jump to navigation

#EWC : Pilotos de resistência da #Dunlop disputam vitórias e títulos em #LeMans 17 de Setembro de 2014

Posted by Miguel Mousinho in Press Release.
add a comment

O circuito de Le Mans, em França, recebe nos dias 20 e 21 de setembro a quarta e última prova do Campeonato Mundial de Endurance da FIM (EWC) 2014. Todas as equipas que utilizam pneus Dunlop querem ganhar a corrida, mas apenas três têm os olhos postos no título. As equipas Honda Racing, Suzuki Endurance Racing (SERT) e a equipa Motors Events April Moto podem vencer o campeonato. Na categoria de motos Superstock, o Mundial de Resistência também chega à última prova com tudo por decidir.

Dunlop

Dunlop

Entre as equipas Dunlop, a Honda Racing é a que está melhor posicionada, ocupando o quarto lugar com 54 pontos, pelo que com esta corrida precisa pelo menos de 37 pontos, entre 60 possíveis (10 para liderar a corrida em cada parcial às 8 e 16 horas, e 40 para a vitória). As equipas SERT e Motors Events April Moto, Campeã do Mundo de Resistência em 2013, seguem-se na pontuação, sendo que ambas as equipas precisam de mais 10 pontos.

Na categoria Superstock a equipa vencedora da Bol d’Or, Junior Team Le Mans Sud de Suzuki, lidera a classificação mas tal como na EWC existem 60 pontos à disposição dos muitos adversários a disputar o título, incluindo a equipa AM Moto Racing Competition, que também está equipado com pneus Dunlop e que ocupa atualmente o terceiro lugar.

O desempenho da Honda Racing na última prova de Oschersleben foi um êxito enorme, alcançando a vitória através de uma estratégia de sete revezamentos e à decisão de utilizar numa das vezes pneus para a chuva, não tendo sido necessário recorrer a pneus de permanência dupla. As restantes equipas utilizaram os mesmos pneus em revezamentos consecutivos sem qualquer problema, algo necessário segundo os regulamentos de 2014.

Na Bol d’Or e Suzuka choveu tanto que até agora a permanência dupla ainda não tinha sido necessária, mas em LeMans a durabilidade dos pneus pode ser um fator decisivo na hora de conseguir o título. É permitida a utilização de 45 pneus por moto durante toda a corrida e se não chover durante as 24 horas, estima-se que cada equipa use cinco pneus de permanência dupla.

Pneus

A gama de pneus Dunlop para o EWC no fim-de-semana inclui três pneus traseiros e dois dianteiros para cada uma das especificações: piso molhado e piso seco. Os compostos são escolhidos de acordo com as temperaturas, para se adaptarem a temperaturas altas, moderadas ou mais baixas. Cada um deles tem uma ampla janela operacional para os parâmetros em mudança.

Dunlop nas Le Mans 24 Horas em números 

56 Equipas no total

104 Pilotos Dunlop Nacionalidades: 60 Franceses, 3 Britânicos, 3 Belgas, 2 Australianos, 1 Espanhol, 1 Suíço, 1 Alemão, 1 Polaco, 1 Japonês, 1 do Catar (confirmado até à data)

26 Equipas Dunlop  Fabricantes: 10 Suzuki, 1 Honda, 11 Kawasaki, 2 Yamaha, 1 Metiss

Alocação de pneus  45 por moto para o EWC

Títulos                     8/10: A Dunlop ajudou as equipas a vencerem oito dos dez últimos títulos

14/20: Nos últimos 20 anos os pilotos com pneus Dunlop foram coroados vencedores 14 vezes

Vitórias de corridas  39/72: Das 70 corridas realizadas desde 2002, as equipas Dunlop estiveram no lugar cimeiro do pódio 38 vezes

Estatísticas da corrida: À frente por uma distância

A equipa Honda Racing terminou a corrida de Oschersleben mais de duas voltas à frente da concorrência – ou seja, 4334 metros – ou 2080 Honda CBRs roda-a-roda.

