jump to navigation

#Karting : conheçam o percurso de Filipe Cairrão e saibam como está o panorama da modalidade em Portugal 30 de Agosto de 2014

Posted by GonçaloSousaCabral in 16 Válvulas no terreno, Entrevistas 16Válvulas, FIA, Formula 1, FPAK, Karting, Podcast do 16Válvulas, Rotax Winter Series.
Tags: , , , ,
add a comment
Filipe Cairrão @foto escolha pessoal

Filipe Cairrão @foto escolha pessoal

Oportunidade para chegarmos à fala com um dos elementos da comunicação social ligado ao Desporto Motorizado: Filipe Cairrão.

Nesta ocasião podemos perceber o percurso profissional de Filipe desde os primórdios ligado inicialmente ao futebol até ao Karting , onde é uma das pessoas que mais divulga esta modalidade.

Obviamente aproveitámos para perceber como está o Karting português ,onde deu para perceber que será possível em poucos anos voltarmos a ter uma geração de pilotos que nos vai dar alegrias em várias competições.

No final ficam palavras de incentivo para sejam criados mecanismos ou fórmulas para os miudos que terminam o estágio dos karts e querem continuar a correr…

Em suma: mais uma importante entrevista , com o sêlo de qualidade do 16Válvulas , que não devem perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

#Moto2 e #Moto3 : Pilotos da #Dunlop testam o calor e o frio de Silverstone 29 de Agosto de 2014

Posted by Miguel Mousinho in Moto2, Moto3, Press Release.
add a comment

O circuito de Silverstone, no Reino Unido, é um dos mais compridos no calendário de Moto2 e Moto3, com uma pista de 5.900 metros de extensão, que inclui dez curvas àdireita e oito à esquerda. Este excitante circuito – o preferido de muitos pilotos – compensa o facto da assistência apenas poder ver a passagem das motas 17 vezes em Moto3 e 18 vezes em Moto2 – cerca de 11 voltas a menos do que as realizadas em algumas corridas, em circuitos mais curtos, como é o caso de Le Mans e Jerez.

Dunlop

Dunlop

A distribuição de pneus em Silverstone é efetuada considerando os requisitos de temperatura, mais do que a superfície do circuito. O circuito tem retas onde o arrefecimento do pneu pode constituir um problema, sendo necessário preservar o máximo calor possível para permitir correr com rapidez e em segurança, as curvas seguintes enquanto os pneus recuperam a sua temperatura normal.

Na corrida de Moto2 em Silverstone, no ano passado, os seis melhores pilotos escolheram o composto médio 302 para os pneus dianteiros e o mais rígido, 997, para os pneus traseiros. Ambos os pneus estão disponíveis para esta época com uma opção adicional de pneus dianteiros mais rígidos e uns traseiros mais macios. Os melhores pilotos de Moto3 utilizarão a opção de pneus de composto médio, pelo que será interessante ver se algum não segue esta tendência para tentar obter alguma vantagem.

Distribuição de pneus e códigos de cor:

Moto2:

Pneus dianteiros: 120/75R17, 4 x 302 (Médio – logótipo Dunlop preto em fundo prateado) e 4 x 102 (Rígido – logótipo Dunlop amarelo em fundo preto)

Pneus traseiros 195/75R17, 4 x 997 (Rígido – logótipo Dunlop amarelo em fundo preto) e 5 x 9855 (Médio – logótipo Dunlop preto em fundo prateado)

Moto3:

Pneus dianteiros: 95/75R17, 5 x Médio (logótipo Dunlop preto sobre um fundo prateado) e 3 x Rígidos (logótipo Dunlop amarelo sobre fundo preto)

Pneus traseiros: 115/75R17, 6 x Médio (logótipo Dunlop preto sobre um fundo prateado) e 3 x Macios (logótipo Dunlop preto sobre fundo amarelo)

Os pilotos terão três conjuntos de pneus para piso molhado, sendo permitido um conjunto adicional se for declarada a presença de piso molhado em todas as sessões.

Informações sobre a corrida: uma questão de temperatura

O pneu de composto rígido 997 para a roda traseira foi apresentado na época passada em Brno, tendo sido utilizado por Mika Kallio na sua vitória, estreando-o num circuito com uma temperatura de superfície de 21 °C. O piloto Esteve Rabat alcançou a vitória utilizando o mesmo pneu, este ano no circuito de Losail, com a superfície da pista a registrar 10 graus mais quente. Isto é o que definimos como versatilidade.

