegue terminar um GP, em 6º lugar, conquistando assim os seus primeiros pontos deste ano. A Williams, com Bruno Senna e Pastor Maldonado, excelente performance por parte destes dois, que começam a ser um caso sério na F1, a pergunta que se coloca é, até onde irá este Williams?!

 

Mark Webber porque mais uma vez bateu o alemão seu companheiro de equipa e porque arriscou na corrida, não deu certo, mas pelo menos tentou.

 

De referir ainda a boa consistência do pelotão mais fraco da F1, HRT, Marussia e Caterham, o facto de terminarem corridas demonstra fiabilidade e o mais importante, dados para serem processados e entendidos pelos engenheiros para o futuro.

 

O mau do fim de semana,

 

A Ferrari, quem mais poderia ser, este GP só mostrou que a corrida da Malásia foi um acaso com muitos factores à mistura. A marca do cavalinho negro esteve completamente à margem do ritmo e note-se, não da Red Bull, Mercedes ou McLaren, mas sim dos Williams, Lotus e Sauber, muito mau para ser verdade, de facto este bólide não foi nada bem conseguido. Fernando Alonso, sim ponho aqui o espanhol, porque já chega de criticar sempre o Massa que também esteve mal, mas Alonso também, ambos não têm carro e não conseguem melhorá-lo, não é só a equipa que tem de trabalhar, os pilotos também têm de ajudar.

 

Kimi Raikkonen, porque obteve um excelente 5º (que se tornou um 4º devido à penalizaçãp de Hamilton) na grelha de partida e acabou a corrida num pobre 14º lugar enquanto que o seu companheiro de equipa quedou-se pelo 6º posto final, a estratégia aqui não resultou.

 

Sebastian Vettel, mau, muito mau, não chega à Q3, acaba em 5º e perdeu durante todo o fim de semana para o seu companheiro de equipa, bi-campeão sim senhor, mas só com o melhor carro, sem ele, no meio do pelotão não consegue tirar partido da máquina que ainda possui, a Red Bull terá de trabalhar muito, pois o facto de ter perdido os escapes laterais está a dar-lhes muitos amargos de boca.

 

Nem sei se hei-de colocar aqui os Sauber, mas a verdade é que eles estiveram bem em qualificação, mas em corrida perderam muito e apenas Kobayashi pontuou no 10º lugar, eu ponho-os aqui porque começo a cobrar mais deste fantásticos Sauber.

 

Uma palavra para a FIA,


O fim de semana correu tranquilamente sem qualquer tipo de precalço, mas tenho de referir que se por um lado, os pneus Pirelli trouxeram um grande entretenimento e incerteza à F1, como prova disso temos este GP da China, mas por outro lado o desgaste dos pneus foi exagerado, os “marbles” (depósito de borracha na pista) eram demasiados, os pilotos saiam da linha ideal e iam logo para a gravilha, é comum isso acontecer na China, mas não desta maneira. Vamos ver como corre no Bahrain, se continuar é necessário rever essa situação, caso contrário ninguém irá tentar uma ultrapassagem!!!

 

Ansioso por saber se o GP do Bahrain vai ter lugar na data prevista ou não!

 

Até lá fique connosco, Nuno Leite Castro, a voar baixinho com o 16 Válvulas!

 

NLC©2012

Formula 1 – GP Australia , a Crónica 16valvulas by Nuno Leite Castro

Destaque do GP da Australia: Pirelli

Austrália, Melbourne, Circuito Albert Park, 2012, arranca mais uma época de F1! Albert Park tem sido o preferido para abrir as hostilidades desde 1996, com uma ou duas interrupções pelo meio, mas foi neste circuito e logo na sua estreia que pela primeira vez vi um bólide a partir-se ao meio, foi o espetacular acidente de Martin Brundle ao volante de um Jordan para a entrada da curva 3 depois da largada e foi também o início da hegemonia da Williams que duraria até ao final de 1997!

QUALIFICAÇÃO

Os treinos de qualificação foram muito estranhos, pois os Ferrari (que desilusão)  não foram além da 2ª qualificação, ficando Massa em 16º(!!!) e Alonso em 12 (!!). Surpreendentes estavam os Mercedes de Brawn, mas que no final da qualificação viram-se ultrapassados pelos McLaren e o fantástico Lotus de Grosjean, os Red Bull ficaram em 5º e 6º, Webber e Vettel respetivamente, desde Singapura 2010 que não havia um Red Bull na linha da frente e desde aí que não se via dois McLaren na primeira linha, com Hamilton na pole-position. Ora aqui estava a primeira surpresa da época, era a McLaren que dominava a qualificação e não a Red Bull.

CORRIDA

Na corrida, Button arranca melhor e passa para a liderança, seguido de Hamilton, Schumacher, Vettel, Alonso, Rosberg e Webber, o bom trabalho de Grosjean na qualificação ficou logo na primeira curva onde perdeu muitos lugares, fica no ar o que poderia ter feito este Lotus já que Raikkonen terminou num bom 7º posto no seu regresso ao circo. Button ganha uma vantagem segura que lhe permite gerir com tranquilidade à distância o seu companheiro de equipa, Schumacher não se conseguia aproximar dos McLaren e Vettel cheio de vontade de ultrapassar Schumacher faz uma incursão pela relva na curva 1, nada de especial, alguma voltas volvidas e Vettel de novo colado a Schumacher e com a pressão o alemão faz o mesmo que Vettel tinha feito, mas desta vez o alemão mais velho danificou o carro ficando sem a 3ª e 4ª mudança tendo assim que abandonar uma boa corrida, uns com sorte e outros com azar. Alonso desenvincilhou-se de Rosberg e ficou-se pelo 5º lugar.