Peter Chapman, Coordenador da Corrida EWC da Dunlop:

“Todo o trabalho árduo que levámos a cabo ao longo da última temporada e durante o inverno está a dar frutos. Os pneus são bons e as nossas equipas são rápidas e fiáveis. Podemos vencer esta corrida independentemente das condições da pista, tendo em conta que as condições climatéricas no circuito de Le Mans podem variar consideravelmente. Os nossos pneus têm uma durabilidade excelente e era ótimo vermos isso comprovado em pista e perceber como as equipas utilizam os pneus de permanência dupla de acordo com as condições da corrida, antes que o número de pneus permitidos seja ainda mais limitado no próximo ano. Em 2015, serão permitidos 30 pneus tipo slick para uma corrida de 24 horas, pelo que cada pneu terá de durar 2 revezamentos. Muitas das nossas equipas já fazem isto, incluindo a R2CL quando conquistou o 2º lugar no circuito de Le Mans no ano passado.”

#Ralicross : campeão Pedro Matos fala da sua carreira e da realidade portuguesa 17 de Setembro de 2014

Posted by GonçaloSousaCabral in 16 Válvulas no terreno, Entrevistas 16Válvulas, FPAK, Podcast do 16Válvulas.
Tags: ,
add a comment
Pedro Matos @foto escolha pessoal

Pedro Matos @foto escolha pessoal

Ocasião de percebermos um pouco mais da realidade portuguesa do Ralicross , com o campeão Pedro Matos.

Assim vão poder perceber o percurso competititvo de Pedro , num ano em que o objetivo passa pela conquista do 3º lugar , a 2 provas do final do campeonato 2014.

Oportunidade ainda de percebermos que o ralicross atravessa uma fase positiva , com muitos participantes , mas também um publico cada vez mais apaixonado e conhecedor .

No final oportunidade de percbermos objetivos para o futuro que passam por presença em provas portuguesas do Europeu da modalidade com um Citröen DS3 a ser adquirido.

Em suma: mais uma entrevista que fala do ralicross e que não deve perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

#Movielight : conheçam os desafios para a empresa que detém os direitos de imagem, bem como o que ainda falta fazer em Portugal 15 de Setembro de 2014

Posted by GonçaloSousaCabral in 16 Válvulas no terreno, Baja 500 Portalegre, Buggy/UTV, Campeonato de Portugal de Circuitos, Campeonato de Portugal de Clássicos, Campeonato de Portugal de GT, Campeonato de Portugal de Montanha, Campeonato de Portugal de Ralis, Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno, Campeonato Nacional de Circuitos GT4, Campeonato Nacional de Enduro, Campeonato Nacional de Ralis, Campeonato Nacional de Velocidade, Classic Super Stock, CPTT, Entrevistas 16Válvulas, FPAK, Podcast do 16Válvulas, Racing Weekend, Ralis, Rally de Portugal, Super 7 by KIA, Troféu Abarth 500.
Tags: ,
add a comment
Pedro Falé @ foto escolha pessoal

Pedro Falé @ foto escolha pessoal

Para hoje apresentamos a entrevista com Pedro Falé , responsável máximo da empresa que detém os direitos de imagem do Desporto Motorizado em Portugal , a Movielight.

Assim nos próximos minutos vão ficar a conhecer não só os objetivos para esta empresa , mas também as regras que regulamentam o tratamento de imagem em movimento das principais competições do Desporto Motorizado no nosso país.

Em entrevista ficou também a análise sobre o que pode ser feito na divulgação e promoção das corridas em Portugal bem como as dificuldades sentidas na relação da Movielight com a FPAK e organizadores.

Em suma: uma entrevista importante para que se perceba como está a promoção do Desporto Motorizado e o caminho que ainda falta trilhar e que não querer perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

 

 

#Formula1 : Emiliano Ventura responde se com 17 anos se consegue pilotar um F1 e fala de #AFC e #TiagoMonteiro 15 de Setembro de 2014

Posted by GonçaloSousaCabral in 16 Válvulas no terreno, DTM, Entrevistas 16Válvulas, FIA, Formula 1, FormulaE, Podcast do 16Válvulas.
Tags: , , , ,
add a comment
Emiliano Ventura @foto escolha pessoal

Emiliano Ventura @foto escolha pessoal

É o regresso de Emiliano Ventura ao 16Válvulas.