Clinton Howe, Diretor de Operações em Grandes Prémios de Motociclismo:

“Na última corrida em Brno, assistimos a uma competição fantástica, em particular a corrida de Moto3 onde os 16 pilotos atravessaram a linha da meta com um máximo de 2 segundos de diferença entre cada um. O piloto Romano Fenati conseguiu estabelecer um novo recorde de volta à pista, na terceira volta e creio que o seu tempo poderia ter sido batido se não tivesse havido um número tão grande de pilotos, comprometidos na luta pelo primeiro lugar. A corrida de Moto2 de Brno foi uma exibição para Tito Rabat que estabeleceu um novo melhor tempo de volta ao circuito e um novo recorde de volta nessa corrida, terminando a mesma, 6,5 segundos mais rápido em comparação com corridas anteriores”.

“Está previsto um tempo mais fresco em Silverstone, pelo que vamos analisar como se vai comportar nestas condições o novo composto 9855 traseiro. Contudo, na realidade este composto já foi testado em Brno, pelo piloto Sandro Cortese, que terminou a corrida em terceiro lugar com temperaturas semelhantes às que ocorreram no Grande Prémio de Inglaterra no ano passado”.

#FormulaFord : Pedro Matos em Oulton Park no campeonato inglês de Formula Ford 29 de Agosto de 2014

Posted by Miguel Mousinho in Press Release.
Tags:
add a comment

O jovem piloto português Pedro Matos irá correr no próximo fim-de-semana, em Oulton Park, numa prova a contar para o campeonato inglês de Formula Ford 1600 a convite da Oldfield Motorsport.

Pedro Matos

Pedro Matos

A corrida surge como preparação para uma possível participação no Formula Ford Festival no final deste ano.

O piloto que conta já no seu palmarés com vitórias em míticos circuitos como Spa Francorchamps e Brands Hatch, regressa a competição de alto nível após quase dois anos de paragem onde só participou esporadicamente em duas provas do Single Seater Series em Portugal, vencendo sempre destacado a classe 1600cc e intrometendo-se na luta pela vitória a geral mesmo contra carros equipados com os motores Zetec 1800cc.

“Esta prova tem como principal objectivo a preparação para o festival de formula ford a realizar no final do ano em Brands Hatch. O campeonato inglês este ano está a ser dos mais competitivos dos últimos tempos, contando com pilotos consagrados vencedores do formula ford festival, campeonato australiano e inclusivé militantes nas 24 horas de Le Mans. O nível esta muito alto. Na qualificação para a última prova em Silverstone os 12 primeiros estavam separados por apenas 1 segundo. Com certeza que irá ser difícil entrar no ritmo dos pilotos que habitualmente participam no campeonato mas como sempre irei dar o meu melhor e tentar surpreender. Oulton park é uma pista típicamente inglesa, onde não há escapatorias e para se andar depressa é preciso correr mais riscos do que o habitual porque ali qualquer erro paga-se caro.”

O piloto do porto, que trabalha como engenheiro de dados na equipa de Gp2 da Caterham, conta ainda em Outubro deste ano participar na mais mediática prova de Formula Ford do mundo, o Brands Hatch Formula Ford Festival para a qual esta a tentar arranjar apoios.

Esta competição ja foi vencida por consagrados pilotos como Jenson Button, Mark Webber, Johnny Herbert, Eddie Irvine, Anthony Davidson e Roland Ratzemberger.

#Barchetas : Recordem o percurso de Daniel Vidal e saibam porque não está a correr 29 de Agosto de 2014

Posted by GonçaloSousaCabral in 16 Válvulas no terreno, Campeonato de Portugal de Circuitos, Campeonato de Portugal de GT, Campeonato de Portugal de Sport Protótipos, Campeonato Nacional de Velocidade, Entrevistas 16Válvulas, FPAK, Podcast do 16Válvulas.
add a comment
Daniel Vidal @foto escolha pessoal

Daniel Vidal @foto escolha pessoal

Oportunidade de chegarmos à fala com um dos nomes que está na historia dos desporto motorizado e Portugal: Daniel Vidal.