Depois veio o Safety-car, o que veio “baralhar as cartas” outra vez e agora Vettel tinha passado Hamilton com a paragem nas boxes aquando da entrada do Safety-car. Na largada Button vai-se embora e ganha a corrida, Vettel 2º e Hamilton 3º. Lá para trás Maldonado pressionava Alonso mas acabou na última volta por ir ao muro com bastante violência e Rosberg teve problemas na última volta também, saindo ambos dos pontos.

O bom do fim de semana,

 Jenson Button, claro! Soube aproveitar o mau arranque de Hamilton e atirou-se para uma corrida imaculada mostrando sempre que se fosse necessário atacaria, excelente corrida! Os Mercedes, que ultrapassaram a Ferrari em qualificação e em corrida e tinham também o andamento dos Red Bull. Schumacher, porque estava a fazer uma excelente corrida em 3º lugar, mas aquela pequena incursão pela relva estragou-lhe a caixa, foi azar, porque Vettel fez o mesmo e nada lhe aconteceu! A Williams, porque foi à 3ª qualificação (!!!), e Maldonado porque atacou até à última volta Alonso pelo 5º lugar, acabando por se despistar, mas por exemplo, no futebol não se castiga um avançado por tentar o golo, aqui é o mesmo com a diferença de uns milhõezitos, mas vocês poderiam dizer, o 6º lugar era excelente para a Williams já que não pontua há mais de um ano, e eu respondo dizendo que, o 5º lugar seria muito melhor e ele tentou! Os Sauber, que já são habitué por aqui, mas eu vou começar a cobrar mais destes Sauber e dos seus dois excelentes pilotos. Sergio Perez porque arranca de último e acaba em 8º(!!!), excelente!!

Ele é francês, ele é rookie, ele é estreante, ele anda que se farta, ele chama-se Jean-Eric Vergne e não é que o puto é bom!! Eu a pensar que a Toro-Rosso tinha desfeito uma das mais entretidas duplas dos últimos anos (Buemi/Alguersuari) e eles juntam Vergne e Ricciardo, que delícia foi ver estes dois na última volta lutarem pelos pontos, que delícia!!! Contente por ver os Marussia, com Timo Glock terminar a corrida fazendo assim um bom plano de teste, esta equipa promete.

O mau do fim de semana,

Claro que vou começar com os HRT, como é possível uma equipa ir para o primeiro GP da época sem as peças todas do carro e montá-lo já na 2ª sessão de treinos livres. Eu pergunto-me se será só e apenas um problema de dinheiro, porque eu acho que a logística esta equipa deixa muito a desejar, muito mau para estar no desporto elite do mundo automóvel. A Red-Bull e Vettel, tenho de os pôr aqui porque olhamos para a folha da época passada e temos de cobrar o máximo à Red Bull e a Vettel que só terminou em 2º porque o Safety-car entrou e a estrelinha da sorte ajudou-o um pouco, mas mesmo assim depois da entrada do Safety-car, levou um banho de Button!! A Ferrari, epá!!! que vergonha foi para a Ferrari!! A juntar ao chaço que apresentaram em Melbourne, tinham dois pilotos ansiosos na qualificação (12º e 16º !!!!!!), vá lá que na corrida Alonso concentrou-se e chegou a bom porto, ou seja ao fim! Alarmes aos berros em Maranello!! Felipe Massa que definitivamente não quer deixar esta parte da minha crónica, esteve mal em qualificação, na corrida debateu-se com os pneus traseiros e para juntar a tudo isso, estragou a corrida de Senna porque, simplesmente, Massa não estava em Melbourne este fim de semana, veremos na Malásia.

Uma palavra para a FIA,

Que palhaçada é essa de deixar a HRT montar os carros já com a competição a decorrer e abrir um precedente de datas para o Shake-down?? Não percebo!

FIA (entenda-se FIA, todos  os envolvidos no campeonato de F1) viram aquelas duas primeiras voltas do GP sem o DRS, foram ultrapassagens atrás de ultrapassagens e estas eram verdadeiras, de pilotagem!! Não precisamos do DRS para nada, só serve para o Brawn enganar o sistema!

Aquilo que parecia uma manobra à NASCAR, afinal e aqui dou os parabéns à FIA, acabou por ser uma boa jogada com a entrada do Safety-car. Jogada à NASCAR porquê? Porque para quem vê F1 há muitos anos, é normal ver um bólide parado na reta da meta na relva do lado oposto da linha de trajetória, mas também para quem vê F1 nos últimos tempos, não é normal vermos os comissários de pista a empurrarem um bólide com outros a passarem a 10 metros a 300km/h, a F1 mudou e temos de aceitar isso, mudou e ainda bem, mudou para mais segurança. Mas a palhaçada continua, um camião (!!!) faz um terço de pista para rebocar um F1??? Há que rever essa situação.

Os meu parabéns à Pirelli, vai ser um ano muito bom! E as novas regras de aerodinâmica também trouxeram mais valor à pilotagem!

Ansioso pela Malásia, porque aqui sim vamos ver como realmente estão as equipas e ver o que a Ferrari vai fazer!!

Até lá, fique connosco,

Nuno Leite Castro, a voar baixinho com o 16 Válvulas.

NLC © 2012