Alguns meses depois de o termos inicialmente entrevistado para conhecermos os seus trabalhos , regressa para uma atualização.

Assim nos próximos minutos ficamos a saber que o trabalho com  Tiago Monteiro continua e segundo Emiliano o piloto da Cidade do Porto está no topo das suas capacidades , lutando para melhorar os resultados que lhe permitem ser nesta altura o melhor dos pilotos não-Citröen.

Quanto a António Félix da Costa ficámos a conhecer o trabalho especifico para quem é piloto do DTM , acrescentando ainda que o piloto de Cascais está preparado para esse desafio tão exigente.

No final procurámos saber se um piloto com 17 anos pode estar apto para o desafio de entrar na Fórmula1 , utilizando o exemplo de Max Verstappen , sendo muito completa a resposta de Emiliano Ventura pois já teve ocasião de estar com a estrela holandesa.

Em suma: uma entrevista com muitos pontos de interesse e que tenho a certeza não vão querer perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

 

#Classicos : Paulo Miguel fala da carreira e do seu regresso para breve, em exclusivo ao 16Válvulas 13 de Setembro de 2014

Posted by GonçaloSousaCabral in 16 Válvulas no terreno, Campeonato de Portugal de Circuitos, Campeonato de Portugal de Clássicos, Campeonato Nacional de Velocidade, Classic Super Stock, Entrevistas 16Válvulas, FPAK, Historic Endurance, Podcast do 16Válvulas.
Tags: ,
add a comment
Paulo Miguel @foto escolha pessoal

Paulo Miguel @foto escolha pessoal

Numa altura em que se prepara para regressar á competição , fomos entrevistar o piloto MG , Paulo Miguel.

Assim nos próximos minutos ouvimos na primeira pessoa um relato sobre o percurso competitivo que teve o primeiro passo em Évora , no Troféu Diana.

Oportunidade ainda de percebermos a importância de um acidente sofrido numa prova no Circuito do Estoril , para a carreira que é retomada este ano e vai ter continuidade em 2015.

No final oportunidade de percebermos quais os apoios que se juntam ao patrocinador principal e que tornam possível voltarmos a ver correr Paulo Miguel.

Em suma: mais uma entrevista que assinala um regresso que se sauda e que não deve perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas – 1ªparte

e

AQUI para a 2ªparte

#CPM : Carlos J Torres fala da sua carreira bem como do legado da Torres Rally Team 13 de Setembro de 2014

Posted by GonçaloSousaCabral in 16 Válvulas no terreno, Campeonato de Portugal de Montanha, Campeonato de Portugal de Sport Protótipos, Campeonato Nacional de Velocidade, Entrevistas 16Válvulas, FPAK, Podcast do 16Válvulas, Ralis.
Tags: , ,
add a comment
Carlos J Torres @foto escolha pessoal

Carlos J Torres @foto escolha pessoal

Apresentamos hoje em entrevista o piloto Carlos J Torres que iniciou a sua carreira no Desporto Motorizado nos Ralis , seguindo os passos de seu pai que foi um dos grandes nomes a nível internacional.

Oportunidade de percebermos razões para a interrupção da carreira , bem como a aposta para este ano de 2014.

Assim ficamos a saber que a vitória no Caramulo foi o ponto final na sua presença no CNM para este ano por falta de apoios , mas adianta que a sua equipa , Torres Rally Team , vai continuar e em alta!

A finalizar Carlos J Torres fala das novas tecnologias como forma de valorização do Desporto Motorizado em geral , mas também da sua equipa em particular…

Em suma: Mais uma entrevista que não vão querer perder por nada…

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

Tiago Monteiro de novo no Campeonato Alemão de Resistência 12 de Setembro de 2014

Posted by Miguel Mousinho in Campeonato Alemão de Resistência, Press Release.
add a comment

Tiago Monteiro e o seu companheiro de equipa, Gabriele Tarquini vão voltar ao Campeonato Alemão de Resistência em Nordschleife mas desta vez com o Honda Civic com que disputam o Mundial de Turismo. A prova realiza-se este sábado, dia 13 de Setembro.