Assim nos próximos minutos vão poder perceber o percurso competitivo de Daniel Vidal com inicio nas perícias até chegar às potentes barchetas.

Ocasião ainda de percebermos as razões de percebermos as razões que levaram ao afastamento das corridas com um culpado claro: a regulamentação.

No final ficou um desafio para o seu filho que corre em Angola , o conhecido Daniel Vidal Junior , para uma corrida…

Em suma: mais uma interessante entrevista que não vão querer perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

#SSS : conheçam o Gentleman Driver , João Matos 27 de Agosto de 2014

Posted by GonçaloSousaCabral in 16 Válvulas no terreno, Campeonato de Portugal de Circuitos, Campeonato de Portugal de Clássicos, Campeonato de Portugal de GT, Campeonato Nacional de Velocidade, Classic Super Stock, Entrevistas 16Válvulas, FPAK, Podcast do 16Válvulas, Racing Weekend, Single Seater Series, Single Seaters.
Tags:
add a comment
João Matos @foto escolha pessoal

João Matos @foto escolha pessoal

Oportunidade hoje para voltarmos ao tema Single Seater Series.

Fazêmo-lo hoje com um dos pilotos participantes nesta interessante competição , o portuense João Matos.

Assim nos próximos minutos vão poder conhecer o percurso competitivo com o inicio nos Karts , com um bólide dos anos 70.

No final ocasião para percebermos um pouco mais da parte relacionada com impostos a liquidar por participação em competições automóvel em Portugal.

Em suma: mais uma interessante entrevista que não vão querer perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

Tiago Monteiro faz ‘pole’ nas 6h ADAC Ruhr Pokal Rennen do Campeonato Alemão VLN 25 de Agosto de 2014

Posted by Miguel Mousinho in Press Release, WTCC.
add a comment

Tiago Monteiro cumpriu este fim-de-semana mais um objectivo profissional ao participar nas 6h ADAC Ruhr- Pokal-Rennen do Campeonato de Resistência Alemão VLN em Nordschleife  ao volante de um Honda Civic fazendo equipa com Gabriele Tarquini. A experiência não poderia ter corrido  melhor com o piloto português a arrecadar a ‘pole-position’  na categoria S3 e só não terminou a prova numa excelente posição graças a um toque de um adversário que forçou o abandono a 20 minutos do final.

Tiago Monteiro

Esta participação extra WTCC visa proporcionar aos pilotos da Honda conhecimento do traçado alemão de Nordschleife que em 2015 fará parte do calendário do Mundial de Turismos: “Foi mais uma meta profissional alcançada. Há muito tempo que pensava em fazer uma corrida neste circuito que é verdadeiramente alucinante e um dos mais exigentes do mundo. Para além disso foi uma boa oportunidade para fazer verdadeiramente equipa com o Gabriele. Uma experiência a repetir”, disse. 

Quanto ao objectivo principal que levou a equipa da Honda a esta corrida: “Foi importante porque recolhemos dados que nos vão permitir preparar da melhor forma a próxima época. O circuito tem 25 quilómetros de extensão e mesmo depois de tanto tempo em pista não consegui ter a total percepção da configuração, mas mesmo assim foi muito importante começar a rolar nesta pista que vai exigir muito de nós na próxima época. Saímos daqui com o sentimento de dever cumprido”, explicou Tiago Monteiro que centra agora atenção no WTCC que regressa em Outubro em solo Asiático.

#MotoGp #Brno : Crónica by Aires Pereira 24 de Agosto de 2014

Posted by GonçaloSousaCabral in 16 Válvulas no terreno.
add a comment
Dani Pedrosa

Dani Pedrosa

Pronto! Foi desta! Marquez foi batido. Isto fará correr muita tinta nos jornais desportivos de todo o mundo. E foi batido pelo seu companheiro de equipa, Dani Pedrosa. Confesso que não estava à espera! Mas foi de facto o melhor piloto em pista tendo mesmo relegado Lorenzo para segundo plano. Que me lembre é a primeira vez que isto acontece em luta directa pelo primeiro lugar.