Tiago Monteiro

Esta participação, tal como a anterior, visa preparar da melhor forma possível a estreia deste circuito no WTCC em 2015: “Depois da primeira corrida onde conseguimos perceber um pouco da configuração do traçado, desta vez vamos com o intuito de continuar essa aprendizagem mas sobretudo de conhecer e adaptar o Honda Civic à exigência deste traçado. Preparar o resto da época deste ano e sobretudo a de 2015 é a nossa principal meta”, concluiu.

De salientar que a estreia de Tiago Monteiro em Nordschleife há poucas semanas atrás foi bastante produtiva, não só porque conseguiu a ‘pole position’ na sua categoria como esteve na discussão da vitória até ao indesejado abandono.

#FIAFormulaE : Saibam TUDO sobre a Fórmula E ! 12 de Setembro de 2014

Posted by Miguel Mousinho in Fórmula E, Press Release.
add a comment

No próximo dia 13 de Setembro, o desporto automóvel entrará numa nova era com a primeira corrida FIA de Fórmula E, organizada na China, nas ruas de Pequim. Disputado com monolugares eléctricos de 200 kW (270 cv), este campeonato surge como um suporte de pesquisa e de desenvolvimento para os veículos “zero emissões”.

A Renault, cujo compromisso no desenvolvimento da mobilidade eléctrica é amplamente conhecido, aplicou todos os seus conhecimentos técnicos na concepção do Spark-Renault SRT_01E, que será utilizado pelas dez escuderias participantes na competição. A Renault é também name sponsor da equipa e.dams, criada por Alain Prost e Jean-Paul Driot.

Spark-Renault SRT_01E,

Spark-Renault SRT_01E,

Em 2011, a Federação Internacional do Automóvel manifestou o desejo de ver nascer uma competição de veículos 100% eléctricos. Em sintonia com os desafios colocados à indústria automóvel, este campeonato deveria impor-se como um suporte de pesquisa, ao mesmo tempo que teria de suscitar o interesse do público pela mobilidade sustentável.

Combinando engenharia, tecnologia, desporto, ciência e música, o projecto de Alejandro Agag foi aprovado pela FIA a 27 de agosto de 2012. O promotor do campeonato confiou, então, à Spark Racing Technology a missão de conceber e fabricar os quarenta primeiros monolugares de Fórmula E. Entre os parceiros técnicos que se associaram a esta aventura, a Renault desempenhou um papel central ao tornar-se o arquitecto da cadeia de tracção eléctrica.

UM CALENDÁRIO MUNDIAL E URBANO
Actualmente, a grande maioria dos veículos eléctricos “vive” na cidade. O mesmo acontecerá com a Fórmula E, que terá lugar em dez circuitos urbanos, traçados nas maiores metrópoles do planeta. Com início em Setembro e até Junho do próximo ano, o calendário é complementar ao da F1 e das World Series by Renault.

13/09/2014 Pequim China
22/11/2014 Putrajaya Malásia
13/12/2014 Punta del Este Uruguai
10/01/2015 Buenos Aires Argentina
14/02/2014 Aguarda anúncio oficial
14/03/2015 Miami EUA
04/04/2015 Los Angeles EUA
09/05/2015 Mónaco Principado do Mónaco
30/05/2015 Berlim Alemanha
27/06/2015 Londres Grã-Bretanha

10 EQUIPAS, 20 PILOTOS E 40 MONOLUGARES
O campeonato FIA de Fórmula E está aberto a dez equipas, cada uma delas com dois pilotos. A disputa da temporada inaugural adivinha-se animada, dado que dez dos pilotos já nomeados contam, na sua carreira, com participações na Fórmula 1. Nas provas, cada concorrente terá à sua disposição dois monolugares que poderá utilizar consoante as necessidades. Aliás, o regulamento torna obrigatória uma troca do monolugar durante a corrida.