 

Os treinos livres correram bem a muita gente. Nomeadamente as duas Honda e as duas Yamaha tiveram direito a fazer o 1º tempo numa das mangas. Quem surpreendeu, não por não ter capacidade mas por não ser habitual nestas lides foi Iannone que de resto veio a confirmar durante o restante fim-de-semana a sua boa forma e aboa forma da Ducati Pramac ao seu cuidado. A pole position acabou por ir para Marquez que teve a seu lado na primeira fila da grelha duas Ducati, a de Dovizioso e de Iannone.

Como já é hábito Marquez não fez jus à sua posição de pole position fazendo com que Iannone e Dovizioso assumissem a liderança do pelotão. Lorenzo e Pedrosa vinham logo atrás enquanto Rossi e Marquez os seguiam. Lorenzo sentindo que podia ganhar ataca as duas Ducati de uma só vez iniciando uma liderança que demorou várias voltas. Pedrosa que vinha logo atrás não se deixa ficar e depois de “despachar” as Ducati enceta a perseguição. Lá atrás Marquez passa Rossi e desenvolve uma batalha absolutamente frenética com Iannone que tudo fez para não o deixar passar, com os pilotos a tocarem-se por mais que uma vez. Mas Marquez levaria a melhor e Rossi que vinha logo atrás não teve dificuldade em passar o seu amigo Iannone. Assistiu-se então á caça de Lorenzo por Pedrosa que consumou a ultrapassagem a meio da corrida. Marquez parecia determinado a ir buscar ambos, como aliás é habitual, mas desta feita qualquer coisa falhou pois o campeão do mundo não só não conseguiu recuperar segundos para o líder como inclusivamente começou a perder segundos para Rossi que no fim da prova acabou mesmo por lhe roubar o 3º posto.

Finalmente Marquez foi batido e com isso não conseguirá o tão desejado troféu de ser o piloto com mais provas ganhas sucessivamente. Fica empatado com os outros dois grandes senhores Doohan e Agostini. Mas este resultado nem beliscou o campeonato. Esse está para lá de ganho…

 

1º Marc Marquez – Honda (263 pts), 2º Dani Pedrosa – Honda (186 pts), 3º – Valentino Rossi – Yamaha (173 pts)

#Moto2 #Brno – crónica by Aires Pereira 24 de Agosto de 2014

Posted by GonçaloSousaCabral in 16 Válvulas no terreno.
add a comment
Rabat a festejar

Rabat a festejar

Outra corrida onde a luta pela vitória não ofereceu qualquer emoção. Salvou-se a luta pelo último degrau do pódio com os dois suíços Aegerter e Luthi a batalharem durante a prova inteira. Rabat ganhou mais alguns pontos de diferença mas nada que não possa ser revertido de um momento para o outro por Kallio. Já o terceiro posto vem a mais de 50 pontos de diferença.

 

Os treinos foram completamente dominados por Rabat que não teve oposição a não ser na FP2 onde o seu colega de equipa, Kallio arrebatou o melhor tempo. Os suíços Aegerter e Luthi, bem como Cortese e Sam Lowes também estiveram em destaque, acabando por concretizar em corrida todas as indicações que nos deram nos treinos.

Como se disse Rabat dominou a prova de Brno sem oposição, liderando desde a primeira curva. Nem sempre esta liderança foi expressiva, mas nunca foi posta em causa. Kallio arrancou menos bem e viu-se na contingência de ter que ultrapassar vários concorrentes antes de encetar a perseguição a Rabat tendo-se visto incapaz de alcançar o companheiro de equipa. Sam Lowes fez uma prova estupenda e parecia ter o segundo posto assegurado quando um erro o faz sair de pista para a gravilha. O britânico ainda voltou à pista mas a moto estava por demais danificada tendo –se visto impedido de continuar. Sandro Cortese fez uma prova excepcional com uma regularidade típica de um alemão valendo-lhe o terceiro posto. Mas a emoção e o que nos prendeu mesmo à prova foram Aegerter e Luthi. Os dois suíços batalharam a prova inteira com uma intensidade digna de nota. Apesar de tudo foram sempre muito correctos um com o outro e nas últimas voltas ainda tiveram a companhia de Viñales que acabo por sucumbir à ferocidade que os helvéticos colocavam na abordagem às curvas. Fantástico.