UM FORMATO INOVADOR
As corridas decorrerão de acordo com um esquema idêntico. A concentração dos acontecimentos num único dia permitirá limitar as perturbações na cidade, e para os seus habitantes, ao mesmo tempo que diminui os custos. As animações assumirão um grande destaque e o baixo ruído dos monolugares será mesmo compatível com a organização de concertos durante as corridas!

Durante a manhã, as duas sessões de treinos livres darão aos concorrentes o tempo necessário para conhecer o traçado do circuito e optimizar as afinações. No início da tarde, as qualificações decorrerão em quatro sessões de dez minutos, com cinco pretendentes à pole position em cada série. A corrida – ou ePrix – terá a duração de uma hora aproximadamente, sendo obrigatório que cada piloto troque de monolugar pelo menos uma vez. Ao contrário dos treinos livres e das qualificações que decorrerão na máxima potência (200 kW – 270 cv), na corrida a potência será limitada a 150 kW (202 cv). Os três pilotos mais populares na opinião dos internautas beneficiarão, além disso, do FanBoost (180 kW durante 5 segundos).

Os pontos serão atribuídos aos dez primeiros de acordo com a habitual tabela FIA (25, 18, 15, 12, 10, 8, 6, 4, 2 e 1 pontos). O ocupante da pole position será recompensado com mais três pontos e o piloto com a melhor volta em corrida arrecadará dois pontos. No final da época, o título de campeão do mundo de Pilotos será calculado deduzindo a classificação menos favorável de cada piloto. Para o campeonato do mundo de construtores serão considerados todos os resultados dos dois monolugares.

SPARK-RENAULT SRT_01E: UM MONOLUGAR CONCEBIDO COM A COMPETÊNCIA DA RENAULT SPORT

Especificamente desenvolvido para o campeonato FIA de Fórmula E, o Spark-Renault SRT01_E concentra o know how dos mais importantes nomes do desporto automóvel. A arquitectura da cadeia de tracção eléctrica, a sua integração, a segurança e a optimização dos seus desempenhos são obra dos engenheiros da Renault Sport.

UMA EVIDÊNCIA PARA A RENAULT
Oficializada a 15 de maio de 2013, a parceria entre Renault, Formula E Holdings e Spark Racing Technologies faz todo o sentido para o construtor líder no domínio dos veículos zero-emissões. Com uma gama de quatro veículos Z.E. em 8 comercialização, a Renault aproveita esta oportunidade para demonstrar a excelência e a fiabilidade das suas soluções técnicas. E o campeonato FIA de Fórmula E constitui igualmente um laboratório técnico por excelência e único.
O PAPEL DE ARQUITECTO
Com um campo de acção que abrange a concepção, o desenvolvimento e a comercialização de automóveis desportivos e de competição, a Renault Sport era um parceiro indispensável para assegurar a gestão do projecto logo desde a fase de estudos.  Com o aparecimento do KERS no campeonato do mundo de F1 em 2009 e, posteriormente, no contexto da introdução das Power Units em 2014, a Renault adquiriu um know-how absolutamente único em matéria de recuperação e restituição de energia. As equipas de Viry-Châtillon dispõem igualmente de meios adaptados de medição, análise e
simulação.

“O desenvolvimento do Spark-Renault SRT_01E foi um verdadeiro trabalho de exploração tecnológica. No domínio da motorização eléctrica de elevado desempenho, os especialistas são ainda muito poucos. Além disso, foi necessário responder a outras problemáticas importantes, como a segurança, o peso ou o custo. A bateria é um bom exemplo desta complexidade: este órgão, aparentemente banal, é na realidade constituído por mais de 4000 peças. A densidade do conjunto é extraordinária, dado que do volume de 300 litros só 2% são ar. Por conseguinte, é  indispensável que este componente, muito sensível, esteja perfeitamente protegido, em caso de acidente. Ao fazer parte do grupo de parceiros fundadores da Fórmula E, a Renault, que contribuiu com a sua competência técnica, retira agora do seu envolvimento benefícios tecnológicos que, um dia, serão integrados nos veículos da gama Z.E.” Christophe Chapelain, Responsável técnico de competição da Renault Sport Technologies

OS MAIS IMPORTANTES NOMES DO DESPORTO AUTOMÓVEL REUNIDOS
O desenvolvimento de um monolugar totalmente novo constitui um enorme desafio tecnológico. Por isso, a Formula-e Holdings e a Spark Racing Technologies associaram os mais importantes nomes do desporto automóvel neste projecto:
– Spark Racing Technology – A empresa criada por Frédéric Vasseur tomou sob a sua responsabilidade a concepção mecânica (os trens rolantes, a aerodinâmica) e a montagem dos 40 monolugares.
– Dallara – A firma italiana forneceu o chassis em carbono e a estrutura em ninho de abelha que respeita as normas de segurança FIA F1 2014.
– Renault Sport – Arquitecto da cadeia de tracção eléctrica, o construtor foi também responsável pela integração dos sistemas, pela sua segurança e pela optimização do seu desempenho.
– McLaren Electronic Systems – Associado a uma caixa de velocidades sequencial Hewland, o motopropulsor inversor é derivado do supercarro P1
– Williams Advanced Engineering – A filial de engenharia do Grupo Williams concebeu e fabricou as baterias, bem como o respectivo sistema electrónico de gestão.
– Michelin – O fabricante desenvolveu pneus esculpidos de 18″ que podem ser usados tanto em pista seca como húmida.

A SEGURANÇA COMO PRIORIDADE
Ao integrar-se no meio urbano, a Fórmula E tem de ser extremamente exigente em matéria de segurança. Por exemplo, o design da carroçaria foi pensado para evitar que os veículos se elevem da pista caso as rodas dos monolugares se toquem.
Os especialistas da Renault em segurança rodoviária contribuíram com os seus conhecimentos em caso de situações extremas, como seja a imersão ou o incêndio de uma bateria. Estas informações muito específicas permitiram adaptar a formação dos funcionários e comissários de pista para esta nova modalidade de desporto automóvel.

#Karting : Conheçam o piloto Tomás Martins de 8 anos 12 de Setembro de 2014

Posted by GonçaloSousaCabral in 16 Válvulas no terreno, Entrevistas 16Válvulas, FPAK, Karting, Podcast do 16Válvulas.
Tags:
add a comment
Tomás Martins @foto escolha pessoal

Tomás Martins @foto escolha pessoal

Tem apenas 8 anos mas o seu discurso é de um piloto mais velho.

O seu nome é Tomás Martins e veio ao 16Válvulas falar de si próprio , das suas ambições e da temporada de 2014.

Assim nos próximos minutos vão poder ouvir este jovem piloto revelar qual o piloto de quem é ídolo e explicar que o seu sonho é progredir até à Formula 1.

Em suma: mais uma entrevista com um jovem talentoso e de quem vale a pena fixar o nome….

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

#WTCC : saibam o que sente a esposa de um piloto de competição , com Diana Pereira 11 de Setembro de 2014

Posted by GonçaloSousaCabral in 16 Válvulas no terreno, Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno, Campeonato do Mundo de Todo-o-Terreno, Entrevistas 16Válvulas, Podcast do 16Válvulas.
add a comment
Diana Pereira@ foto de  escolha e arquivo pessoal

Diana Pereira@ foto de escolha e arquivo pessoall

Mais uma vez o 16Válvulas foi à procura do lado humano dos pilotos de competição.

Desta vez tivémos ocasião de chegarmos á fala com a esposa de um piloto , nada mais nada menos que Diana Pereira , esposa do piloto do WTCC , Tiago Monteiro.

Ocasião para não só falarmos sobre o que Diana sente quando Tiago está a competir , bem como de falarmos do seu próprio percurso competitivo que passou pelo TT e Ralis em Portugal , numa carreira embora curta , muito promissora e que segundo a própria não está totalmente encerrada.

No final ficou ainda o lado de mãe que Diana tem de conciliar com o de esposa e criadora de moda através de joias , num projeto muito interessante.

Em suma: Mais uma entrevista que pretende apresentar o lado humano por trás das corridas e que não vai querer perder por nada!

Cliquem AQUI para ouvirem e subscreverem o Podcast do 16Válvulas

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 2.698 outros seguidores