O líder fica com 12 pontos de diferença para o segundo classificado e tal como no ano passado afigura-se uma luta a dois pelo título. Só que desta vez é a mesma equipa, equipa essa que no ano passado perdeu o campeonato…

 

1º Esteve Rabat – Kalex (208 pts), 2º Mika Kallio – Kalex (196 pts), 3º Maverick Viñales – Kalex (150 pts)

#Moto3 #Brno -crónica by Aires Pereira 24 de Agosto de 2014

Posted by GonçaloSousaCabral in Moto GP, Moto2, Moto3.
add a comment
Masbou a cortar a meta

Masbou a cortar a meta

Uma prova atípica com um pódio constituído na sua totalidade por pilotos pouco prováveis de ocupar estas posições e com vitória soberba de Alexis Masbou. Nem um dos líderes do campeonato subiu ao pódio para festejar, mas houve quem festejasse cedo demais. Miguel, envolvido desde o início no pelotão da frente alcançou um sólido 7º posto.

Pode dizer-se que os melhores tempos na qualificação andaram bem espalhados pelo pelotão de Moto3 e a grelha também viu a constituição da 1ª linha bem diferente do habitual. Assim Alex Marquez e Enea Bastianini acabaram por conseguir superiorizar-se ao longo dos treinos livres, tendo Marquez acabado mesmo por fazer a pole position. Viñales e Antonelli ficavam logo a seguir com Bastianini a não fazer melhor que o 9º tempo. Miguel Oliveira, ao contrário do que tem vindo a ser habitual fez uns treinos livres muito modestos mas obteve uma óptima qualificação saindo do 5º posto na grelha. Com 21 pontos de diferença Miller defendia aqui a liderança do Mundial sem grande problema saindo somente do 6º posto.
A primeira curva era feita com Marquez a liderar o pelotão. Pelotão este que era constituído sensivelmente por 20 motos. A história da corrida é a história das ultrapassagens dentro de um pelotão destas dimensões. Nestas provas é fundamental não errar porque a potência das 250cc não permite recuperações em velocidade. Como tal foi fácil de ver líderes a caírem para o 7º posto (ou às vezes mais) por errarem numa trajectória ou falharem uma abordagem a uma curva ou ultrapassagem. Miguel conseguiu sempre andar na frente, sensivelmente no 7º posto onde acabou por ficar na linha de meta. Com este resultado Miguel acabou por cair um posto no campeonato do mundo, fruto da excelente performance de Bastianini. A corrida era muito perigosa para os líderes do campeonato pois havia muita gente sem nada a perder e isso foi notório nas abordagens das voltas finais com Miller a contentar-se com o 5º posto, Vazquez no 8º, Rins logo a seguir no 9º e Marquez a bater a concorrência no 4º. Mas percebeu-se que não valia a pena lutar por algo que lhes poderia trazer amargos de boca. Rins conseguiu enganar-se quando festejou a “vitória” uma volta antes de a corrida acabar. Com isto Masbou acabou por levar a melhor na roleta da última volta com Bastianini e Kent a assumirem o 2º e 3º posto respectivamente.

1º Jack Miller – KTM (169 pts), 2º Alex Marquez – Honda (146 pts); 3º Efren Vazquez – Honda (145 pts)…9º Miguel Oliveira – Mahindra (71 pts)

#EuroformulaOpen : conheçam o piloto de #Israel #YarinStern 23 de Agosto de 2014

Posted by GonçaloSousaCabral in 16 Válvulas no terreno, Entrevistas 16Válvulas, FIA, Formula 3 Euroseries, Podcast do 16Válvulas.
Tags: , ,
add a comment

גרסת עברית

English Version click HERE

Yarin Stern @ foto escolha pessoal

Yarin Stern @ foto escolha pessoal

Oportunidade neste apontamento no 16Válvulas de apresentarmos um jovem piloto israelita que está no seu 2º ano competititvo: Yarin Stern.

Assim podem acompanhar nos próximos minutos o percurso do jovem isrealita desde os Karts em Israel até ao atual campeonato de F3.

Ocasião de ficarmos a aber que ele teve acompanhamento de 2 “coaches” portugueses da empresa IRP , 1º com Manuel Gião e atualmente de Pedro Couceiro.

No final oportunidade de percebermos as ambições para o seu futuro que deve passar pelos GT´s.

Em suma: mais uma entrevista de cariz internacional de um piloto com potencial , que não vai querer perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem – Press HERE to hear and subscribe 16Valvulas´s Podcast

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 2.682 outros seguidores